A Consciência, o marco da nova humanidade ….

Resultado de imagem para imagens sobre o despertar da conscienciaPartimos do princípio de que todas as crises da humanidade originam-se numa crise única, que é a crise do ser humano. Neste sentido, cabe ao ser humano atenção, lembrança e observância ao que indica a noção exata de alma, consciência e Lei Natural para nossa evolução voluntária e consciente, lembrando que a humanidade é uma só família e nós, seres humanos, uma só irmandade;nos baseamos nos autores: Antônio Damásio , Pierre Teilhard de Chardin , Rupert Sheldrake , dentre outros, que compartilham idéias que nos inspiraram  a escrever sobre esse assunto; Concluímos que a humanidade caminha em marcha, no próprio processo de evolução, em que cada um aprende por si e também, e principalmente, com o outro e com o todo ao redor, para além das individualidades e mesmo crenças particulares, a partir da unidade de pensamento entre a religião, filosofia e ciência, envolvendo não sómente suas idéias, mas também os meios realizadores de todo este ideal almejado.

A sociedade atual já tem elementos suficientes para perceber que os problemas que enfrentamos mundialmente não são apenas econômicos, políticos e tecnológicos. Eles são, em última análise, reflexo do estado moral/espiritual da humanidade. Eis que as nossas experiências pessoais e acadêmicos comprovam que é o despertamento, construção e desenvolvimento da consciência que implica progresso e não o avanço tecnológico. Alcançamos grandes conquistas tecnológicas, como a energia atômica, os computadores, os foguetes espaciais, entre outras, e tais conquistas tem sido fortemente utilizadas para fins bélicos, com o objetivo  de destruir o próprio semelhante, as sociedades, porque não dizer a humanidade.

Além disso, estamos gradualmente passando os efeitos das causas criadas no que se refere ao meio ambiente. Temos convivido com destruições ambientais catastróficas das mais diversas ordens, de uma maneira incontrolável pela própria ciência, apesar de todo aparato tecnológico. Tal conhecimento científico, entretanto, daria para extinguir muitas das enfermidades que comprometem a vida de milhares de pessoas, minimizar a pobreza, a destruição ambiental e conter a inanição até a sua completa extinção.

Imagem relacionadaEis o valor da consciência

E considerando que todas as crises da humanidade tem sua origem na crise do ser humano, é com ele que deveremos trabalhar com afinco, a partir da consciência, até porque a consciência traz o que é verdadeiro e isto é porta para outras concepções, percepções até novas ações, numa dimensão que envolve não somente a ciência, mas a filosofia e a religião, inclusive através da educação. Educação esta que representa o novo estágio da humanidade, caracterizado pelo novo estado de consciência do Ser Humano. Nesta direção, o ser humano é iniciado na senda do saber pensar, porquanto, tal processo, lhe favorece o que indica a noção exata de alma, de consciência e de Lei Natural; para a sua evolução abreviada consciente, fortalece-lhe o senso de decência, inclina-o a valorizar o zelo para com o frágil, o necessitado, o carente, bem como lhe impulsiona a ousar de forma persistente na busca do que é dito e tido como difícil, improvável ou impossível.

Para tanto, contamos com grandes educadores, os artistas, os sábios e os místicos, que podem nos revelar a beleza, a verdade e o amor,  educar a humanidade a ser humana, sem nada lhe impor ou mandar, mas simplesmente propondo e convidando. Neste sentido, buscamos atingir o nosso objetivo, com o presente post, fomentando reflexões que evidenciam de forma clara, segura e definitiva que a humanidade é a prioridade e que a consciência é o recurso específico da nova humanidade. Assim, vislumbramos a construção das bases de uma nova humanidade, e que as reflexões aqui compartilhadas possam servir como uma chave para abrir os portais da nossa interioridade, irmandade e interconectividade com o todo ao nosso redor, a partir de nós mesmos.  

Na década de 40, Chardin já pré anunciava a existência de uma tarefa em curso no Universo, conforme destacamos:

“O nascimento da realidade espiritual formada pelas almas, e por aquilo que estas carregam consigo de matéria. Laboriosamente, através da atividade humana e graças a ela, reúne-se, desprende-se e depura-se a Terra nova. Não, não somos comparáveis aos elementos de um buquê, mas às folhas e às flores de uma grande árvore, sobre a qual tudo aparece no tempo e no lugar certos, conforme a medida e a demanda do Todo”. (CHARDIN, 1994, p. 96)

A nossa evolução assim vai se praticando de forma integrada com o todo, quer abreviada quer naturalmente, considerando o conhecimento do todo, a partir de nós mesmos, através de um processo de autorrealização que exige um enorme investimento de tempo e de energia, em trilhas evolutivas como a evolução consciente e intencional.

E à proporção desta evolução voluntária, consciente e intencional nas nossas relações, primamos pelo diálogo ao invés do conflito, argumentação ao invés da ameaça, profundidade para além da superficialidade, espiritualidade para além da materialidade, bem como princípio moral ao invés da corrupção, violência e volúpia, de forma atenta, vigilante e perceptiva quanto ao que indica a noção exata de alma, consciência e Lei Natural; e com isso as nossas paixões e interesses pessoais vão sendo dominados pela capacidade de raciocínio, favorecendo equilíbrio à sociedade como um todo. E neste caso, destacamos o papel da educação de um modo geral.

Aqui vale ressaltar que como tudo vem do Uno é tempo de descobrirmos a unidade no meio da pluralidade, pois cada criatura, quer seja artista, sábio ou místico, é uma versão do Criador; Cada um deles é um pequeno espelho, e Deus precisa de todos e de cada um dos seres para refletir-se totalmente, revelando completamente a sua beleza, verdade e amor. E a humanidade também precisa de todos eles.

Nesta direção, cabe-nos unir tudo e todos também pelas diferenças e não só pelas semelhanças, considerando a humanidade como um todo, integrada com o Todo do qual somos e fazemos parte. Que possamos, assim, nos humanizar, nos tornar indivisos e nos divinizar, a ponto de não sómente conhecermos, mas também nos autoconhecermos, momento a momento, em prol do autorrealizar, bem como reconhecer, nos integrar e nos totalizar; para tanto, a consciência despertar, e através da conduta, demonstrar.


Resultado de imagem para imagens sobre o despertar da consciencia

“Todos somos um”-uma metáfora budista

Um grande mestre conhecedor profundo do caminho da virtuosidade, em suas reflexões com seus shelas, ele primava por sempre se expressar quanto ao valor do conhecimento relativo ao das virtudes essênias. Dizia ele que a fortaleza, temperança, prudência, perseverança, esperança, caridade e fé eram uma mesma coisa, embora devessem ser resguardadas as suas proporções, considerando o grau de despertamento da inteligência do seu buscador ou portador. Em seu templo, uma certa feita, um discípulo novato na senda do Imutável, Dedo, ainda muito impaciente e um tanto incompreensivo, embora deveras aplicado em suas realizações de aprimoramento pessoal, um dia, após as tarefas de aprimoramento espiritual, buscou o seu mestre amoroso, para se queixar de um outro dos seus discípulos, o Inho, que auto-intitulava: o mais liberado dos shelas; mas não pelo grupo que o considerava o mais irresponsável entre eles.

– Mestre, assim é demais, Inho nada quer fazer. Ele é de uma preguiça que dá dó, é de um orgulho, que sua estupidez denuncia. E o que é pior, é de uma vaidade insuportável, incabível e intolerável. Ele diz saber mais que todo mundo aqui do seu templo, e vive desdenhando, desprezando, bem como diminuindo os outros, como se fosse, senão o único, o melhor dos seus discípulos.

Disse Dedo ao mestre, que ouvira e continuou como estava, mas falando-lhe:

– Meu querido Dedo, afinal, qual a sua teoria acerca da humanidade como um todo? Perguntou o seu mestre. Muito rápidamente, Dedo falou, cheio de alegria que seu sorriso labial denunciava, demonstrando o quanto de saber tinha acerca do assunto questionado pelo seu mestre.

– Ora mestre, todos somos filhos de Deus; Dele viemos e a Ele retornaremos. Nós, o mundo e a humanidade somos um, e os fazemos como são e estão. Enfim, todos somos um.

– E então meu querido, de quem você está realmente falando? Perguntou o mestre, seguido de um silêncio desalentador e um aceno de mão que lhe era peculiar. E Dedo? Ah! Dedo procurou o chão… e depois deu preferência por realizar as suas tarefas de aprimoramento pessoal. Afinal, lavar pratos da primeira refeição do dia não lhe trazia constrangimento algum. Ele acabava de lembrar que é como ou com quem andamos que damos indícios e denunciamos quem somos. Ser humano é buscar saber como falar dos outros, porquanto, todos somos uns a ampliação dos outros, portanto, no fundo, quando falamos dos outros, falamos de nós mesmos. Tal como o discípulo Dedo, sentimos e podemos ver que muitos seres humanos ainda sofrem e criam, instalam e/ou mantém conflitos de toda ordem na sociedade, por ainda não compreenderem a força da totalidade que os envolve e os identifica universalmente(90% da massa inconsciente existente no planeta ainda pensa assim) e isso ainda continuará a existir enquanto o ser humano não der prioridade ao seu autoconhecimento,pois os despertos e conscientes ainda são uma ínfima parcela da população mundial.Por essa razão, ainda temos muito o que caminhar para vermos a Nova Terra que tanto sonhamos.


Resultado de imagem para imagens sobre o despertar da conscienciaVisão pessoal…

A humanidade necessita de seres humanos conscientes do seu papel individual e social, cientes da sua responsabilidade como dever e da liberdade como um direito e que possam agir e interagir com base não só no conhecimento, mas, também, no autoconhecimento, porquanto sua meta é a autorrealização; E sómente assim torna-se possível prevalecer o ser sobre o ter; o sentir sobre o saber; a solidariedade sobre a exploração, a paz sobre a guerra, a compreensão sobre a crítica; a profundidade sobre a superficialidade; a espiritualidade sobre a materialidade; enfim, o desconhecido sobre o conhecido, evidenciando desta feita que a humanidade já tem a noção exata de alma, de consciência e de Lei Natural, para a sua evolução  consciente;Eis que a consciência nos une mútuamente e aquilo que temos em comum, nossa identidade universal, ultrapassa nossas diferenças e nos fortalece como humanidade, ajudando a conter, minimizar, até extinguir as crises por que todos passam, que fazem parte do mundo da causalidade;enaltecemos a consciência como o instrumento específico de identificação do que é verdadeiro, não-causal, atemporal e que ela nos torne hábeis para encontrar este mundo de não-causalidade, possibilitando-nos acessar os dois mundos, causal e não-causal, e transitar do externo para o interno e achar o interno que é porta.Assim, precisamos centrar em nós mesmos, buscando sermos cientistas do interior até porque sómente assim podemos conhecer as nossas profundezas, adentrar na dimensão do inconsciente e ir além, com foco na humanidade, a partir da nossa individualidade…..

“A consciência que possuímos é a do Ser que está além da divisão sujeito-objeto. Não há no universo outra fonte de consciência. (Amit Goswami)

“A consciência não se desvaloriza pela presença de processos não conscientes. Pelo contrário, o alcance da consciência é ampliado”. (Antônio Damásio)


Inspiração….

ABRAHAM, Ralph; McKENNA, Terence; SHELDRAKE, Rupert. Caos, criatividade e o retorno do sagrado: triálogos nas fronteiras do Ocidente. São Paulo: Cultrix, 1992.

CHARDIN, Pierre Teilhard de. Hino do Universo. São Paulo: Paulus, 1994. – (Educadores da humanidade).

DAMÁSIO, António. O livro da Consciência: A construção do cérebro consciente. Trad. Luís Oliveira Santos. Lisboa: Temas e Debates, 2010.

BARRETO, Maribel-Pós-doutora em Consciência, Transdisciplinaridade e Educação (Universidade Católica de Brasília/Brasil, 2009). Pós-doutora em Criatividade e Educação (Universidade de Brasília/UNB/Brasil, 2006). Doutora em educação (Universidade Federal da Bahia/Brasil, 2004). Mestre em educação. Especialista em Psicopedagogia. Graduada em Pedagogia. Título de Doutora Honoris Causa de Iberoamerica (CIHCE, 2007). Membro da Association for the scientific study of consciousness.

cropped-cropped-cropped-cropped-preto-e-branco11.jpgMonicavox


Recomendo….

 

Resultado de imagem para imagens sobre livros de sheldrake

 

Resultado de imagem para imagens sobre livros de chardin

 

Resultado de imagem para imagens sobre livros de damásio

Imagem relacionada

Anúncios

7 comentários em “A Consciência, o marco da nova humanidade ….

  1. o uno! muito antes do Tao! e que desta vez a unidade seja o inconcebivel inominado, ainda que o Mago prefira que seja o instante mágico, já o hierofante prefira o momento sagrado, e o Trovador que seja o singelo tom em Sol maior, e eu tenho o conceito por baixo da lingua, mas não me sai, mas creio que se o tivesse ao peito o resultado seria identico. claro que é o Vidente que está a falar sem nexo, desde que perdeu o dente do siso se sente em amplexo íntimo com o todo, mas incapaz de dizer o que quer que seja, sabe que as palavras são somente o dedo que aponta o sol, e devemos olhar o sol e não dedo. ainda que Xamã considere este saber Zen fora de época, e eu ao dar voz a todos, que nenhuma voz deve ser descurada, já esqueci o mais importante que aqui me trouxe, mas é assim o saber, e quem o quiser dizer não o poderá viver, o Sábio bem sabe que é preciso sacrificar a vivência para o dizer, qual lei da fízica que não se pode saber da velocidade e da posição ao mesmo tempo, por só haver um botão para medir duas qualidades diferenciadas…
    parece que o vidente quer acrescentar um foco ao dedo que aponta o Sol, que diga; diz ele que a palavra também pode ser o olhar que Vê o Sol, e não o dedo que o aponta,assim o Sol também se pode ver reflectido no olhar….
    ainda acerca da unidade; e que desta vez a unidade seja um ponto sem medida, que nenhum Agrimensor poderia definir, quanto mais medir, e a unidade existia assim no todo e sem consciencia de nada, até que tomou a decisão de sacrificar sua unidade e resultou esta criação, e a lei não revelada na unidade, se revelou que só na separação a lei se podia manifestar… o resto é cosmogonia, cosmogonias aos milhares, e nem chamei a a modista, perdão, designer de moda, prefere ser assim chamada, me diz que pela lei o todo vai tomando consciência, com a humanidade jogando papel importante, mas a mente não cabe aí, caber cabe, mas se entra não pode dizer, quem entrar na unidade cessa toda a manifestação, até a lei cessa, e já me perdi em desacerto inefável, já chamei o ourives para me calibrar em novo sincronismo, me diz que prefere que o trate por Joalheiro, e vem também com O Ferreiro, espero que não seja para acerto radical, que uma marretada ficava a ver estrelas capaz de fazer constelação nunca vista…
    mas cansei da separação, não, não é com receio da marreta, muita separação como todo logo á frente de meu olhar, causa vertigem, assim regressarei ao todo, e claro cessa toda a revelação…

    me desculpem a ortografia e demais nem sei o quê, achei por bem que devia dizer algo, na fronteira, no edge, como é usual, vou á modista, para me tirar novas medidas, já o molde do sapato não muda. sim, devemos sempre tirar novas medidas, ainda que minha cintura fina, também não mude, mas ainda assim gosto de ser medido pela Modista, perdão designer de Moda. me vou então… fiquem bem!,

    Curtir

    1. Olá Manuluzo,

      Obrigada pela sua presença aqui no Monicavoxblog.

      Bom é poder escrever quando se tem o coração na ponta dos dedos… Deixar que eles dancem sobre o teclado,que sei que é isso o que fazes, revelando alegrias, angústias, dores e prazeres, mistérios do Todo em nós, para nós, e de nós para outros, quem sabe? Ser uma pessoa desigual no mundo tão cheio de mesmices e tolices, e o que isso não nos custa….
      Bom é não ter medo de quem lê suas trovadorices ou nem mesmo lembrar-se de que seremos lidos. Aflorar… e ser o que se tiver que ter sido.Eu tenho as respostas na ponta dos dedos assim que digitam ou me fazem uma pergunta sobre a vida, mas pessoalmente,muitas vezes fico em silêncio, pois os melhores pensamentos estão nas pontas dos dedos e não na língua…..muitas vezes calar é melhor que falar,principalmente se os ouvintes são cegos,os cegos são calados e os calados são surdos.

      Sou uma Xamã como voce, que tem visões pela tribo humana como voce e que sabemos que somos capazes de curá-la de suas loucuras com uma dose certeira de lucidez á respeito deste Todo,seja baseada na Física do Tao,na Quântica, na Ressonância ou na Epigenética,mas calados, surdos e mudos não sintonizam, não interiorizam,não racionalizam e continuamos escrevendo com as pontas dos dedos,ágeis e ligeiros e com a mente que voa á longas distâncias, solitária porém alegre,determinada e ás vezes,solidária com aqueles incompreendidos por serem iguais.

      Falas de sapiência;A diferença entre o culto e o sábio, é que o culto tem conhecimento das coisas, mas o sábio o praticou. É infeliz o ignorante que recusa ser aluno,pois diante do Todo, todos fomos e deveremos ser por tempos imemoriais;Existe o culto que recusa ser professor e o professor que recusa a praticar o que ensina.Mas deveremos todos nos render ao Todo que quer discípulos para fazer deles professores de Si.

      Infelizmente ainda as nossas necessidades unem-nos, mas as nossas opiniões separam-nos.E principalmente não há uma Unidade com relação ao Todo, pois esse Todo é Um para cada um de uma forma diferente,aí está a chave de toda questão e de toda pretensa harmonia que desejamos para uma Nova Terra.Isso nos divide e nos tira a força;mas a Consciência está aí, a nos chamar diáriamente á refletir, a agir na tomada de consciência individual que todos temos, principalmente em tempos de crise existencial, comunitária,globalizada,conceitual,científica, a tal quebra de paradigmas pela qual estamos passando e que nunca houve na história….para conscientes e inconscientes, tudo está mudando….a verdade é que para os inconscientes é a superfície e não a profundidade, como o é para os conscientes.

      E falando em moda,eu diria, metafóricamente falando com a Consciência e o Todo, que o “incapaz” se cobre; o “rico” se enfeita; o “presunçoso” se disfarça; o “Elegante” se veste….

      Não dê importância para a ortografia….O que é errado hoje, será correto amanhã, por isso podemos usar e abusar de nossa licença poética, e nos deixar levar apenas pelo sentimento
      e pela melodia……

      Muitas vibrações positivas da Mônica

      Curtido por 1 pessoa

      1. olá Mónica!
        falou em Lucidez, e recordei um Poeta Luzo que dizia que é tua a loucura quando a reconheceres com Lucidez.
        direi ainda do todo, sendo eu mesmo Demiurgo desse todo, meu Universo, onde a beleza é morada da verdade, claro que a magia também é morada da verdade, sua casa de campo, ou que seja a morada onde a verdade divina se revela… e creio que já há mais dum milénio ninguém contribuisse tanto para a arte da magia como o demiurgo que sou, criador desse todo que falei, mas quem podia dizer o todo criado, quanto muito se arremessam centelhas de luz no ar, para quem as agarrar, todo o criador se perde em seu mundo, e só não é labirinto, porque minha lucidez o assinalou, nesses marcos que me situam,
        disse do Mago que sou e de meu contributo para tal arte tão esquecida e diminuida ao formato dos livrinhos para as criancinhas, , mas terei que dizer, que meu contributo não faz de mim grande Mago, estou muito longe de tal titulo, que a magia me surpreenderá sempre, que bem podia invocar um Tigre e me saía um Leão, mas pronto já não é mau de todo, pelo menos opertencem á mesma familia Felina.
        sim, o Todo, meu todo que jamais o poderia dizer, como aqui se nota, que por isso me disperso deste jeito para revelar a incapacidade da revelação, é demasiado,e é só o meu todo… e nem era nada disto que queria dizer, mas não está mal de todo,, agora comparem meu todo com o Todo que onde me situo, e já nem sei se não fui eu que o criei, bem se nota que não tenho rédea curta na cavalaria felina que me move, em galope desenfreyado, homenagem á deusa Freya. afinal o Todo onde estamos não é minha criação.e só por uma insignificancia assim concluí quwe não sou eu o criador… mas em ambos os todos seremos sempre incapazes de o dizer, quanto muito chuva de meteoritos, há quem goste olhar o céu, mas também existem olhares diferentes, preferem apontar no Leopardo o matar e esfolar, só para vestir sua pele. mas o Hierofante da verdade, não mata o Leopardo, ainda que se vista no mesmo padrão, que para prova da verdade vale até a imitação, por isso respeito tanto o Tecelão…
        o todo! e meu todo tão imenso como o Todo, que já nem sei se sou eu que estou dentro do Todo, ou o Todo dentro do todo minha criação…
        não era nada disto que queria dizer, que meu todo não é assim como o revelei, mas quem tem mão ou rédea curta nos felinos indomáveis. acho que vão ficar sem janta para aprenderem e saberem quem manda…
        pronto, sem revisão, se não estiver em condição não publique. qual nuvem que não deixou ver as estrelas cadentes
        fiquem bem!

        Curtir

      2. Olá Manuluzo

        Já que voce citou um poeta luzo, eu vou citar um dos maiores da sua terra, que por aqui é famoso e muito erudito, o Pessoa, dito Fernando,mui estimado-ele dizia que ver muito lúcidamente prejudica o sentir demasiado. E os gregos viam muito lúcidamente. Por isso pouco sentiam. Daí a sua perfeita execução da obra de arte…já que a arte é a magia libertada da mentira de ser verdadeira.E falando em magia,há criaturas que tem consigo a magia de fascinar tudo quanto as rodeiam; às vezes nem elas mesmas o sabem, e é quando o prestígio é mais poderoso; a sua presença ilumina, o seu contato aquece; se ela passa, ficas contente; se pára, és feliz; contemplá-la é viver; é a aurora com figura humana.È o Todo que está sendo comtemplado,pois não?O Todo que está em tudo o que resplandece,sejam pessoas, coisas,estrelas,meteoros,universo em si.

        Por isso,sou a mulher de mil faces desse Todo, como todo mundo é e tem;camaleoa de traços e emoções
        A eterna mutante, desse mundo que gira ,que não me deixa acomodar nas minhas frustrações ou incertezas
        Alavancando minhas virtudes e qualidades, como Freya,a Deusa mulher que esquece a distância, também despida de toda a arrogância, entrega o cetro e a coroa ao Todo e se curva elegante, com todo o respeito…

        Essa sua narrativa poética me fez lembrar do Talmude, onde está escrito;”Sê forte como o leopardo, leve como uma águia, veloz como uma gazela e vigoroso como um leão, no cumprimento da vontade de teu Pai que está nos céus”,mais revelações para estar no Todo,como se pudéssemos nesta vida 3D fazer isso com maestria sem usar a magia…

        A refutável vida que levamos deixa a questionar;Podemos viver verdadeiramente na Verdade Absoluta?O nosso ego nos deixa equilibrar até o ponto razoável de nossas explosões emocionais.Temos fogo, água, vento e terra, o que ainda o alquimista não nos ensinou? e o que resta a descobrir?

        Pois eu digo que não haverá união definitiva enquanto nossas diferenças não forem ajustadas.E fazer a diferença, sempre será um diferencial.

        Não se incomode,gosto do improviso e do cinismo,gosto do que constrange e expande,porque isso derruba as máscaras e revela a alma cantante….

        Muitas vibrações positivas da Mônica

        Curtido por 1 pessoa

    1. Hello BabiesRUs sale

      Welcome to Monicavoxblog

      Our goal is precisely to disseminate information relevant to physical, mental and spiritual health, so that everyone can increase knowledge and awareness.Feel free to comment and participate. This is a place to exchange ideas and everyone is welcome.

      Many positive vibes from Monica

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s