Super dicas para combater o Intestino Irritável

Imagem relacionadaSegundo a International Foundation for Functional Gastrointestinal Disorders, estima-se que 1 em cada 4 pessoas no mundo (23% da população mundial) tem  a SII.A maioria das pessoas com SII está na faixa etária dos 50 anos. No entanto,  muitos adultos mais jovens ou com idade mais avançada também são acometidos por esta enfermidade. Curiosamente,  as mulheres são três vezes mais afetadas que os homens e sofrem mais com os sintomas severos.

Embora esta seja uma doença considerada de difícil diagnóstico e tratamento, atualmente existem várias pessoas que têm se beneficiado de dicas valiosas para tratar a SII. Descubra aqui como lidar com o problema e encontrar o tratamento ideal para seu caso.

Primeira parte – Conhecendo seu corpo

Descubra o que desencadeia a síndrome. Por definição, um gatilho é algo que inicia um processo ou uma reação. Alguns fatores podem provocar sintomas de SII em algumas pessoas mas não em outras; ainda que tenham sintomas semelhantes, suas causas provavelmente não serão as mesmas:

Entenda o processo de digestão

Se você não mastigar a comida corretamente ou se você beber muito líquido juntamente com as suas refeições, seu alimento permanecerá parcialmente não digerido, servindo de combustível para microorganismos intestinais. Além disso, ácido clorídrico insuficiente em seu estômago e/ou  insuficientes enzimas pancreáticas podem criar circunstâncias semelhantes.

Evite ainda comer grandes refeições, pois estas podem fazer com que os esfíncteres intestinais, que se localizam  entre o intestino delgado e o grosso, abram demasiadamente cedo e pressionem o alimento não digerido para ser expelido, causando diarréia.

Outro fator importante é que se você tomar antiácidos, não comer suficiente proteína, e beber muitos líquidos durante a refeição, irá suprimir sua própria capacidade de digerir alimentos. Antiácidos neutralizam o ácido do estômago, falta de proteína faz com que o organismo tenha dificuldade de produzir esse ácido, e fluidos diluem o ácido clorídrico.

Resultado de imagem para imagens sobre intestino irritávelReações negativas aos alimentos

Se você já teve uma reação negativa a um alimento no passado, seu cérebro pode decidir que esse alimento, em especial, nunca vai ser bom para você e definir um alarme para a próxima vez que você entrar em contato com ele. Ainda que o alimento não tenha chegado à boca, seu estômago já começará a reagir como se estivesse indo para a guerra.

A parte realmente desagradável de toda esta história é que o alimento em questão pode não ter causado os sintomas. Para ir direto ao alvo, faça o teste. Tente obter um exame para IgG (imunoglobulina G  – anticorpo) para alergias alimentares.

Caso você opte por não fazer o teste mencionado, basta eliminar os alérgenos mais comuns durante 12 semanas, que são: leite, glúten, fermento, ovos, milho, soja e amendoim. E, então, reintroduzi-los para ver se eles causam sintomas. Esta é uma maneira eficaz para isolar os alimentos que podem estar causando-lhe problemas.

 Aprenda a lidar com as emoções

Um estudo da Organização Mundial de Saúde mostrou que os latinos costumam manifestar suas aflições emocionais sob a forma de sintomas gastrointestinais. Em resposta ao estresse, o organismo aumenta a produção dos hormônios noradrenalina e cortisol. Logo, um dos quadros mais comumente associados aos transtornos de ansiedade diz respeito às alterações gastrointestinais como a SII, úlcera ou gastrite.

O intestino é considerado, na medicina, como um segundo cérebro. Ele tem um sistema nervoso próprio que produz e libera hormônios que até então se acreditava estarem presentes apenas no cérebro, como a serotonina, o neurotransmissor do humor.  Mas, na realidade, cerca de 90 por cento da serotonina é produzida no próprio intestino. Em pessoas com depressão, por exemplo, a serotonina encontra-se em baixa no organismo.

Durante um quadro emocional, o esforço vem de muitas formas. Na verdade, um aspecto da SII pode ser um desejo incontrolável de controlar. Isso pode soar como um paradoxo, mas pode explicar por que uma perda de controle nos intestinos é muitas vezes acompanhada por uma perda de controle na vida. A diarréia é uma perda completa de controle intestinal, e prisão de ventre é uma reação para tentar manter o controle, o que resulta em cólicas, dor e distensão. Além disso, se livrar de emoções tóxicas pode ajudar a acelerar o processo de cicatrização e melhorar o estado geral de sua saúde. Ao fazer o teste de eliminação de alergênios no tópico anterior tente se desfazer, também por 12 semanas, das emoções negativas.

Resultado de imagem para imagens sobre intestino irritávelAtente para a fermentação do organismo

Sozinhos ou combinados, o uso excessivo de antibióticos, uma dieta rica em açúcar, estresse, cortisona, hormônios e outros fatores podem levar a um supercrescimento de levedura em seu intestino, o que pode causar alguns efeitos desagradáveis.

O ecossistema microbiano no intestino deve ser saudável para você estar saudável. Quando suas bactérias intestinais estão fora de equilíbrio – quando você tem muitas bactérias patogênicas e poucas bactérias saudáveis – isso faz com que você adoeça. Existem cerca de 500 espécies de bactérias em seu intestino. Na verdade, há mais DNA bacteriano em seu corpo do que há DNA humano! Entre o grupo bacteriano podemos encontrar boas bactérias, bactérias ruins e ainda bactérias muito ruins.

Se o grupo patogênico tomar o comando ou mover-se para áreas que não deveriam (como o intestino delgado, que é normalmente estéril) – elas podem começar a fermentação do alimento que você ingeriu, especialmente de açúcar ou alimentos ricos em amido. Isto é chamado de sobrecrescimento bacteriano no intestino delgado e é uma das principais causas de SII.

Cuidado com antibióticos

Embora às vezes eles sejam necessários para eliminar bactérias ruins  e perigosas e poderem até mesmo salvar vidas, eles também podem afetar negativamente as bactérias boas de seu organismo. Na verdade, essas drogas não são muito inteligentes.  O antibiótico deveria combater as bactérias patogênicas que estão causando os sintomas, mas ao invés disso ele alveja todas as bactérias com as quais entra em contato, pois não consegue discernir as boas das ruins. Desta forma, as bactérias saudáveis da flora intestinal saem completamente fora de seu equilíbrio abrindo, assim, a porta para a fermentação migrar do intestino grosso para o intestino delgado, causando sintomas de formação de gases, inchaço e alteração nas fezes.

Resultado de imagem para imagens sobre intestino irritávelSegunda parte – Cuidando de seu organismo

O corpo humano é projetado para curar-se e reequilibrar-se. Contanto que deixemos de ingerir alimentos errados e com readaptação da rotina diária, o sistema digestivo pode curar a si mesmo e recuperar seu vigor original.  Cuide de seu bem estar ingerindo suficiente líquido, de preferência água mineral, praticando atividades físicas e dormindo pelo menos oito horas, para que você possa alcançar a almejada plenitude. Tudo isso poderá sim ser possível se você permitir-se conhecer-se melhor e entender a SII como um todo. Veja os seguintes passos:

Utilize prébióticos e probióticos…

Os prebióticos são ingredientes alimentares não digeríveis que estimulam o crescimento e atividade de microrganismos no intestino. Prebióticos são encontrados naturalmente em muitos alimentos, como aveia e outros grãos integrais, e em muitas frutas e vegetais, incluindo alcachofras, aspargos, cebola e banana. Um estudo mostrou que pacientes com SII que receberam uma combinação de probióticos e prebióticos experimentaram uma melhora significativa da dor abdominal, do inchaço e da prisão de ventre.

Os mecanismos de probióticos em SII são muito complexos, mas são cada vez mais populares na cura do aparelho digestivo. Os probióticos são organismos vivos que, quando ingeridos em determinada quantidade, exercem benefícios para a saúde, além da nutrição básica inerente. Os probióticos têm numerosos efeitos positivos no trato gastrointestinal. Recentemente, vários estudos têm sugerido que os probióticos são eficazes no tratamento da SII.

Embora os probióticos sejam uma excelente escolha, simplesmente adotar um suplemento probiótico diário não é única opção. Escolher um suplemento de alta qualidade poderá ajudar, mas a adição de alimentos e bebidas probióticas tais como kombucha, kefir, iogurte de leite de côco, chucrute, kimchi ou misô serão extremamente úteis. E você pode aumentar o efeito de probióticos reduzindo ou eliminando o açúcar de sua dieta.

Resultado de imagem para imagens sobre intestino irritávelConhecendo o universo das enzimas

Quando você come alimentos que ainda contém enzimas vivas, você usa menos de suas próprias enzimas digestivas para quebrar a comida em partes digeríveis. Esta mudança significa menos problemas digestivos, melhor absorção dos alimentos e menos quantidades de alimentos não digeridos que acabam servindo de refeição para leveduras e bactérias.

Uma opção excelente para manter a integridade das enzimas é preparar pratos crus. O calor destrói as enzimas do alimento quando se chega à temperatura de 40°C. Além disso, as fibras, antioxidantes e fitonutrientes também são danificados. Enquanto os minerais, ao invés de serem destruídos, são perdidos (lixiviados na água) e os que ficam se tornam menos biodisponíveis. Tente introduzir alimentos crus diariamente em forma de frutas, saladas, sucos e receitas de doces (sem açúcar) e salgados crus. Você notará muito rapidamente uma mudança na disposição e na energia,  além dar um suporte significativo no sistema imunitário.

Cuide de seu intestino

A área de superfície do intestino delgado é incrivelmente do tamanho da extenção de uma quadra de tênis. E é nesta imensa área que os alimentos são absorvidos. Seu intestino delgado abriga também cerca de 80 por cento de seu sistema imunológico. E este sistema está a uma fina camada de células de distância de uma quantidade incrível de toxinas – ou seja, todas as bactérias e partículas de alimentos não digeridas em seu intestino.

A camada do intestino pode aumentar sua permeabilidade se o indivíduo vivencia situações  de estresse, , utiliza coisas como muitos antibióticos ou anti-inflamatórios como a aspirina e esteróides, sofre com infecções intestinais, ingere baixo teor de fibras, consome açúcar em excesso, faz uso de álcool e muito mais: o seu sistema imunitário será exposto a partículas estranhas de alimentos e bactérias e outros micróbios. Isso irá disparar e ativar a resposta imune e irritar seu segundo cérebro (o sistema nervoso entérico) criando o caos que leva a um intestino irritável, um cérebro irritável e outros problemas incluindo alergias, artrite, auto-imunidade, transtornos do humor, entre outros.

Mas a boa notícia é que você também pode se beneficiar de nutrientes que ajudam a curar o revestimento do intestino, incluindo omega 3 , GLA (ácido gama-linolênico) – a partir de óleo de prímula-, zinco, vitamina A, glutamina e outros.

Conheça o poder da vitamina D

Pesquisadores da Universidade de Sheffield, no Reino Unido, realizaram um único tipo de estudo, em 2012, depois de informar sobre um caso de cura de SII ocorrido após a administração de “altas doses” de vitamina D.Em seguida, os autores fizeram algo notável: consultaram fóruns da internet e identificaram sites de pacientes que relatam o uso de vitamina D para tratamento de SII. Trinta e sete doentes com SII foram identificados e relataram as suas experiências pessoais com vitamina D. Destes, cerca de 70% observaram que tal suplementação beneficiou a sua condição, com doses diárias de vitamina D3 “tão elevada como 5000-10000 de UI.”

Imagem relacionadaVisão pessoal...

Uma dieta com restrição de lactose foi a responsável pela melhora dos pacientes portadores da Síndrome do Intestino Irritável (SII). A doença é psicossomática, ou seja, não tem causa anatômica específica, mas é reflexo de perturbações no organismo, como o estresse, a ansiedade e possíveis infecções anteriores.Os testes foram realizados na Faculdade de Medicina da USP (FMUSP) e englobaram dois grupos de pacientes, ambos com a SII, sendo que um grupo possuía também o diagnóstico de má digestão de lactose. Os sintomas da SII são cólicas que passam e voltam, gases que provocam distensão do abdômen, crises alternadas de diarreia e prisão de ventre, sensação de que o intestino não foi plenamente esvaziado após a evacuação;o estudo teve como principal objetivo avaliar se a dieta com restrição de lactose gera melhora dos sintomas em todos os pacientes com SII ou somente naqueles que possuem má digestão de lactose diagnosticada.Entre as possíveis causas da SII, estão as ineficiências nos movimentos intestinais ou o intestino pode sofrer com sensibilidade no alongamento. A sua detecção depende da exclusão de outras doenças que possuem causas aparentes. O portador da SII quase sempre possui algum tipo de intolerância alimentar;Dentre os pacientes estudados, havia dois tipos: aqueles com apenas a SII e os que apresentavam, além da SII, uma má digestão de lactose diagnosticada. Em todos os 81 pacientes foi realizado o exame para diagnosticar a má digestão de lactose. Após esse processo, foi aplicada uma dieta com restrição de lactose em todos os envolvidos na pesquisa. A partir disso, foi avaliado se havia alguma melhora com a inserção da dieta.O acompanhamento médico dos pacientes foi capaz de comprovar que ambos os grupos com SII, tanto os com má-digestão de lactose e os que digeriam a lactose obtiveram algum tipo de melhora com a dieta de restrição de lactose.Os resultados surpreenderam os pesquisadores e deram respaldo para outros estudos que visam entender melhor a relação da digestão da lactose e a SII.A SII é uma doença que afeta até 25% da população brasileira e, dentre eles, de 70% até 80% possuem alguma intolerância alimentar. Portanto, é de extrema necessidade que a SII seja tratada de forma adequada e de acordo com as tolerâncias do paciente.Vamos ficar alertas….assistam o vídeo a seguir sobre os perigos do leite e o intestino.

 

Inspiração….

Síndrome Do Intestino Irritável: Uma Perspectiva Mundial

Tratamento com probióticos na síndrome do intestino irritável

Dieta para a Síndrome do Intestino Irritável | Nutrição Clínica

A acupuntura como terapêutica da síndrome do intestino irritável

PROBIÓTICOS, PREBIÓTICOS E SIMBIÓTICOS

Monicavox

 

Recomendo….

Resultado de imagem para imagens sobre intestino irritável

Resultado de imagem para imagens sobre intestino irritável

Anúncios

Um comentário em “Super dicas para combater o Intestino Irritável

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s