Reflexos da Consciência

Imagem relacionadaNa medida em que nos aproximamos do ambiente exterior, estamos acionando um processo de aprimoramento das qualidades latentes no nosso ser. Ao superar os obstáculos impostos pela vida, não só ampliamos os nossos horizontes e nos tornamos mais gabaritados, como também diluímos os nossos bloqueios e resolvemos os nossos próprios conflitos. Por meio das situações externas, superamos as dificuldades internas, e, consequentemente, desenvolvemos habilidades para lidar com as qualidades inerentes ao ser.

A consciência está mergulhada no seu próprio universo inconsciente. A realidade exterior promove a transferência dos conteúdos do inconsciente para o domínio consciente. Pode-se dizer que o mundo a nossa volta é fiel representante das condições internas. Os episódios agradáveis equivalem a manifestação dos nossos potenciais. Já as ocorrências desagradáveis referem-se aos conflitos interiores.

As coisas existem ou são percebidas ao nosso redor por serem compatíveis com nossos conteudos. Somente acusamos a presença de algo, se houver algum fator em comum. Caso contrário, não passa de mero registro, sem despertar qualquer impulso de interação, ou seja, passará desapercebido. A própria regularidade com que identificamos certos eventos é baseada na predisposição para percebermos determinados episódios. Geralmente, quando estamos vivenciando uma experiência, deparamos com muitos casos semelhantes.

Ao contraírmos uma doença, por exemplo, serão logo observados muitos outros casos. Uma grávida passa a reparar a existência de muitas outras mulheres grávidas, ao passo que, antes de engravidar, não atentava para esse fato. A medida que se vivencia um processo, a percepção e a identificação de casos semelhantes aumentam. Já, quando não existe a mesma referência, o caso passa desapercebido. Portanto, o que identificamos ao nosso redor ou o que nos chama a atenção nas pessoas tem relação direta com nossos próprios processos.

Resultado de imagem para imagens sobre metafísicaCertas condutas dos outros que nos afetam, causando irritação ou indignação, representam algo mal resolvido interiormente. Projetamos para fora aquilo que nos incomoda por dentro. Pode-se dizer que o foco da maioria dos problemas identificado nos outros está em nós mesmos, caso contrário, a experiência alheia não causaria tanto desconforto. Realizamos fora aquilo que cultivamos interiormente. A maneira como nos dirigimos aos outros, equivale à forma como nos tratamos.

Antes de qualquer ação no ambiente, criamos um modelo em nós. Só damos o que temos. Por esse motivo, se a nossa vida requerer alguma mudança, primeiro precisamos reformular algo em nosso interior, pois nele repousa a causa dos infortúnios, bem como a chance de sermos bem-sucedidos. Não basta simplesmente intervir nos acontecimentos, pois isso tornaria a nossa atuação exaustiva. Para obter um bom desempenho no ambiente é necessário, antes de tomar qualquer medida, elaborar interiormente o que vamos fazer e adotar atitudes favoráveis aos resultados almejados.

Essa reorganização interior garantirá maior aproveitamento nos afazeres. A nossa condição interna é determinante sobre as questões externas. Uma condição de vida, porém, reforça o padrão compatível àquela situação, isso intensifica ainda mais tais episódios. É uma espécie de ciclo vicioso, no qual, por se sentir de um jeito, tudo se torna daquele jeito, consequentemente por nos encontrarmos diante de tais situações, isso intensifica os sentimentos compatíveis aos fatos.

Esse sincronismo entre as situações externas e os padrões internos somente será alterado quando conseguirmos mudar as crenças e implantar um novo comportamento. Assim sendo, antes de agir para mudar as condições de vida e superar uma fase dificil, é necessário promover algumas reformulações internas. Antes de sair em busca de algum emprego, por exemplo, procure sentir-se parte integrante da sociedade e merecedor de uma boa oportunidade profissional. Para ser feliz no amor é importante, antes de tudo, elevar a estima e sentir-se uma boa pessoa na vida de alguém; acreditar que você merece ser feliz afetivamente.

Portanto, quem tem algo bom é porque se sente merecedor do que usufrui e integrado com as situações agradáveis. Já aquele que não tem bons frutos é porque não foi capaz de assumir o que almeja nem se sente digno de ter uma melhor condição de vida. Por se colocar distante do que é bom, a própria pessoa impede as oportunidades de conquista e, consequentemente, não goza dos privilégios de ser bem-sucedida. Portanto, as pessoas perspicazes, que buscam se trabalhar interiormente, reformulando as crenças, revendo os padrões, ao mesmo tempo em que atuam na realidade exterior, adquirem os meios para alcançar os seus objetivos. Elas tem melhor desempenho nas suas atuações.

Por outro lado, aqueles que se dedicam a agir com foco nas situações exteriores, buscando os meios para sanar os obstáculos impostos pela vida, também conseguem promover as reformulações interiores necessárias para obter melhor qualidade de vida. Assim sendo, a busca pela consciência ou a dedicação pela reformulação interior não são as únicas formas de aprimoramento ou mudança de atitude. As próprias experiências de vida proporcionam os recursos necessários para as devidas reformulações interiores. Dedicar-se às conquistas materiais reforça as crenças positivas, tais como: “eu mereço, sou bom o bastante, etc.”, que são necessárias para conquistar melhores recursos existenciais.

Resultado de imagem para imagens sobre metafísicaPode-se dizer que só não progride quem não se trabalha, nem atua na realidade. Aqueles que forem passivos às condições de vida, mesmo elas não sendo agradáveis, nada fazem para alterar o curso de sua existência, tampouco buscam os meios para reformular suas crenças. Acabam sendo absorvidos pela situação ruim, e suas posturas tendem a piorar ainda mais o que não está nada bom. Isso se estende até o ponto em que a vida se torna insuportável.

Quando a pessoa estiver num estado existencial deplorável, “fundo do poço”, por força das circunstâncias, ela reage, acionando os processos de transformação interior, bem como da sua vida. Vale ressaltar que a reformulação interior é um significativo passo para atrair oportunidades, mas não substitui a atuação na vida material. Para ser bem-sucedido é primordial ter crenças favoráveis ao sucesso, que atraem as oportunidades e propiciam as chances de atuação. A situação boa, porém, é consolidada também pela nossa interação com o ambiente; afinal, estamos no mundo material, e nele, para se ter algo, faz-se necessário pelo menos um gesto nesse sentido.

Resultado de imagem para imagens sobre metafisicaVisão pessoal…..

A maneira como nos relacionamos com a vida, o que sentimos ou pensamos acerca daquilo que se passa ao nosso redor, representa suma importância para a atividade química do corpo. Tudo o que se manifesta em nós é consequência da própria concepção a respeito dos estímulos gerados, tanto pelo organismo quanto pelo meio externo. Baseados nos elementos interiores, interpretamos os episódios exteriores e desenvolvemos determinados conceitos acerca do que nos acontece. Também geramos sensações, impulsos e sentimentos, que invadem nosso ser, estabelecendo um determinado estado interior. Pode-se dizer que tudo acontece de acordo com o que nós mesmos concebemos a respeito dos fatos. De acordo com os pensamentos que cultivamos, são gerados os sentimentos. Os bons pensamentos geram sentimentos agradáveis; já os maus pensamentos provocam sentimentos ruins. Pensar positivamente desperta sentimentos favoráveis ao bom resultado, fortalece a segurança, reacendendo a “chama” da motivação. Consequentemente, pensamentos amorosos causam mais amor e assim, sucessivamente. Os pensamentos representam um caminho para o sentimento. Pensar é investir energia naquilo que detém nossa atenção, enquanto sentir é produzir energia, dando vida e significado a tudo o que existe. Não conseguimos controlar os sentimentos diretamente, porém os pensamentos poderão ser coordenados por nós. Eles, por sua vez, vão conduzir os sentimentos. Melhor dizendo, conseguimos interceder nos sentimentos por meio dos pensamentos. Portanto, quando algum sentimento ruim invadir nosso ser, devemos evitar os pensamentos compatíveis a ele; com o tempo conseguimos transformá-lo ou minimizá-lo. Os sentimentos agradáveis promovem uma boa condição orgânica, já os sentimentos ruins ou negativos causam variações químicas do corpo, podendo inclusive ocasionar as doenças.Assim, sua condição interior se nivela com as qualidades do seu ser. Acredite: você é grandioso e competente. Não dependa da valorização dos outros nem dos bons resultados da sua obra. Sinta-se eficiente pelo simples fato de realizar o que idealizou e não pelo quanto você conquistou no mundo material. Lembre-se de que os grandes homens não alcançaram excelência em tudo o que existe, mas fizeram muito bem naquilo que se propuseram. Os bons resultados são consequências do empenho e principalmente do sentimento de competência empregado naquilo que se faz….

Inspiração…

“METAFÍSICA” de Aristóteles – CLE/Unicamp

Metafísica – Uma Introdução Contemporânea – fflch – USP

Richard Taylor – O que é metafísica? – Filosofia – UFSC

a metafísica na época clássica – PUC-Rio

“A metafísica do amor”, Arthur Schopenhauer

Rene Descartes – Meditações Metafísicas.pdf

Monicavox

 

Recomendo…

Imagem relacionada

Resultado de imagem para imagens sobre metafísica

Resultado de imagem para imagens sobre metafísica

 

 

Anúncios

6 comentários em “Reflexos da Consciência

  1. olá Mónica!
    sim, tudo o que foi dito está correcto, assim é este espelho.
    e não faltam espelhos lendários, como o de Dorian gray, personagem de Oscar Wilde, também ele personagem interessante, mas não vim aqui falar de personagem nem de figurantes, nem mesmo dos tratantes, ainda que alguns bem merecessem umas vergastadas, e o universo se encarregará, acaso com vara de Marmeleiro, sim, antes que me veja vergastado pela deriva divagante, seguirei em frente por caminho mais tangivel, ou lá o que este termo signifique.
    e neste caminho direi de outro espelho, este nosso conhecido, Indiano que nosso outro amigo Osho respeitava, ainda que muito discordava com ele, sim, não me ocorre o nome,mas a Mónica o conhece, quando dizia, que numa sociedade doente, estar a bem com a sociedade, ou nela bem inserido, não é sinónimo de sanidade, bem ao contrário. Assim sendo como podia ser quem não sou, e no meu caso não ser revolucionário, e estar na via revolucionária, ou em sua via-sacra e minha vida em sacrifício, ou em seu processo revolucionário,e minha vida em batalha esforçada, ou em seu altar e minha vida em martirio… sorrio, parecia um Mártir, acaso o seja, que também a revolução precisa deles, mas sou em muitos ofícios sagrados, e hoje não estou para martirios.
    isto para dizer.que estou na vida, não para colher de seus frutos doces, sabendo que minha doçura amargava em alguém, nem a doçura me sabe bem, quanto muito o agridoce. E neste espelho, bem sei que jamais me poderia ver feliz neste mundo, participando na insanidade vigente ou instaurada, além de que meu reino não é deste mundo. vejo tudo sem cor, direi doutro modo, se não ainda me mandavam ir á tinturaria, direi que vejo tudo sem esperança, mesmo no Policia armado e desvalido, no politico amestrado, no assalariado ignorante, no ditador insano, na democracia irradiando hipocrisia, este é o espelho em que vejo o mundo, o meu espelho, mas claro que não é neste espelho em que me vejo,

    pronto creio que disse dos reflexos de minha consciencia, ainda que deva dizer que sou senhor de muitos espelhos, mas este é o meu espelho revolucionário, o que trago sempre comigo, e um pente claro, mas não gosto do cabelo penteado na ordem, o prefiro revolto, indomável como meu espirito.

    pronto terei que ir, a revolução me chama, achei por bem lhe oferecer outro espelho, bem sei que também tem muittos, mas também sei que nunca são demais,
    e claro devo aqui louvar sua via revolucionária,ainda que hoje nos mostrasse o mundo por espelho, excessivo ou espelhasse o mundo distorcido, como aqueles espelhos de feiras.sim, o mundo é mesmo uma feira, a bem dizer é como o quisermos ver. acho que vou usar aqueles óculos verdes, bons para os Caprinos, comerem sempre a erva verde.

    fiquem bem!

    Curtir

    1. Olá Manuluzo,

      Bom vê-lo aqui mais uma vez no Monicavoxblog

      O objetivo da vida é o desenvolvimento próprio, a total percepção da própria natureza, é para isso que cada um de nós vem ao mundo. Hoje em dia as pessoas têm medo de si próprias. Esqueceram o maior de todos os deveres, o dever para consigo mesmos.Podem ser caridosas,alimentam os esfomeados e vestem os pobres….. Mas as suas próprias almas morrem de fome e estão nuas. A coragem desapareceu da nossa raça,se assim não fosse,lutaríamos armados até os dentes contra tanta manipulação á que somos sujeitos….porque assim queremos,pois haja informação para não sermos….

      Falas de Jiddu Krishnamurti…?Pois ele tem a máxima (que eu assino embaixo) de dizer que a Verdade não pode ser trazida para baixo; é o indivíduo que deve fazer o esforço de ascender até ela.E ser revolucionário é um desses jeitos,apesar de que o revolucionário deve sempre ser integral. Ele deve trabalhar todas as horas, todos os minutos de sua vida, com um interesse sempre renovado e sempre crescente. Esta é uma qualidade fundamental….a outra é a tal loucura visceral,que assalta o corpo e a mente,de forma atemporal,quando estamos em um vendaval.

      Não sejamos mártires para os outros nem pelos outros, nem algozes de nós próprios,quando estamos próximos da Consciência;tudo isso se desvanece e vemos o que Somos de verdade e o quanto nada sabemos do que realmente Somos.Estamos todos irremediávelmente chegando no afunilamento dessa sociedade em que fomos criados,alimentados,amados e instruídos,para chegarmos até aqui e constatarmos que ela nos fez pouco evoluídos…

      E a bruxa da Branca de Neve tinha o espelho como sua consciência…nada mais do que normal,para uma época em que espelhos falavam, nem sempre verdades, e ainda riam, das ingenuidades de homens que acreditavam neles…e quão fundo é um espelho em que se olha uma pessoa que nada Vê,e o quanto reflete para aquele cuja face revela.Profundo mesmo é o espelho, que vive nos fazendo reflexões.

      Um público comprometido com a leitura é crítico, rebelde, inquieto, pouco manipulável e não crê em lemas que alguns fazem passar por idéias.Portanto, sejamos revolucionários sempre, espelhados nas grandes consciências,sem grandes preferências porém com poucas exigências,pois os espelhos estão aí por toda parte e o reflexo pode nos dar a arte da reflexão.

      Sim,tenho meus espelhos,os côncavos que me introspectam e os convexos que fazem me expor,e ensinam a quem tem o olho clínico,a me ver sem eles.

      Tenho uma coleção de óculos,os adoro….acho um artifício de vestir… as lentes dos óculos determinam o modo como você percebe a realidade. Tudo o que você vê é parte do mundo que está fora de você mesmo; mas o modo como você enxerga tudo isto também é determinado pelas lentes dos óculos. Você não pode dizer que o mundo é vermelho, ainda que neste momento ele pareça vermelho…..ou verde.

      Então vamos manter o foco, tirar os óculos e nos “enlouquecer” um pouco, são nestas “loucuras” que nos achamos…

      Muitas vibrações positivas da Mônica

      Curtido por 1 pessoa

    1. Olá Kadu

      Prazer em vê-lo aqui no Monicavoxblog

      São palavras para meditarmos sobre a importância e a necessidade do Ser Humano ,em plena transformação.Esperemos que elas reverberem para outros olhos…..

      Muitas vibrações positivas da Mônica

      Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s