10 teorias que substituem a teoria do big bang

Resultado de imagem para imagens sobre o big bang

O escritor Terry Pratchett descreveu de forma bem humorada a visão convencional da criação do universo: “No começo não havia nada, que explodiu”. A visão atual da cosmologia é a de um universo em expansão que se originou do big bang, que é bem apoiada por evidências como a radiação de fundo cósmico e a mudança de luz distante em direção ao fim vermelho do espectro, sugerindo que o universo está se expandindo constantemente.No entanto, nem todos estão convencidos disso. Ao longo dos anos, várias hipóteses alternativas e variadas para o início do universo foram apresentadas. Algumas são especulações interessantes que permanecem, infelizmente, não verificáveis pelas provas ou tecnologias que temos atualmente. Outras são divertidos, porém menos plausíveis, voos em direção ao mundo da fantasia.

Estado estacionário

De acordo com um manuscrito recentemente recuperado de Albert Einstein, o grande cientista dava credibilidade à teoria do astrofísico britânico Fred Hoyle de que o espaço poderia continuar expandindo indefinidamente, mantendo uma densidade consistente se nova matéria fosse constantemente introduzida pela geração espontânea. Durante décadas, muitos desconsideraram a teoria de Hoyle, mas o documento sugere que Einstein, pelo menos, considerou seriamente suas ideias.A teoria do estado estacionário foi proposta em 1948 por Hermann Bondi, Thomas Gold e Fred Hoyle. Foi derivada do princípio cosmológico perfeito, que afirma que o universo parece essencialmente o mesmo de todos os locais dentro dele em todos os momentos (em um sentido macroscópico). Isso era filosoficamente atraente, pois sugeria que o universo não tem começo nem fim. A teoria foi popularmente aceita por muitos na década de 1950 e 1960.

 Quando confrontados com evidências de que o universo estava se expandindo, os proponentes sugeriram que havia nova matéria sendo criada espontaneamente em uma taxa constante, mas pequena – alguns átomos por milha cúbica por ano.

A observação de quasares nas galáxias distantes (e, portanto, mais antigas, do nosso ponto de vista) que não existem em nossa região estelar atenuou o entusiasmo pela teoria, e finalmente ela foi desconsiderada quando os cientistas conheceram a radiação de fundo cósmico. No entanto, enquanto Hoyle estava promovendo sua teoria favorita, ele fez uma série de estudos que provaram como átomos mais pesados ​​do que o hélio tinham aparecido no universo. (Eles foram criados pela alta temperatura e pressão das primeiras estrelas passando por seu ciclo de vida). Ele também, ironicamente, foi quem criou o termo “big bang”.

 Luz cansada

Edwin Hubble observou que os comprimentos de onda da luz de galáxias distantes deslocavam-se em direção ao fim vermelho do espectro em comparação com a luz emitida por corpos estelares próximos, sugerindo que os fótons perdiam energia de alguma forma. Este “desvio para o vermelho” geralmente é explicado no contexto de uma expansão pós-big bang como sendo uma função do efeito Doppler. Os defensores dos modelos de estado estacionário do universo, entretanto, sugeriram que os fótons de luz perderiam energia gradualmente ao percorrer o espaço, movendo-se para o comprimento de onda mais longo, o fim vermelho menos energético do espectro. Esta teoria foi proposta pela primeira vez por Fritz Zwicky em 1929.

Há uma variedade de problemas com a hipótese da “luz cansada”. Primeiro, não há nenhuma maneira pela qual a energia de um fóton possa ser alterada sem alterar o seu ímpeto, o que resultaria em um efeito de desfocagem que não observamos. Em segundo lugar, ela não explica os padrões observados na emissão de luz das supernovas, que em vez disso correspondem mais aos modelos para um universo em expansão, com a relatividade especial causando dilatação do tempo.

Finalmente, a maioria dos modelos para a teoria da luz cansada baseia-se em um universo não expansível, mas isso levaria a um espectro de radiação de fundo que não corresponde às nossas observações. Com os números, se a hipótese de luz cansada fosse correta, toda a nossa radiação de fundo cósmica observada teria que vir de fontes que estão mais próximas de nós do que a galáxia Andromeda M31 (nossa galáxia vizinha mais próxima), e qualquer coisa além disso seria invisível para nós.

 Inflação eterna

A maioria dos modelos modernos do universo inicial postula um curto período de crescimento exponencial (conhecido como inflação) causado pela energia do vácuo, em que partículas vizinhas rapidamente se separaram por vastas regiões do espaço. Após essa inflação, a energia do vácuo deteriorou-se em uma sopa de plasma quente que eventualmente formou átomos, moléculas e assim por diante. Na teoria da inflação eterna, esse processo de inflação nunca terminou. Em vez disso, as bolhas do espaço teriam deixado de inflar e entraram em um estado de baixa energia e, em seguida, expandiram-se para o interior da inflação. Essas bolhas teriam sido como bolhas de vapor em um pote de água fervente, exceto que, nesta analogia, o pote sempre está ficando maior.

Nesta teoria, nosso universo é uma bolha entre muitos em um multiverso caracterizado pela inflação contínua. Um aspecto desta teoria que pode ser testável é a noção de que dois universos que estão próximos o suficiente para se encontrarem causariam interrupções no espaço-tempo de cada um deles. O melhor suporte para esta teoria seria uma evidência de tal ruptura encontrada na radiação de fundo cósmica.

O primeiro modelo inflacionário foi proposto pelo cientista soviético Alexei Starobinksy, mas ficou famoso no ocidente pelo físico Alan Guth, que teorizou que o universo inicial poderia ter super-resfriado para permitir um crescimento exponencial antes do big bang. Andrei Linde tomou essas teorias e as desenvolveu em sua “eterna expansão caótica”, o que sugeriu que, em vez de exigir um grande golpe, dada a energia potencial correta, a expansão pode acontecer a partir de qualquer ponto do espaço escalar e está acontecendo constantemente ao longo do multiverso.

“Em vez de um universo com uma única lei da física, a eterna inflação caótica prediz um multiverso auto-reprodutor, eternamente existente, onde todas as possibilidades podem ser realizadas”, de acordo com Linde.

Miragem de um buraco negro 4D

O modelo padrão para o big bang afirma que o universo explodiu de uma singularidade infinitamente densa, mas isso dificulta explicar por que ele tem uma temperatura quase uniforme, dado o curto período de tempo (cosmicamente falando) que passou desde esse evento violento. Alguns acreditam que isso pode ser explicado por uma forma desconhecida de energia que fez o universo expandir-se mais rápido do que a velocidade da luz. Uma equipe de físicos do Instituto Perimeter de Física Teórica propôs que o universo possa, de fato, ser uma miragem tridimensional gerada no horizonte de eventos de uma estrela de quatro dimensões que desabando em um buraco negro (!).

Niayesh Afshordi e seus colegas estavam observando a proposta de 2000 de uma equipe da Universidade Ludwig Maximilians, em Munique, que afirmava que nosso universo era apenas uma membrana existente dentro de um “universo a granel” que tem quatro dimensões. Eles perceberam que, se este universo em massa também continha estrelas 4-D, elas podem se comportar de forma semelhante às suas homólogas 3-D em nosso universo – explodindo em supernovas e entrando em buracos negros.

Os buracos negros tridimensionais são cercados por uma superfície esférica chamada horizonte de eventos. Enquanto a superfície do horizonte de eventos do buraco negro 3-D é bidimensional, a forma do horizonte de eventos do buraco negro 4-D seria tridimensional, uma hipersfera. Quando a equipe de Afshordi modelou a morte de uma estrela de 4-D, eles descobriram que o material ejetado formou uma brana 3-D (membrana) ao redor do horizonte de eventos lentamente expandido. Eles então sugeriram que nosso universo pode de fato ser apenas a miragem formada a partir dos destroços das camadas externas de uma estrela colapsante em quatro dimensões.Como o universo em massa 4-D pode ser muito mais antigo, ou mesmo infinitamente antigo, isso explica a temperatura uniforme que observamos em nosso universo, embora alguns dados recentes sugerem que possa haver discrepâncias que melhor se adequam ao modelo convencional.

Universo espelhado

Um problema complicado para a física é que quase todos os modelos aceitos, incluindo a gravitação, a eletrodinâmica e a relatividade, funcionam igualmente bem em descrever o universo, independentemente do tempo estar indo em frente ou para trás. No mundo real, sabemos que o tempo só vai em uma direção, e a explicação padrão para isso é que nossa percepção do tempo é meramente um produto da entropia, em que a ordem se dissolve em desordem. O problema com esta teoria é que ela sugere que nosso universo começou em um alto estado de ordem e um baixo estado de entropia. Muitos cientistas estão insatisfeitos com a noção de um universo inicial de baixa entropia que conserta a direção do tempo.

Julian Barbour da Universidade de Oxford, Tim Koslowski da Universidade de New Brunswick, e Flavio Mercati, do Instituto Perimeter de Física Teórica, desenvolveram uma teoria sugerindo que a gravidade faz a direção do tempo avançar. Eles estudaram uma simulação computacional de 1.000 partículas semelhantes a pontos interagindo entre si, influenciadas pela gravidade newtoniana. Eles descobriram que, independentemente de seu tamanho ou quantidade, as partículas acabariam por formar um estado de baixa densidade e tamanho máximo. Então, o sistema de partículas se expandiria em ambas as direções, criando duas “setas de tempo” simétricas e opostas e criando estruturas mais ordenadas e complexas em dois caminhos.

Isso sugeriria que o big bang causou a criação não de um, mas dois universos, cada um dos quais com o tempo correndo na direção oposta do outro.

“Esta situação de dois futuros exibiria um passado único e caótico em ambas as direções, o que significa que haveria essencialmente dois universos, um de cada lado desse estado central. Se fossem complicados o suficiente, ambos os lados poderiam sustentar observadores que percebessem o tempo em direções opostas. Qualquer ser inteligente lá definiria sua flecha do tempo como se afastando desse estado central. Eles pensariam que agora vivemos em seu passado mais profundo”, teoriza Barbour.

Cosmologia Cíclica Conformal

Sir Roger Penrose, físico da Universidade de Oxford, afirma que o big bang não foi o começo do universo, mas apenas uma transição ao longo doe seus ciclos de expansão e contração. Penrose sugere que a geometria do espaço muda ao longo do tempo e se torna mais emaranhada, conforme descrito por um objeto matemático chamado tensor de curvatura de Weyl, que começa em zero e cresce ao longo do tempo. Ele acredita que os buracos negros atuam para reduzir a entropia no universo e que, à medida que o universo chega ao fim de sua expansão, os buracos negros engolirão a matéria e a energia remanescentes e, eventualmente, um ao outro.

À medida que a matéria deteriora e os buracos negros perdem energia através da radiação Hawking, o espaço torna-se uniforme e cheio de energia inútil. Isso introduz um conceito chamado invariância conformal, uma simetria de geometrias com diferentes escalas, mas a mesma forma. Como o universo não se identifica ostensivamente às condições no seu início, Penrose argumenta que uma transformação conforme suavizaria a geometria do espaço e as partículas degradadas se reverteriam para um estado de zero-entropia. O universo então colapsaria sobre si próprio, pronto para desencadear um novo big bang. Isso significaria que o universo é caracterizado por um processo repetitivo de expansão e contração, que Penrose divide em períodos denominados “eons”.

Penrose e seu parceiro, Vahe Gurzadyan, do Instituto de Física de Erevan, na Armênia, coletaram dados de satélites da NASA sobre radiação de fundo cósmico e alegaram ter encontrado 12 anéis concêntricos claros nos dados, que acreditam ser evidência de ondas gravitacionais causadas por buracos negros supermassivos colidindo no final do eon anterior. Esta é a principal evidência para a teoria da cosmologia cíclica conformal.

Big Bang gelado e universo contraindo

O modelo padrão do big bang postula que depois que toda matéria explodiu de uma singularidade, ela se expandiu para um universo quente e denso e então começou a expandir-se lentamente por bilhões de anos. A singularidade coloca alguns problemas ao tentar se encaixar na teoria da relatividade geral e da mecânica quântica, de modo que o cosmólogo Christoff Wetterich, da Universidade de Heidelberg,na Alemanha, argumenta que o universo pode ter começado como um lugar frio e em grande parte vazio que só se tornou mais ativo porque está contraindo, em vez de se expandir, como no modelo padrão.

Neste modelo, o desvio para o vermelho observado pelos astrônomos pode ser causado por um aumento na massa do universo à medida que ele se contrai. A luz emitida por átomos é determinada pela massa das partículas, com mais energia aparecendo conforme a luz se move em direção ao espectro azul e menos energia movendo-se para a luz no espectro vermelho.

O principal problema com a teoria de Wetterich é que é impossível provar através de alguma medição, pois só podemos comparar a proporção de diferentes massas, e não as próprias massas. Um físico queixou-se de que o modelo é como argumentar que em vez de expandir o universo, a régua com a qual estamos medindo está diminuindo. Wetterich disse que ele não considera sua teoria uma substituição ao big bang. Ele simplesmente observa que ela é tão consistente com todas as observações conhecidas do universo e pode ser uma explicação mais “natural”.

Universo vivo

Jim Carter é um cientista amador que desenvolveu uma teoria pessoal sobre o universo, baseada em hierarquias eternas de “circlons”, que seriam objetos mecânicos circulares hipotéticos. Ele acredita que toda a história do universo pode ser explicada como gerações de circlons emergentes através de processos de reprodução e fissão. Ele apareceu com o conceito depois de observar um anel perfeito de bolhas emergentes de seu aparelho de respiração enquanto mergulhava na década de 1970, e refinou suas teorias com experimentos envolvendo anéis de fumaça controlados feitos com latas de lixo e folhas de borracha, que ele acredita serem manifestações físicas de um processo chamado sincronismo do circlon.

Carter acredita que a sincronicidade do circlon constitui uma explicação melhor para a criação do universo do que a teoria do big bang. Sua teoria do universo vivo postula que pelo menos um átomo de hidrogênio sempre existiu. No início, um único átomo de anti-hidrogênio flutuava em um vazio tridimensional. A partícula tinha a mesma massa que todo o nosso universo atual e era composta por um proton carregado positivamente e um antiproton com carga negativa. O universo estava em dualidade completa e perfeita, mas o antiproton negativo estava se expandindo gravitacionalmente um pouco mais rápido que o próton positivo, fazendo com que ele perdesse massa relativa. Eles então se aproximaram até que a partícula negativa absorveu o positivo, e eles formaram o antineutron.

O antineutron também foi desequilibrado em massa, mas, eventualmente, voltou para um equilíbrio que o faria dividir em dois novos nêutrons, uma partícula e uma antipartícula. Esse processo causou a formação de um número exponencialmente crescente de nêutrons, alguns dos quais não se separaram, mas se aniquilaram em fótons, que se tornaram a base dos raios cósmicos. Eventualmente, o universo tornou-se uma massa de nêutrons estáveis, que existiram por um tempo antes de decaírem e permitirem que os elétrons se acoplassem com prótons pela primeira vez, formando os primeiros átomos de hidrogênio e, eventualmente, preenchendo o universo com elétrons e prótons que interagem violentamente para formar os elementos. Após um período chamado “A Era do Grande Fogo Gelado”, obtivemos a formação de estrelas, planetas e consciência.

A maioria dos físicos considera as ideias de Carter especulações equivocadas que não toleram o rigor da investigação empírica. De fato, as experiências de Carter com anéis de fumaça foram usadas como evidências para a agora desacreditada teoria do éter há 13 anos.

Universo Plasma

Embora a cosmologia padrão considere a gravidade como a principal força orientadora, a cosmologia do plasma ou a teoria do universo elétrico, coloca uma ênfase muito maior no eletromagnetismo. Um dos primeiros defensores desta teoria foi o psiquiatra russo Immanuel Velikovsky, que escreveu um artigo de 1946 sobre o tema, chamado “Cosmos Without Gravitation”, que argumentou que a gravidade é um fenômeno eletromagnético decorrente da interação entre cargas atômicas, cargas livres e os campos magnéticos de sóis e planetas. Essas teorias foram desenvolvidas ainda mais na década de 1970 por Ralph Juergens, que argumentou que as estrelas eram alimentadas por processos elétricos e não termonucleares.

Há uma variedade de diferentes iterações da teoria, mas alguns elementos geralmente são os mesmos. As teorias do universo de plasma afirmam que o Sol e as estrelas são alimentados eletricamente por correntes de deriva, que algumas características da superfície planetária são causadas por “super-relâmpagos”, e as caudas de cometa, tempestades de poeira marcianas e a formação de galáxias são todos processos elétricos. As teorias afirmam que o espaço profundo é permeado por filamentos gigantes de elétrons e íons, que se torcem devido a forças eletromagnéticas no espaço e criam material físico como galáxias. Os cosmólogos de plasma assumem que o universo é infinito tanto em tamanho como em idade, o que limitou a utilidade da teoria aos criacionistas, apesar da oposição à cosmologia do big bang.

Um dos livros mais influentes sobre o assunto é The Big Bang Never Happened (O Big Bang Nunca Aconteceu, em tradução livre), escrito por Eric J. Lerner em 1991. Ele argumenta que a teoria do big bang predica incorretamente a densidade de elementos leves como o deutério, o lítio-7 e o hélio-4, que os vazios entre as galáxias são muito vastos para serem explicados com um quadro de tempo pós-big bang, e que o brilho superficial das galáxias distantes foi observado como constante, enquanto que em um universo em expansão, o brilho deve diminuir com a distância devido ao desvio para o vermelho. Ele também afirma que a teoria do big bang exige muitas coisas hipotéticas (inflação, matéria escura e energia escura) e viola a lei da conservação da energia, já que o universo emergiu do nada.

Em contraste, ele argumenta, a teoria do plasma predica corretamente a abundância de elementos leves, a estrutura macroscópica do universo e a absorção de ondas de rádio como causa da radiação cósmica de fundo. Muitos cosmólogos argumentam que as críticas de Lerner à cosmologia do big bang são baseadas em noções que se sabe serem incorretas quando ele escreveu o livro, e suas explicações de observações que respaldam a cosmologia do big bang causam mais problemas do que podem resolver.

Bindu-Vipshot

Esta lista até agora evitou histórias de criação religiosa ou mitológica para a origem do universo, mas é possível fazer uma exceção para as histórias de criação hindu, que podem ser reconciliadas com teorias científicas com uma facilidade que escapa à maioria das outras cosmologias religiosas. Carl Sagan disse uma vez: “É a única religião em que as escalas de tempo correspondem às da cosmologia científica moderna. Seus ciclos correm de nosso dia e noite ordinários para um dia e uma noite de Brahma, de 8,64 bilhões de anos. Mais do que a idade da Terra ou do Sol e cerca de metade do tempo desde o Big Bang”.

O conceito tradicional mais próximo da teoria do big bang do universo pode ser encontrado no conceito hindu de bindu-vipshot, que significa “ponto-explosão” em sânscrito. Os hinos védicos da Índia antiga sustentavam que o bindu-vipshot produzia as ondas sonoras da sílaba “om”, que representa Brahman, a Realidade Suprema ou Divindade. A palavra “Brahman” vem da raiz sânscrita brh, que significa “crescer grande”, que tem algum vínculo com o big bang, como o fazem com o título das escrituras Shabda Brahman, que podem ser associados à sphota, ou “explosão”. O som primário “om” foi interpretado como a vibração do big bang detectado pelos astrônomos sob a forma de radiação cósmica de fundo.

Os Upanishads explicam o big bang como o único (Brahman) que deseja se tornar muitos, o que ele conseguiu através do big bang com uma expressão de vontade. A criação é ocasionalmente retratada como lila, ou “peça divina”, com a implicação de que o universo foi criado como parte de um jogo e o lançamento do big bang foi parte disso. Afinal, nenhum jogo é divertido quando o jogador onisciente sabe exatamente o que vai acontecer.

Resultado de imagem para imagens sobre o big bangVisão pessoal…

O buraco negro é uma coisa que gera muitas perguntas e dúvidas. Só não ganha da questão que, pra mim é a mais fundamental de todas: se o Big Bang é o início de tudo, o cataclismo que explodiu e deu origem ao nosso universo há 13,7 bilhões de anos, o que foi que o provocou?Três pesquisadores do Instituto Perimeter tiveram uma nova ideia sobre o que poderia ter vindo antes do Big Bang. É uma ideia maluca e quase desconcertante. De acordo com eles, o que percebemos como Big Bang poderia ser a “miragem” tridimensional de uma estrela em colapso em um universo profundamente diferente do nosso. Bom, eu avise que era desconcertante.Para os três cientistas – Robert Mann, Niayesh Afshordi e Razieh Pourhasan -, “o maior desafio da cosmologia é entender o Big Bang em si”.O que a gente normalmente entende sobre o Big Bang, e o que de certa forma faz parte de um senso comum do que se sabe sobre esse fenômeno, é que ele começou com uma singularidade, um momento extremamente quente e denso do espaço-tempo onde as leis normais da física simplesmente deixaram de mandar alguma coisa. E como todo evento singular, temos uma compreensão limitada deles.O problema, na opinião dos autores, é que prever o universo a partir de um momento de insanidade das leis da física parece um tanto improvável.Por isso, talvez algo mais tenha acontecido. Talvez nosso universo nunca tenha sido singular em primeiro lugar.A sugestão dos três pesquisadores é, então, que nosso universo poderia ser um rolo tridimensional em torno de um horizonte de eventos de um buraco negro de quatro dimensões. Neste cenário, o nosso universo teria surgido no momento em que uma estrela em um universo de quatro dimensões caiu em um buraco negro.Em nosso universo tridimensional, os buracos negros têm horizontes de eventos bidimensionais. Ou seja, eles são cercados por uma fronteira bidimensional que marca um “ponto de não retorno”. No caso de um universo de quatro dimensões, um buraco negro teria um horizonte tridimensional. Sendo assim, o nosso universo não está dentro de uma singularidade; em vez disso, ele teria passado a existir fora de um horizonte de eventos, protegido da singularidade. Originou-se como, e continua sendo, apenas uma característica no naufrágio de uma estrela de quatro dimensões.È de dar um belo de um nó na cabeça de qualquer um.Os pesquisadores enfatizam que esta ideia, embora possa parecer “absurda”, é solidamente fundamentada em matemática moderna descrevendo o espaço e o tempo. Especificamente, eles usaram as ferramentas de holografia para “virar o Big Bang em uma miragem cósmica”. Esse modelo também parece resolver enigmas cosmológicos de longa data, e produzir hipóteses testáveis.È claro que a nossa intuição tende a recusar a ideia de que tudo o que conhecemos surgiu a partir do horizonte de eventos de um único buraco negro de quatro dimensões. Na verdade, isso é porque nós não temos noção do que é um universo de quatro dimensões e com o que ele pode se parecer.Mas nossa intuição humana não é infalível. E, como os pesquisadores argumentam, evoluiu em um mundo tridimensional que só pode revelar sombras da realidade.Para ajudar a gente entender melhor toda essa questão, eles traçaram um paralelo com o mito da caverna  de Platão(-tem um post aqui no blog sobre este tema-) .Na história, os prisioneiros passam a vida vendo apenas sombras cintilantes emitidas por um incêndio em uma parede da caverna. “Os grilhões os impediram de perceber o mundo verdadeiro, um reino com uma dimensão adicional”, completaram. Os “Prisioneiros de Platão não entenderam os poderes por trás do sol, assim como nós não entendemos o universo maior de quatro dimensões. Mas pelo menos eles sabiam onde procurar por respostas”. Será que nós sabemos também?

Inspiração….

Origem do universo e do homem –

O Big Bang – UFSM

A história do Big Bang, a teoria da origem do Universo, foi … – UFJ

Big Bang – Evolução de uma Idéia – Astronomia, Astronáutica

Monicavox

Recomendo….

Resultado de imagem para imagens sobre livros sobre big bang

Resultado de imagem para imagens sobre livros sobre big bang

Resultado de imagem para imagens sobre livros sobre big bang

 

 

Anúncios

PADRÕES QUÂNTICOS-Mensagem de Kryon, por Lee Carroll

NOTA IMPORTANTE-Para ajudar o leitor, esta mensagem foi re-canalizada [por Lee e Kryon] e complementada, para permitir um entendimento mais claro. Inclusive algumas informações foram incluídas. Geralmente as canalizações ao vivo têm uma energia implícita que carrega um tipo de comunicação que o texto escrito não traz. Então, aproveite esta mensagem aprimorada, transmitida em San Antonio, Texas.
—-…..—==II==—-…..—-
Saudações, queridos, Eu sou Kryon do Serviço Magnético.Este é o momento em que meu parceiro se afasta. Dizemos isto mais uma vez, para que vocês saibam que ele não faz parte da consciência desta mensagem. Canalizar pode parecer algo misterioso e estranho para vocês, pois utiliza o intelecto, a educação, a voz, a maturidade e a sabedoria do Ser Humano, mas a mensagem vem de outro lugar. Meu parceiro chama isto de um fluxo constante de grupos de pensamentos intuitivos. Meu parceiro está aqui, mas não está aqui. Quando digo que ele “se afasta”, é porque ele literalmente abre este recipiente [corpo] e, através da sua pineal e do seu Eu Superior, vem a mensagem que vocês ouvem. Estou lhes contando isto para que saibam não é ele que está falando.

Existe energia ao redor de vocês, assim como há coisas invisíveis à sua volta. Hoje de manhã nós falamos sobre a “Comitiva de Kryon”, e ela ainda está aqui. Ela não é calculável, pois é pura energia. Muito do que vocês vêm, percebem e sentem em torno de si é energia. A energia vem de muitas e muitas formas, e algumas, inclusive, nem são consideradas energia. Para acreditar nesta mensagem sobre energia, geralmente os Seres Humanos precisam quantificá-la e qualificá-la. Vocês querem medir seus atributos vibratórios e algumas vezes não conseguem. A razão disto é que sua Ciência ainda não chegou lá. Isto não é uma crítica à Ciência, mas o simples fato de que há mais a aprender. O som acontece independentemente de haver ouvidos para escutá-lo, e a luz está aí independentemente de haver olhos para vê-la.

AS IDEIAS PRECONCEBIDAS DA CIÊNCIA

Há uma pergunta para Kryon que já me fizeram antes: “O mundo esotérico é algo que algum dia conheceremos melhor através da Ciência?” A resposta é SIM. Neste momento, devido à Terra ainda não ter sido reconhecida pelo que ela é, existem muitas coisas que são separadas e linearizadas e, por isto, não são bem entendidas. Já falamos sobre isto antes – os melhores colégios e universidades do planeta resolveram separar todos os estudos em categorias, tendo em vista a especialização. Mas isto tem um preço.Física, Química, Biologia e Medicina são abordadas como se fossem Ciências independentes. É claro que elas são relacionadas, mas não existe nenhum lugar no campus universitário onde haja um “edifício de integração” para colocá-las todas juntas. Alguns dirão: “É óbvio que tem que ser assim, porque cada uma precisa do seu próprio currículo de estudo. Simplesmente não existe nenhuma forma de juntarmos todas elas, já que precisam ser estudadas de forma independente; há coisas demais para serem aprendidas sobre cada uma delas.”

Deixem que lhes diga algo, queridos Humanos. Na verdade, existe um modo de juntar essas coisas. Vocês simplesmente ainda não pensaram nele e ainda não consideraram a “fase de integração” deste quebra-cabeça. Se conhecessem a profundidade do relacionamento que tudo tem com tudo, entenderiam imediatamente que é necessária uma mudança. Vocês poderiam ter “etapas de integração” ou revisões. Mas até mesmo isto está faltando.

Uma coisa leva a outra e descobertas são feitas. Mas como vocês estudam as propriedades isoladas de cada área da Ciência, as descobertas geralmente beneficiam apenas uma única Ciência. Química leva a mais Química, por exemplo… e somente os químicos são envolvidos. De fato, existem enigmas em cada estudo independente que só podem ser resolvidos pela integração com o estudo de outras Ciências. Mas geralmente eles continuam sendo enigmas, porque ninguém está “olhando ao redor” para as outras áreas de estudo. Vocês sabiam que foi apenas recentemente que a Ciência postulou a ideia de que o campo magnético da Terra é necessário à vida? Eu lhes contei isto em 1993, mas ainda não existe nenhuma Ciência exata que apresente isto, mesmo com todos os seus recursos. A tendência a separar as Ciências tem mantido muitas coisas distantes de vocês. Vocês simplesmente não querem juntar Física com Biologia!

Existem meios de integrar todas elas, especialmente Química e Física. Quando começarem a fazer isto, queridos, serão levados a grandes descobertas, mas isto não acontecerá enquanto elas estiverem separadas. Vocês têm especialistas num campo e especialistas em outros. Às vezes eles se reúnem em festas e só isto. Eles não se reúnem realmente para discutir suas especializações. Como podem separar estas coisas e ser um cientista completo?

Foram necessários mais de 20 anos para se descobrir que mais de 90% do DNA é informação e não química codificada. Durante esse tempo todo isso foi chamado de “sucata”, porque vocês fizeram um diagnóstico errado. Foi preciso que linguistas descobrissem isso! Eles enxergaram padrões de linguagem e não padrões químicos. É isto que acontece quando se tem apenas químicos e biólogos tentando decifrar complexos e desconhecidos enigmas da Química. Suas suposições e idéias preconcebidas os mantiveram afastados desta bela informação durante décadas.

A CHEGADA DA INTEGRAÇÃO DA CIÊNCIA

Então, a primeira previsão que lhes oferecemos é acadêmica. Há uma nova consciência chegando e, com ela, uma nova sabedoria. Haverá certo “bom senso científico” que perceberá o valor incrível de alinhar confluências de estudos que costumavam estar separados. Isto é o melhor que posso lhes oferecer… sem os detalhes. Entretanto, é tão óbvio que precisa ser assim, que chegará um dia em que vocês olharão para trás e dirão: “O que será que estávamos pensando?!” Vocês podem imaginar um mundo em que nenhum alimento fosse misturado com outro para uma refeição, até que, de repente, alguns chefs especializados se unissem e fizessem descobertas importantes na área de alimentação? Ingredientes fáceis de serem cultivados se combinam e criam refeições melhores. Que idéia!Podem imaginar como seria a comunicação se, ao tentarem aprender um idioma, vocês tivessem que frequentar o edifício dos verbos, depois o departamento de adjetivos e, finalmente, o pavilhão dos substantivos?! Ninguém seria capaz de falar o idioma; apenas discutiriam sobre as peças que o “quebra-cabeça” contém. A linguagem da Física será descoberta e lhes trará algumas revelações sobre Biologia, Química e consciência.

A canalização de hoje é sobre a nova consciência que está chegando e como isto mudará tudo. Há algumas coisas que desejamos lhes contar e outras que desejamos discutir com vocês. Amamos conversar sobre o futuro da humanidade e os potenciais que estão diante de vocês.

O VASTO MUNDO INVISÍVEL QUE SE ENCONTRA DIANTE DE VOCÊS

O que sabem sobre coisas invisíveis? Falemos primeiro de coisas invisíveis que não são esotéricas – aquelas que são reais para vocês, mas também invisíveis. Vamos à mais básica das coisas invisíveis. Existem inúmeras energias físicas, intensas e poderosas à sua volta, que interagem com vocês todos os dias, mas que são totalmente invisíveis para vocês como Seres Humanos. Entretanto, vocês as aceitam e trabalham com elas e dizem: “Bem, elas são invisíveis, mas as coisas são simplesmente assim. Isto não me incomoda.”

GRAVIDADE – Todas as pessoas da Terra são afetadas pela gravidade! Mas ela é invisível! Já lhe oferecemos várias canalizações sobre a Física da Gravidade, e lhes dissemos que ela é variável e controlável, e que vocês acabarão descobrindo por quê. Dissemos-lhes que ela não é necessariamente ligada à massa da maneira empírica que vocês pensam. De fato, vocês podem ajustá-la ao valor que desejarem, se conhecerem um pouco mais sobre como alterar a massa dos objetos. É apenas uma questão de tempo e descoberta, e o que se seguirá será muito razoável e cientificamente lógico. Uma coisa leva à outra e à outra e, finalmente, haverá descobertas que lhes permitirão fazer coisas que, no passado, pareciam cientificamente ridículas. Um dia será possível ver e medir a gravidade com instrumentos que vocês ainda não descobriram. Quando conhecerem mais sobre a Física da Gravidade, vocês saberão como enxergá-la em toda sua glória. Isto está chegando!Qualquer tipo de Ciência torna-se mais real para vocês quando vocês conseguem enxergar seus padrões físicos. A propósito, quando finalmente puderem ver os padrões da gravidade, entenderão um pouco mais sobre como alterá-la. Alguns segredos serão revelados nos padrões que vocês não conseguem enxergar neste momento. As coisas quânticas não existem numa forma que vocês possam vê-las do jeito que estão acostumados na terceira dimensão. Serão necessárias descobertas – que estão chegando! – descobertas científicas desenvolvidas com um novo entendimento e uma nova consciência. Esta é apenas uma(1).

OS PRÓXIMOS PADRÕES

Meu parceiro fala constantemente sobre o campo magnético. Vocês sabem que ele existe porque suas bússolas apontam para o topo dele. Alguma coisa está fisicamente aí, mas é invisível. Esta camada de consciência na qual vocês se encontram, e que está intimamente ligada à força vital do planeta, é completa e totalmente invisível. Entretanto, chegará um tempo em que não será mais. Seus olhos não a verão, queridos, mas ela será vista pelos instrumentos que estão para chegar. Já se imaginaram vendo a gravidade? Já se imaginaram vendo o campo magnético? Como serão eles? O que lhes dirão os instrumentos sobre as cores e vibrações? Haverá padrões, ou simplesmente uma massa rodopiante de energia?Deixem-me contar-lhes um segredo que não é segredo para nenhum físico ou biólogo. Tudo tem padrões – tudo. Os fractais estão sempre lá. Do grande ao pequeno, do pequeno ao grande, e as próprias formas dos padrões e desenhos de tudo que vocês veem, são literalmente revelações daquilo que os criou. Isto os levará à etapa seguinte, onde entenderão por que a grade magnética faz o que faz e como ela se alia à Biologia e ao pensamento humano. Vocês serão capazes, inclusive, de sintonizá-la ligeiramente para a saúde! Estas coisas estão todas chegando. Tudo isto será Ciência e não será esotérico, mas conduzirá a belas descobertas esotéricas.

Já lhes dissemos inúmeras vezes que chegará um tempo em que estes instrumentos serão direcionados para o Ser Humano e ocorrerá uma revelação na Ciência. Será revelado claramente que os Seres Humanos possuem uma espécie de aspecto quântico ao redor deles. À medida que os instrumentos se tornarem mais afinados, haverá formas de realmente enxergar e medir os padrões ao redor do Ser Humano. Queridos, esta é a Física Sagrada do Ser Humano – a Merkabah.É bom vocês juntarem logo estas coisas, porque se continuarem dentro das caixas e compartimentos, não receberão respostas. Não entenderão as correlações e confluências e como cada uma trabalha com a outra. Cientistas, está na hora de pensar fora da caixa da especialização! Esta é uma abordagem linear para resolver problemas que são circulares.

AS PREVISÕES DO FUTURO

Prevejo todas estas coisas acima. Posso prevê-las porque os potenciais estão aqui. Potenciais idênticos a estes foram vistos antes, em outras sociedades que chegaram ao ponto em que vocês estão agora, com a Ciência semelhante à que vocês têm. Posso prever isto porque já aconteceu antes, e alguns que estão nesta sala entenderão que “a bola está rolando” . É inevitável. Neste exato momento, existem cientistas que estão tendo insights que levarão a estas mesmas descobertas no futuro. Tudo isto está vindo ao encontro de vocês. Existe uma progressão lógica para o pensamento e a sabedoria. Vocês andam antes de correr e, portanto, posso lhes dizer que estas coisas estão chegando.Deixem-me contar-lhes uma coisa sobre esta sala onde vocês se encontram – não tenham medo! [Kryon fazendo graça]. Sabem que existem coisas invisíveis nesta sala que são perigosas? Sabem que agora mesmo, nesta sala, existem coisas invisíveis movendo-se furtivamente por aqui e que podem levar a doenças, se vocês não tiverem cuidado? Sabiam disto? Elas estão aqui com vocês! Epa!…Mas não tenham medo, porque são apenas germes!Agora, se eu tivesse dito isto há 100 anos atrás, ninguém acreditaria. “Ah, isto não passa de conversa esotérica; tal coisa não pode ser real! ” Muitos dariam gargalhadas diante desta ideia. Mas a sua Ciência tornou isto real para vocês. Quando desenvolveram instrumentos que poderiam ver os minúsculos atributos de vida, todo um mundo novo se abriu. Ele estava escondido, até então, mas de repente a Ciência o tornou real. Estão percebendo onde quero chegar com isto? Queridos, vocês têm a incumbência de chegar a um ponto em que sua Ciência, sua Física e seu Conhecimento comecem a se unir às confluências de uma consciência nova e mais sábia. Vocês terão novas invenções, e estas descortinarão muitas áreas que lhes serão tremendamente úteis.Estas invenções lhes assegurarão toda a água que precisarem para cultivar o que quiserem e para beber, em quase todos os lugares da Terra. O sal dos seus oceanos será facilmente removido com invenções eficientes que usarão o magnetismo. A energia será obtida com mais facilidade e produzida em abundância, com aquecimento gratuito e abundante. O crescimento populacional não será um problema, pois a consciência mais elevada criará a sabedoria para se saber quando ter filhos e se é oportuno tê-los (como os indígenas vêm fazendo há milhares de anos). Um dia vocês olharão para trás e dirão: “Como éramos tolos! Não sabíamos nada de nada; é até espantoso que tenhamos sobrevivido.” Estou lhes contando isto devido ao que está por vir. Isto me leva a falar sobre a consciência Humana.

A CONSCIÊNCIA HUMANA

O que vocês acham que a consciência é? “Bem, Kryon, é o pensamento. É o jeito que as pessoas pensam. Pode-se dizer que consciência é a descrição do paradigma do pensamento.” De fato é! Mas vocês deixaram de lado a avaliação de pensamento superior e inferior. O que aconteceria se vocês desenvolvessem instrumentos que conseguissem realmente ver a consciência? “Kryon, você quer dizer que ela é visível?” Claro, ela é física! O que acontece quando alguém está frustrado e seu computador trava ou uma bateria descarrega? Isto não é uma interação com coisas físicas? Uma descoberta importante, usando satélites meteorológicos, mostrou uma correlação constante entre variações na intensidade do campo magnético e a consciência coletiva de compaixão Humana. Em outras palavras, ao contrário do que supõe o conhecimento predominante, o campo magnético reage a desastres e celebrações mundiais!(2) A consciência está relacionada à Física. Com o equipamento certo, um dia vocês enxergarão os padrões. Isto está chegando.

OS PRÓXIMOS PADRÕES DA HUMANIDADE

Quero lhes revelar algo que nunca revelei antes… como serão os padrões de consciência da Humanidade. Bem, nós estabelecemos a premissa de que a Física Multidimensional tem o potencial de revelar muitos padrões de coisas antes invisíveis. Quase tudo que envolve energia quântica terá padrões para serem vistos. Não é surpresa nenhuma. Como vocês acham que seriam os padrões, se pudessem enxergar a consciência de uma pessoa? Estamos falando da consciência individual e não da consciência de massa. Este padrão será físico, individual e terá um campo. Finalmente, graças a isto, ela será mensurável e terá uma padronização – a sua padronização pessoal.

Acham que isto é exagero? Se descobertas e experimentos simples já captaram a Física da alteração da consciência coletiva, por que duvidar que isto será aprimorado no futuro? Como será isso? Vou lhes dar dois exemplos. Os dois maiores produtores de energia de consciência estão em pares: medo e ódio, compaixão e amor. Eles se encontram nas duas extremidades do espectro e ambos são poderosos, extremamente poderosos. Eles podem disparar alarmes; podem travar o seu computador; podem abrandar seu coração; podem afetar sua química, e podem fazer isto através da sala ou através do planeta. Vocês nunca se sentaram em uma sala onde alguém estava com raiva e vocês perceberam? Isto é palpável; vocês podem senti-lo. Quando isto acontece, vocês não querem permanecer lá; vocês têm vontade de ir embora. Quando alguém está bravo ou com raiva, vocês dizem: “Há uma nuvem escura aqui.” , porque estão sentindo a energia e seu padrão específico. Seria uma energia diferente se a pessoa fosse um mestre e estivesse vibrando amor? Sim! Então vocês diriam: “Amo este lugar! Quero ficar aqui e absorver este sentimento.” Vocês acabaram de definir o padrão de consciência!

Toda energia, em qualquer lugar do Universo, tem um jeito de ser medida e vista. Sempre haverá um modo de enxergar padrões em tudo. Podem começar como simples ondas, mas, com o tempo e melhores instrumentos, serão vistos padrões elegantes. Aqueles que estiveram no mesmo ambiente que os grandes mestres deste planeta sentiram o amor intenso e a compaixão da fonte criativa. Estes vêm em ondas de euforia; e fazem as pessoas chorarem de alegria porque estão conectadas a tudo. Isto é energia! Percebem o que estou dizendo? Pode-se medir o amor? Sim! Ele é padronizado e vocês podem vê-lo. Todo um novo mundo acabará se abrindo. Deixem-me mostrar-lhes o que são os padrões.

PADRÕES INFERIORES

Agora, estas são as previsões. Mas são previsões devido ao potencial que está a caminho. O potencial é tão forte que é uma certeza! Chegará um dia em que estes padrões poderão ser vistos. Quando forem padrões de consciência Humana, vocês verão algo muito interessante. Os padrões dos quais vou lhes falar agora serão validados quando isso ocorrer. Esta canalização será ouvida por milhares de pessoas, portanto será fácil de ser encontrada para referência.

Primeiro, falemos sobre a consciência que é a mais baixa, mas muito poderosa. Entendam que a consciência inferior traz consigo um poder incrível, da mesma forma que a consciência superior. Entretanto, inferior e superior não são medidas do seu poder efetivo, mas apenas uma medida de vibração. Não confundam isto com frequência, pois a tecnologia disto não é tão linear. O que é visto na padronização é a vibração do pensamento e aonde ele pode ir ou aonde ele não pode ir, ou o quanto ele é restritivo ou expansivo. Poder, ou força, é algo muito profundo. Vocês já sabem disto. O poder do ódio cria o mal, e o medo é muito forte. O poder do medo pode escravizar nações se elas não tiverem cuidado. Vocês conhecem este poder devido ao seu passado. Então, falemos sobre o padrão específico que ele vai criar num instrumento que está para chegar, quando for medido em um indivíduo que tem esse atributo.

A consciência inferior criará padrões extremamente básicos e simples. Estes padrões criarão ou emanarão um círculo forte – uma confluência de energias que se juntarão para formarem uma barreira contra vibrações superiores. Parecerá um círculo ao redor do indivíduo ou da energia de consciência que o indivíduo está criando. O círculo é como uma prisão padronizada, ou um fractal básico que não se repete. Ele se mantém dentro de si mesmo, e o padrão não terá consciência de nada que esteja fora do seu próprio círculo. A força vem do fato de ele ser tão poderoso, que outros podem ser influenciados por ele e facilmente se unirem a ele, formando um círculo mais forte. Este círculo se tornará mais amplo e maior em sua capacidade de aprisionar consciência ao seu redor, tornando-se um círculo maior ainda, mas continuando a ser apenas um círculo único.

Talvez estejam pensando que estou falando numa linguagem que vocês não entendem. Pode ser que sim, mas o fato é o seguinte: ele é simples. É um recipiente que é um círculo e que não consegue enxergar nada do lado de fora de si mesmo; só enxerga a si mesmo, e só sabe do seu próprio mal. Ele faz julgamentos e toma decisões baseadas apenas no que conhece dentro de si próprio. Esta é a consciência inferior. Sua programação é ela mesma, e ela não consegue ver nada mais. O círculo pode escravizar aqueles que estão pensando do mesmo modo; pode tornar-se um círculo maior, mas nunca pode sair de si mesmo; não consegue ver além daquilo que ele conhece. Não existe nenhum padrão fora do círculo que pertença ao círculo. Ele é restritivo, limitador. Será profundamente óbvio: simples, de baixa vibração e sobrevivência básica.

PADRÕES SUPERIORES

Falemos agora do outro padrão. Esta é uma consciência mais elevada, de amor, compaixão, pensamento generoso, carinho e integridade. Como se parece? Esperem, porque não posso lhes dar a informação toda… Essa consciência cria fractais múltiplos. Cria uma confluência de energia que, por sua vez, cria mais de si mesma em forma de harmônicos de si própria [muito mais fractais de frequências superiores, que são múltiplos específicos do original]. Estas ondas fractais irradiam para fora, ampliando o que está ao redor delas num ciclo infinito. Essa consciênca é expansiva, é cativante, é estruturada de um modo complexo; e os harmônicos criam outros fractais muito além do seu próprio âmbito. Ela tem uma influência junto a outras matérias em todo lugar.

Então, do mais simples ao mais complexo, o que vocês percebem que é a verdadeira diferença entre os dois padrões? Um é restritivo e poderoso em sua singularidade. O outro é expansivo e poderoso em sua expansividade múltipla. Até este momento, queridos, a consciência Humana neste planeta vem tendendo a se fechar no círculo da vibração mais baixa possível: ódio, guerra, atitudes críticas, grosseria, indelicadeza – porque tudo isto fazia parte da sobrevivência. Vencer era a única coisa dentro do círculo. Foi assim que os Humanos sobreviveram! Depois passou a ser grupo contra grupo, nação contra nação, círculo contra círculo, e foi isto que vocês obtiveram deste padrão. Ele criou morte em massa e uma tristeza incrível. Humano contra Humano foi outra coisa que vocês obtiveram. E o padrão circular era aquele onde a consciência não podia se expandir. Então, tudo o que ela fazia era repetir-se, repetir-se, repetir-se. Bem-vindos à história deste planeta!

Não havia nenhum harmônico para enviar para fora, e não havia nenhuma expansividade. Não havia nenhum crescimento, apenas estagnação, e ela se repetia. Ela não tinha para onde ir, uma vez que não conseguia “enxergar” nada superior a ela mesma.

Queridos, a energia deste planeta vai mudar os velhos padrões. Os padrões de consciência encontram-se nos atributos da grade magnética do planeta, conforme alterados pela heliosfera do sol. Esta grade, combinada com o novo lugar que vocês ocupam no espaço [para onde seu sistema solar está se dirigindo], vai modificar os padrões destes dois exemplos de consciência e vão fazer com que o mais complexo – o dos fractais – seja muito mais poderoso do que o da sobrevivência básica. Conseguem entender isto? A nova energia está mudando o modo da humanidade reagir a outros fractais Humanos! Está na hora de crescer! A consciência Humana vai evoluir e não haverá mais uma escala de luz e sombra como a balança da justiça, porque a influência do mal terá um peso muito menos poderoso em relação às vibrações harmônicas e compassivas. A luz simplesmente superará os padrões simplistas do mal por uma margem enorme!

AS TREVAS NÃO CONSEGUEM ENXERGAR PARA ALÉM DE SI MESMAS

Quero lhes oferecer, mais uma vez, uma prova de algo incomum e muito revelador do modo que as baixas vibrações funcionam. Na primeira canalização deste ano [2016], falei sobre o jovem líder norte-coreano. Vou falar de novo, como um exemplo profundo de como a consciência inferior não consegue enxergar acima de si mesma. Isto significa que ela só consegue trabalhar com o que enxerga e conhece. Por mais poderosa, esperta e intelectual que ela pense que é, não consegue sair do seu próprio círculo.

O ex-líder da Coreia do Norte foi um egotista clássico. Quando ele faleceu, seu filho assumiu e poderia fazer qualquer coisa que quisesse. Este menino vinha observando seu pai há décadas e sabia que algum dia ele próprio teria que assumir a liderança. Naturalmente, ele herdou os atributos que seu pai lhe ensinou de presunção e ostentação e também passou a ser conduzido pelo máximo do egocentrismo. Quando assumiu o poder, ele teve a oportunidade de fazer mudanças que lhe permitiriam ser maior ainda do que seu pai. Ele queria algo que elevasse seu nome e sua posição à situação mais egocêntrica que se possa imaginar. Seu pai era o modelo, e naquele momento, ele poderia fazer o que bem entendesse para ser ainda mais famoso. O que aconteceu é clássico. Ele perdeu completamente a maior oportunidade que qualquer homem teve de se tornar a pessoa mais famosa e amada na Terra. Esta idéia nunca lhe ocorreu. Embora tenha sido educado no mundo ocidental, ele a deixou escapar.

Se tivesse considerado o caminho mais elevado e incluído o planeta todo ao invés da população limitada do seu próprio país, ele teria sido o líder mais famoso e querido da Terra, por toda sua vida. No momento em que assumiu, ele só tinha que pensar além do seu círculo. Ele estava na posição rara de um “curinga”, onde poderia fazer algo incrível – como unificar a Coreia do Norte e a do Sul, acabar com a zona de morte que havia entre as duas nações, unir novamente as famílias depois de gerações de separação, suspender os programas nucleares dos quais ele não precisava, a não ser para parecer importante, e assim, dar a seu povo abundância, alimento para todos e paz em sua região. Toda a Coréia o adoraria e a Terra daria um suspiro de alívio em agradecimento pela sua sabedoria e coragem.

Ele seria ovacionado em pé ao entrar no salão das Nações Unidas e todos se curvariam diante dele e lhe ofereceriam os maiores prêmios de paz. Seu ego seria afagado, afagado e afagado, e ele seria infinitamente maior do que seu pai jamais fora. Mas isto nunca lhe ocorreu. Ao contrário, ele perpetuou a caixa escura que herdou, e agora preside a energia mais baixa possível, representando a energia mais perigosa e repudiada do planeta. À custa de manter seu povo pobre e depauperado, e criando instabilidade em sua região, ele consegue ser uma pessoa poderosa e famosa por um momento no tempo, em um pequeno povoado. Ele não durará muito. Ele não consegue ver que o que está fazendo não tem o apoio da maioria da população do planeta, e que ele vai perder tudo.

Não é interessante que o círculo seja tão forte a ponto de manter a baixa vibração sempre baixa? Tudo isto está começando a mudar, queridos. Se observarem as pessoas individualmente e a forma que elas agem, vão ver que a mudança está chegando. Vocês vão reconhecê-la.

OS INDIVÍDUOS

Digamos que um indivíduo se aproxime de vocês com muita raiva. Ele é rude e indelicado. Tudo que sai de sua boca é grosseiro e detestável. Quando vocês saem dessa experiência, ficam pensando: “O que há de errado com ele?!” Quero lhes dizer o seguinte: não há nada de errado com ele. Ele simplesmente está investindo na sobrevivência. Indelicadeza e grosseria vão chamar a atenção e fazer com que esse indivíduo seja notado. Elas carregam uma energia que, embora talvez não lhes agrade, impõe atenção e até mesmo autoridade, através do medo. Repito, vocês podem não gostar, mas é disto que uma pessoa como essa sobrevive, e muitas são assim. Numa energia antiga, isto funcionava para elas, e essas pessoas não conseguem ver nada que possa substituir esse tipo de comportamento. Para elas, isso garante que elas sobreviverão num mundo onde todos querem o que elas possuem. De fato, muitas culturas de hoje – ainda hoje! – continuam investindo na grosseria, porque dizem que compaixão e bondade é sinal de fraqueza. Pensam: “Não vamos conquistar ninguém com bondade e compaixão. Isto é para os fracos deste planeta!” Do ponto de vista dessas pessoas, elas não podem sair do círculo da sobrevivência, então até hoje abordam os outros com baixa energia, grosseria e indelicadeza. Elas não têm nem ideia de que exista algo melhor.

Hoje em dia, quando vêem isso, vocês estão começando a sentir que é algo que não querem. A maioria dos Seres Humanos está cansada desse tipo de abordagem e está procurando um modo muito mais elegante de ser. Uma pessoa compassiva não é, de forma alguma, uma pessoa fraca. A energia que envolve uma pessoa compassiva é convidativa, acolhedora. Enquanto a que envolve uma pessoa rude os repele, os empurra para fora. Conseguem perceber as diferenças das quais estamos falando? Qual dessas duas vocês prefeririam ter?

Eu apenas lhes apresentei padrões. O que estou lhes dizendo é o seguinte: a consciência Humana está começando a se elevar acima do que era, porque a proporção entre luz e trevas do planeta mudou, e a luz está começando a vencer. Isto significa que compaixão, integridade e bondade irradiam uma luz tão intensa, que as pessoas as verão muito mais fácil e rapidamente do que a indelicadeza e a força. Grosseria e descortesia vão acabar sendo vistas como comportamento disfuncional e vocês se afastarão delas. Elas dizem muito a respeito da energia da pessoa, do ponto onde ela se encontra e o que ela pensa. Para muitos, esse é o velho modo de sobreviver. Mas o novo tipo de sobrevivência será uma consciência elevada e leve, e muitos vão começar a vê-la.

Aqueles que têm atributos mais elevados vão viver mais tempo. Acabarão tornando-se seus líderes, e isto é o que vocês querem. As eleições vão mudar por causa disto, os negócios vão mudar por causa disto, e vocês vão ver mais luz, mais compaixão e soluções mais reais devido ao efeito cascata, onde os harmônicos dos fractais vão para todo lugar. Quando vocês são compassivos, todo mundo percebe isto. Sabem que uma pessoa compassiva é considerada de confiança? Segura, de confiança! “Vamos ficar junto dessa pessoa porque ela ouve e porque é agradável sentar perto dela. Sentiu a energia ao redor dela? Não é maravilhosa?”

Estes indivíduos equilibrados dão uma impressão de segurança… é seguro estar junto deles. Eles não vão feri-los; não vão competir com vocês, nem vão lhes dizer coisas indelicadas ou insensíveis; eles vão ouvi-los e amá-los. Vocês vão querer isto nos negócios, não vão? Ou isto é estranho demais para vocês? É estranho demais pensar que, no futuro, este será o normal? Vocês serão capazes de ver e medir esse padrão e, inclusive, de saber como ele funciona. Isto vai mudar o planeta!

Isto não é apenas Ciência, queridos. A consciência Humana vai acabar saindo da sobrevivência. Ela vai sair da escuridão e entrar num tipo de sobrevivência mais elegante – um sistema no qual os que sobreviverem serão capazes de juntar as coisas elegantemente, e não através de conquista violenta e destruidora. Estas serão pessoas normais que enxergarão acima do julgamento e das diferenças dos sistemas de fé. São indivíduos que verão Deus em todo lugar, em todos os sistemas, e esperam coisas boas em primeiro lugar. Eles verão as diferenças dos sistemas de crenças do mesmo modo que veem diferenças na escolha do tipo de alimentação. Assim será [e assim é] o Ser Humano sábio e equilibrado.

Tudo isto está chegando, e algumas coisas já estão aqui. Era isto que eu queria lhes dizer nesta mensagem.

Onde vocês estão? Qual é o seu padrão? Estão começando a sentir a realidade disto tudo? Está começando a ficar seguro, queridos. É seguro relaxar, baixar a guarda um pouco, olhar ao redor e ser mais compassivo e mais bondoso. Alguns de vocês ainda estão esperando algo ruim. É como se tivessem saído de uma caverna e ainda não estivessem totalmente seguros de que o tigre de Bengala tenha realmente ido embora. Os tigres são a velha energia, e eles estão fugindo em todas as direções. Os remanescentes desta energia antiga – o mal e as trevas – estão perdendo terreno por todo lado. A realidade da diminuição dessa escuridão está em todos os lugares; e ela está começando a se mostrar, a se concentrar, sabendo que seus dias estão contados. Quando virem esta luta, saibam que é uma boa notícia. Significa que está chegando o fim da consciência deste velho mundo.

Se fizerem uma pesquisa nas nações do planeta, entre homens e mulheres com famílias, verão que eles querem paz! Eles não querem conquistar uns aos outros, e não querem líderes que façam isso. Eles não querem aniquilar uns aos outros por recursos escassos ou apenas para serem mais poderosos. A maré mudou e a consciência do planeta também deseja, intensamente, o que cada mãe e pai deseja para seus filhos. Isto é o início de um movimento de centenas de países se unindo e planejando modos de criar uma paz equilibrada e uma unidade – para se relacionarem bem e progredirem. Diferenças culturais sempre existirão. Mas compaixão e equilíbrio são atributos comuns a todos os Seres Humanos. Vocês todos têm muitas coisas em comum que a nova sabedoria vai lhes mostrar.

Vocês não tinham este equilíbrio há 100 anos atrás. É isto que é diferente hoje e que é diferente para o seu futuro. Vocês vão parar de repetir o passado e, em vez disto, vão crescer em maturidade e na sabedoria dos belos fractais e harmônicos da compaixão.

Bem-vindos à Nova Terra! Ela está chegando!

E assim é.

KRYON

—-…..—==II==—-…..—-
OBSERVAÇÕES IMPORTANTES-(1) Esta canalização ocorreu alguns dias antes da descoberta das ondas gravitacionais pela LIGO Scientific Collaboration, no dia 11 de fevereiro. Considerada uma das maiores descobertas da Física, ela ajuda a provar as ideias originais de Einstein, apresentadas há quase exatamente 100 anos atrás, em 1916.
(2) https://www.heartmath.org/research/global-coherence/
Esta informação é gratuita e está disponível para que a imprima, copie ou distribua como desejar. No entanto seus Direitos Autorais proíbem sua venda de qualquer forma, exceto pelo editor.
Lee Carroll
Fonte: http://www.kryon.com/CHAN2016/k_channel16_sanantonio-16.html

Inspiração e Recomendação…

LIVROS DE KRYON

Os livros estão disponíveis em português nos links abaixo;

Monicavox

Nosso universo pode existir dentro de um buraco negro???

A maioria dos cientistas concorda que nosso universo foi moldado por um Big Bang, uma enorme explosão que ocorreu bilhões de anos atrás.Mas de onde ela veio? Uma teoria criada por um grupo de físicos sugere que nosso universo esteja dentro de um buraco negro.Neste caso, o ele seria apenas um de muitos outros, e os buracos negros podem ser as passagens entre eles.

Buracos negros e a criação de universos

O Dr. Nikodem Poplawski, da Universidade de New Haven (EUA), é um dos defensores desta teoria.Os buracos negros são geralmente considerados “armadilhas mortais”, com uma gravidade que funciona como um vácuo de alta potência de onde nada, nem mesmo a luz, pode escapar.Pensa-se que eles estão no centro de cada galáxia, incluindo nossa Via Láctea. Poplawski crê que, uma vez que esses buracos negros alcançam o limite de sua singularidade, isso leva a um grande estrondo.

O motivo desse limite (e, posteriormente, da explosão criadora de universo que se segue) é que os buracos negros giram. Eles giram a velocidades próximas da luz. Isso, por sua vez, produz uma enorme quantidade de torção. Assim, tais buracos negros maciços não são apenas extremamente pequenos e extremamente pesados, como também são torcidos e comprimidos.

As forças agindo sobre esse objeto são tão poderosas que um ponto de ruptura é finalmente atingido. Essa teria sido a forma como o Big Bang aconteceu.

Multiverso

A ideia dos buracos negros para explicar o Big Bang é apoiada pela teoria do multiverso.Mas, embora seja um pensamento provocativo, alguns cientistas veem grandes problemas na hipótese.Por exemplo, o Dr. Michio Kaku não acha que o Big Bang descreve efetivamente o nascimento de nosso universo, argumentando que a teoria das cordas poderia explicá-lo melhor.

Parece cada vez mais plausível que vivemos em um multiverso

Poderia o nosso enorme universo ser apenas um de muitos?Cada vez mais os físicos acham que sim;Antes cautelosos com a hipótese de multiverso, os cientistas agora estão mais inclinados a esta forma radical de pensar, em parte porque ela ajuda a explicar por que nosso universo é o único com os ingredientes físicos certos para tornar a vida possível.Até agora, não encontramos nenhuma outra forma de vida em nenhum outro local que não a Terra. Pelo menos não no nosso universo.A teoria do multiverso, se for verdadeira, pode sugerir que a vida é mais comum do que pensamos – ela pode existir também em outros universos.O problema dessa hipótese, no entanto, é como testá-la.

Os defensores da ideia de multiverso devem mostrar que, entre os universos raros que sustentam a vida, o nosso é estatisticamente normal. A dose exata de energia do vácuo, a massa precisa do bóson de Higgs e outras anomalias devem ter chances altas de surgirem dentro do subgrupo de universos habitáveis.

Se as propriedades desse universo ainda parecerem atípicas mesmo no subconjunto habitável, então a explicação do multiverso é falha.
Mas o infinito sabota a análise estatística. Em um multiverso eternamente inflado, onde qualquer bolha (qualquer universo) pode se formar infinitamente, como medimos o que é “típico”?

Em um único universo, vacas nascidas com duas cabeças são mais raras do que vacas nascidas com uma cabeça. Mas, em um multiverso infinitamente ramificado, há um número infinito de vacas de duas cabeças e um número infinito de vacas com uma cabeça.

Como fica essa relação, então?

Durante anos, a incapacidade de calcular as razões de quantidades infinitas impediu a hipótese do multiverso de fazer predições testáveis sobre as propriedades deste universo múltiplo. Para a hipótese amadurecer em uma teoria da física de pleno direito, a questão da vaca de duas cabeças exige uma resposta

“O Big Bang não diz o que explodiu, quando explodiu, como explodiu. Apenas diz que isso aconteceu. Precisamos de uma teoria que vá antes do Big Bang, como a teoria das cordas. Ela diz que possivelmente dois universos colidiram para criar o nosso, ou talvez nosso universo venha a partir de outro”, afirma Kaku.

Nosso universo foi criado por um buraco negro de quatro dimensões?

Com base no que sabemos do nosso universo, muitos cosmólogos – e um popular seriado de televisão – acreditam que tudo começou com o Big Bang. Entretanto, muitas questões permanecem. É por isso que um astrofísico canadense sugeriu que há uma outra possibilidade: talvez nosso universo tenha começado com um buraco negro 4D.

Escrevendo na revista Nature, a jornalista especializada em ciência Zeeya Merali explica a teoria sugerida pelo astrofísico Niayesh Afshordi, do Instituto Perimeter de Física Teórica.

Segundo ela, o modelo padrão do Big Bang indica que o universo explodiu a partir de um ponto infinitamente denso, também conhecido no meio científico como uma “singularidade”. “Ninguém sabe, porém, o que teria provocado essa explosão: as leis conhecidas da física não podem nos dizer o que aconteceu naquele momento”, escreve.

Afshordi e seus colegas acreditam que o nosso universo tridimensional é apenas uma membrana que flutua através de um universo maior – este com quatro dimensões espaciais. A equipe de Ashfordi percebeu que, se esse universo maior contém suas próprias estrelas de quatro dimensões, algumas delas podem entrar em colapso, formando buracos negros 4D, da mesma forma que as estrelas maciças do nosso universo o fazem: elas explodem como supernovas, violentamente ejetam suas camadas exteriores, enquanto as camadas interiores se transformam em um buraco negro.

Em nosso universo, um buraco negro é limitado por uma superfície esférica chamada de horizonte de eventos. Enquanto que, no espaço tridimensional comum, é preciso um objeto bidimensional (uma superfície) para criar uma fronteira dentro de um buraco negro, no universo maior, parte do horizonte de eventos de um buraco negro 4D seria um objeto 3D – uma forma chamada de hiperesfera. Quando a equipe de Afshordi estudou o modelo da morte de uma estrela 4D, eles descobriram que o material ejetado formaria uma membrana tridimensional que envolveria o horizonte de eventos 3D, e se expandiria lentamente.

Os autores argumentam que o universo 3D em que vivemos pode ser apenas uma espécie de membrana, cujo crescimento é detectado pelos cientistas como expansão cósmica, de uma estrutura maior. “Os astrônomos medem essa expansão e extrapolam ao afirmar que o universo começou com um Big Bang – isso é apenas uma miragem”, afirma Afshordi.

A teoria de Afshordi poderia ajudar na explicação da temperatura uniforme do universo (que permanece sendo um mistério). Suas ideias também podem fornecer pistas para a compreensão do famoso evento do Big Bang. O que desencadeou esse hipotético evento, que teria transformado uma singularidade em uma enorme explosão, sempre em expansão?

“Pelo que todos os físicos afirmam, dragões poderiam ter surgido voando para fora dessa singularidade”, diz Afshordi. O ponto positivo da nova teoria do canadense é de fato explicar a explosão inicial e suas consequências.

Visão pessoal….

Um buraco negro tecnicamente suga tudo ao seu redor – deixar escapar qualquer coisa não é algo que se vê todo dia. Mas a sua força pode enfraquecer lentamente, se o universo tiver dimensões extras, não conhecidas, algo que os pulsares poderiam nos ajudar a descobrir.A teoria das cordas, que tenta unificar todas as forças conhecidas, diz que existem dimensões espaciais extras, além das três que conhecemos. Porém, testar essa teoria não é nada fácil.Agora, pesquisadores dizem que buracos negros orbitando estrelas de nêutrons, conhecidas como pulsares, poderiam provar a teoria, se pesquisas cósmicas conseguissem localizar tais pares.Os cientistas acreditam que buracos negros perdem massa ao longo do tempo por causa das partículas que emitem, um fenômeno chamado radiação Hawking.Sem dimensões extras, este processo está previsto para ser dolorosamente lento para buracos negros gigantes, que pesam algumas vezes mais do que o sol, tornando qualquer medição impossível.Dimensões extras ofereciam as partículas mais formas de escapar, acelerando o processo. Esta perda de peso rápida afrouxaria a força (puxo) gravitacional de um buraco negro sobre todos os objetos em órbita, levando-os a “espiralar” para fora alguns metros por ano.Um pulsar em órbita de um buraco negro poderia revelar essa distância. Isso porque o tipo de radiação que os buracos negros emitem variaria um pouco, dependendo do tamanho da estrela em órbita.Se o distanciamento puder ser provado, muito provavelmente a teoria das cordas também.

Inspiração….

Buracos Negros – Instituto de Física Teórica – Unesp

Buracos Negros G áalcticos – Instituto de Física / UFRJ

Stephen Hawking e os Buracos Negros (PDF Download Available)

Monicavox

Recomendo….

Resultado de imagem para imagens sobre livros sobremichio kaku buracos negros

Resultado de imagem para imagens sobre livros sobre buracos negros

Resultado de imagem para imagens sobre livros sobre buracos negros

 

 

 

 

O MARCO PRINCIPAL: O ORGANISMO ULTRACOERENTE

O fato do organismo vivo ser coerente como um todo não nos surpreende, o que é surpreendente é o grau e a forma de sua coerência. A coerência do organismo vai além da coerência de um sistema bioquímico em alguns aspectos; ela consegue atingir a coerência de um sistema quântico.Evidentemente, se os organismos vivos não devem sucumbir ás restrições do mundo físico, suas partes componentes e seus órgãos precisam estar correlacionados com precisão, e, no entanto, com flexibilidade uns com os outros.

Na ausência de tal correlação, os processos físicos logo desagregariam a organização do estado vivo,aproximando-o do estado inerte de equilíbrio térmico e químico, no qual a vida como a conhecemos, é impossível.Sistemas próximos do equilíbrio são, em grande medida, inertes, incapazes de sustentar processos como o metabolismo e a reprodução, que são essenciais para o estado vivo.Um organismo está em equilíbrio térmico e químico quando está morto.Enquanto está vivo, está em equilíbrio DINÂMICO, no qual armazena energia e informação, mantendo-as disponíveis para que desempenhem e direcionem as funções vitais.

Em um organismo complexo, como o corpo humano, o desafio de se manter o equilíbrio dinâmico é gigantesco.Não há no corpo, uma substância que seja constante, embora as células do coração e do cérebro vivam mais tempo que a maioria.E as substâncias que coexistem em um dado tempo produzem milhares de reações bioquímicas no corpo a cada segundo.

Sempre existe algo novo, algo que resulta de uma combinação, de uma criação, e que ocorre á medida que o processo permanece em andamento. Como uma Sinfonia, o organismo vivo pode mudar a tonalidade, a escala,mudar o ritmo, ou o tom, conforme a situação o exija, espontaneamente e sem hesitação. Há estrutura, mas a verdadeira arte está nas incessantes improvisações, onde cada um dos músicos, por menor que seja o seu papel, desfruta da máxima liberdade de expressão, enquanto permanece em perfeita harmonia com o Todo.

Vendo sob este prisma, podemos  juntar estas conexões todas que ocorrem no interior de um organismo e que abrangem os genes e chamá-lo de GENOMA.Ele se comprova dinâmico e adaptativo;quando desafiado, ele cria rearranjos complexos e praticamente instantâneos. Um exemplo é quando plantas e insetos ficam sujeitos á substâncias tóxicas e com frequência, produzem mutações no seu ” Pool Genético” precisamente de tal maneira, que desintoxica os venenos e cria resistência á eles.A resposta adaptativa do genoma também é evidente quando campos eletromagnéticos ou radioativos são irradiados sobre o organismo;isto também exerce um efeito sobre a estrutura de seus genes.

O QUEBRA CABEÇAS DE COERÊNCIA NOS ESTUDOS SOBRE A CONSCIÊNCIA

A consciência é o fato de nossa experiência que conhecemos de maneira mais íntima e imediata. Ela nos acompanha desde o nascimento, até, presumivelmente á morte. Ela é a única, e parece pertencer exclusivamente a cada um de nós. No entanto, a “minha” consciência pode não ser única e exclusivamente minha. As conexões que ligam a “minha” consciência com a consciência dos outros, e que eram bem conhecidas de” povos primitivos”, mas que, na verdade em muitos aspectos são altamente sofisticados–estão sendo redescobertas atualmente em experimentos controlados que envolvem a transferência de pensamentos e de imagens, bem como o efeito da mente de um indivíduo sobre a mente e o corpo de outro.


Sómente ao chegarmos á esse nível de consciência,poderemos experimentar a Consciência Cósmica.Ela se baseia em sermos conscientes em todos os momentos, e em não permanecer por mais tempo em estados de medo ou em erros conceituais. A Lei do Tempo diz que nunca se terá consciência contínua, a menos que se rompa com o tempo inferior e se dissolva o fator condicionante do medo, que nos mantém bloqueados na inconsciência. A maioria das pessoas caminha dormindo e pensa que isso é a vida.

Mas, há vários estados de se “caminhar dormindo”. O macro-encantamento do Calendário Gregoriano deve ser rompido e todos os outros encantamentos podem ser facilmente quebrados depois deste; Primeiro, rompemos o falso tempo e retornamos ao tempo harmônico natural, o AGORA.De acordo com a Lei do Tempo,no processo de evolução, criamos esta situação da Noosfera, que é um campo telepático universal. Só com o advento dela poderemos chegar aos seguintes níveis de evolução; a Hiperorgânica e a Superconsciente.

A Consciência Hiperorgânica refere-se á habilidade do humano para utilizar os órgãos dos sentidos como pontos de emissão de energia e consciência. Isto significa que os órgãos dos sentidos são expandidos telepaticamente para fora, o que dá como resultado fenômenos naturais tais como a Clarividência e a Clariaudiência;esta é outra condição total evolutiva.

Nesta etapa estaremos irradiando/emanando plasma através dos sentidos.Os plasmas são partículas subatômicas, eletronicamente carregadas, que saturam o campo inteiro do Universo. Recebemos plasma o tempo todo, já que tudo é feito dele. A direção consciente do plasma propicia o poder mental da telepatia, que só pode se desenvolver em uma etapa de Consciência Contínua, para emanar, através dos órgãos dos sentidos, o que a História Cósmica chama de “Campos Plásmicos”.

A etapa Hiperorgânica da Consciência é também o ponto de evolução onde o humano virá a ser Autotrófico de segunda etapa. Isto significa que o ser humano poderá ser como as plantas e poderá catalisar dinamicamente o sol, com a energia solar dentro de seu próprio corpo.A maioria dos seres humanos hoje é heterotrófica, dependem das plantas(ao invés de si mesmos), para catalisar energia solar. Os humanos estão evoluindo para auto-heterotróficos, o que significa que o humano não só poderá catalisar energia solar, como também poderá emana-la através dos sentidos, para criar  novos campos dos sentidos Hiper ou Super orgânicos.

A Superconsciência  é um estado virtualmente omnisciente da mente, onde se tem uma “sensibilidade de radar” em todo o campo da realidade. Isto está baseado na habilidade para estabelecer um campo sensorial hiperorgânico telepático, coletivamente unificado.Neste campo sensorial se terá pensamentos como;”Eu sou o planeta e o planeta está pensando este pensamento”. E se compreenderá que, na verdade, todos é que estão pensando esse mesmo pensamento.

Quando se alcançar a consciência subliminar, ver-se-á que a Superconsciência é o ponto mais elevado que se pode alcançar no lado orgânico da evolução. A Consciência subliminar se refere ao momento em que seremos entidades absolutamente desencarnadas, isto é, entidades em um nível de oitavas de Luz. Subliminar significa que se está operando independentemente do passado ou futuro, isto é,  as pessoas podem contatar diferentes entidades, em diferentes planos de existência. Já que a consciência subliminar é independente de passado e de futuro, poderemos nos afinar com ela em nível consciente.


Quando se entender o Banco Psi e a Noosfera, como contendo também os códigos de tempo para a liberação e estabelecimento da informação para diferentes mudanças e mutações no processo evolutivo, então ver-se-á que estamos nos equipando para a próxima e maior mudança evolutiva. Qualquer conhecimento que aproveitemos em relação á Noosfera e ao Banco Psi , acelera e precipita a mudança Quântica/Mental/Espiritual, em nossa inconsciência e em nossa autopercepção.

È surpreendente considerar que tudo isto foi realmente cronometrado e programado; Faz parte desse grande programa de Tempo Total, predominante na Noosfera, para chegar a um estado de máxima reflexividade.Tudo isto é informado pela História Cósmica.Este post tem o propósito de tornar consciente o programa da História Cósmica, que sempre existiu, mas que anteriormente era um programa inconsciente esperando para ser aberto neste encerramento de ciclo.

Agora, tentando abrir este programa, e o fazendo, estamos descrevendo o vasto armazém do conhecimento contido dentro desta História Cósmica e este ato está sim, sendo registrado na Noosfera, fazendo desta mesma História Cósmica, um componente diretor altamente consciente do Banco Psi e, portanto, um mecanismo guia da Noosfera.

“Nem memória nem consciência podem ser a limitação da existência. Há um estado de superconsciente. Tanto este como o estado consciente são privados de sensação, porém com uma enorme diferença entre si – a mesma diferença que existe entre o conhecimento e a ignorância. A concentração da mente é a fonte de todo conhecimento”

Swami Vivekananda

Visão pessoal….

A ascensão do novo Humano Planetário exige a necessidade de uma análise mais ampla e informativa;Este é o propósito da História Cósmica,que é o mais alto nível de informação e compreensão, á qual a história prévia chega a ser subordinada e pela qual vem a ser transformada e reparada.O padrão mais profundo do ser humano planetário é, precisamente,outro eterno retorno a mais um amplo ponto no aspecto evolutivo.Há dois tipos de ser humano;- O desperto e o não desperto; Ambos os tipos compartilham, em comum, o fato que suas vidas, sua mente e sua consciência, são moldadas por fatores tecnosféricos, que são realmente inoperantes,ou ainda irrelevantes.O humano planetário não desperto, opera inconscientemente das influências tecnosféricas, e crê que as formas relativamente tradicionais de pensamento ainda funcionam. O humano planetário desperto está consciente desses fatores de influência tecnosférica e vê a situação como a oportunidade para uma nova espiritualidade global. O humano não desperto opera com uma mente confusa, quase consciente, altamente polarizada e tênuamente alvorecida consciência global.O Humano Planetário do terceiro milênio, operará com uma compassiva consciência noosférica, afinada com a vida inteira do Planeta.A etapa final deste ciclo evolutivo do inconsciente humano planetário ou o híbrido mutante humano, está agora se concluindo. Neste momento final da história desta Era de Peixes com a entrada na Era de Aquário , a inteligência vai deixando aos poucos de ser limitada,por causa do habitual condicionamento e comportamento mecanicista e vai sendo substituída por uma inteligência emocional/espiritual, detonada por uma “dinamite”, que é a alavanca que faz voar aos pedaços o autolimitante  pensamento condicionado do ser humano, enquanto apresenta, simultâneamente, um método de estrutura e uma visão do novo conhecimento e das novas possibilidades, de modo que o ser humano possa sentir-se “refrescado , elevado e iluminado”,por sua própria contemplação.Em razão de estarmos neste ponto tangencial da Noosfera, temos de nos empenhar para aumentar a AUTOPERCEPÇÃO PLANETÁRIA UNIFICADA.Toda rixa, guerra e lutas não tem validade , já que somos um Ser Planetário. Tudo deve ser construído sobre esta base e todas as percepções acumuladas devem ser apagadas á luz da verdade de que há só uma tradição, uma espiritualidade, uma Terra ,um Ser.A História cósmica absorve todas as tradições, ensinamentos espirituais e civilizações e as coloca em um contexto mais elevado, sem negar nada de positivo ou negativo.È importante descrever a natureza do Humano Planetário de modo  que entendamos que a História Cósmica é uma espécie de psicologia cósmica ou descrição dos processos psicológicos cósmicos,ou estados da mente.Ainda,os inquietos humanos inconscientes na vida do mundo atual,são um aspecto desta psicologia cósmica.Todos criam um campo, que é um nível relativamente baixo de involução do espírito na matéria,especialmente no dia a dia cotidiano, no envolvimento com pessoas que estão buscando sua sobrevivência alimentar,nas batalhas por emprego e moradia ou qualquer coisa que faça suas vidas mais confortáveis,sem compreender que estão tratando do corpo físico, que nada tem a ver com sua Alma ou sua Consciência.Esses exemplos representam um dos mais baixos níveis da involução do espírito na matéria,onde a Consciência está presa por um processo inconsciente condicionante,ocasionando que os humanos se comportem automáticamente de alguma  forma–isto é o materialismo histórico.De fato,podemos definir o corpo inteiro coletivo do atual Humano Planetário, em sua ainda esmagadora  maioria, como um ser robótico, que responde rotineiramente a fatores condicionados que são estabelecidos e mantidos pelo programa de várias Matrix, onde uma delas é o Calendário Gregoriano.Metafóricamente,como um peixe dourado no aquário, os humanos não despertos involuídos não sabem que a água está suja, pois sempre viveram ali .Esta é a forma do campo mental coletivo da maioria deste tipo de Homem Planetário e é o campo mental  da História Cósmica, que vem como um feixe de energia ou raio de Luz, golpear este campo através de dois agentes específicos,2 tipos de seres humanos–o desperto e o não desperto–dando como resultado, uma aceleração para todos.Elevar-se ao conhecimento indubitável é elevar-se ao conhecimento sem nenhuma dúvida;esta é a única forma para que possamos ir além desta situação planetária.Isto significa que o Homem Planetário está passando por sua INICIAÇÃO.Isto significa dedicar o seu tempo para a busca da totalidade do Ser.De fato, não pode haver nenhum avanço dentro da Matrix de uma velha estrutura para uma Nova Matriz, sem uma iniciação, que significa sacrifício do velho em detrimento do novo.Este é um ponto crucial,individual e intransferível.

Inspiração…….

*HISTORIA COSMICA DE LA HUMANIDAD 

História Cósmica: infográfico mostra evolução do Universo em grande …

Astrosofia: A HISTÓRIA CÓSMICA DA TERRA

“Acessando seu Ser Multidimensional – Uma Chave para a História …

Monicavox

Recomendo….

Resultado de imagem para imagens sobre livros sobre a historia cósmica

Resultado de imagem para imagens sobre livros sobre a historia cósmica

 

Derretimento de geleiras está mudando a GRAVIDADE da Terra

Derretimento de geleiras gravidade da Terra

Para aqueles que acham que não existe mudança climática a resposta dos cientistas é: sua mais recente vítima do derretimento de geleiras na Antártica é a gravidade;Sim, aquela força fundamental da natureza, que por acaso também é constante, mas que, de alguma maneira, a mudança climática conseguiu ferrar.

Derretimento de geleiras e sua nova vítima: a gravidade

Essa é a conclusão de um estudo conduzido com dados da Agência Espacial Europeia (ESA, na sigla em inglês).

“A perda de gelo da Antártica Ocidental entre 2009 e 2012 causou um mergulho no campo gravitacional sobre a região”, escreveu a ESA, cujo satélite GOCE mediu a mudança.

Mas, calma: a alteração da qual estamos falando é muito pequena – os que desejam passar as férias na Península Antártica não vão sair flutuando em direção ao nada.

A pesquisa

Embora todos nós tenhamos aprendido que a gravidade é uma constante, ela varia muito pouco dependendo de onde você está na superfície da Terra e da densidade da rocha (ou, neste caso, gelo) sob os seus pés.

 Durante uma missão de quatro anos, o satélite da ESA mapeou essas variações e mudanças em detalhes sem precedentes e foi capaz de detectar uma diminuição significativa da gravidade na região da Antártica Ocidental onde o gelo está derretendo mais rápido que em qualquer região do planeta.

Os resultados foram alcançados através da combinação de medições do campo de gravidade feitas pelo satélite de alta resolução GOCE com uma missão de outro satélite chamado Grace, operado em conjunto pelos Estados Unidos e pela Alemanha.Os cientistas esperam ampliar esta análise para toda a Antártica em breve, o que poderia fornecer uma imagem ainda mais nítida do ritmo que o aquecimento global está tomando no continente gelado.

Pânico

A maior implicação dessas medições é que elas confirmam que o aquecimento global está mudando a Antártica de maneiras fundamentais.

Para se juntar ao coro de horrores que a mudança climática está causando, no início deste ano, uma equipe de cientistas anunciou que grandes geleiras da Antártida Ocidental começaram a colapsar de forma imparável,comprometendo o nível dos oceanos a uma subida de vários metros ao longo dos próximos cem anos.

As melhores estimativas atuais mostram que os mares globais poderiam estar até 1,27 metros mais altos até o final do século, em grande parte devido ao derretimento do gelo na Antártica Ocidental.

Pesquisas anteriores com dados de um terceiro satélite, CryoSat (também da ESA), tem mostrado que a perda de gelo nessa região aumentou três vezes desde apenas 2009, com 500 quilômetros cúbicos de gelo derretendo anualmente da Groenlândia e da Antártica (combinados).

Confirmada existência de vida sob o gelo da Antártida

Foi documentada a existência de micro-organismos vivendo muito abaixo do gelo da Antártida.Técnicas especiais de perfuração e extração permitiram que cientistas explorassem um ecossistema ativo de cerca de 800 metros abaixo da superfície do manto de gelo da Antártida Ocidental, onde vida foi encontrada em um lago intocado pela luz do sol ou do vento durante milhões de anos. A descoberta levanta a questão óbvias de quais outros ambientes extremos podem ser capazes de abrigar vida, tanto no nosso planeta como além dele.

Uma equipe liderada pelo professor John Priscu, da Universidade Estadual de Montana (EUA), trouxe amostras colhidas abaixo do gelo que continham micróbios unicelulares chamados Archaea, que convertem amônia e metano em energia para sobreviver e crescer. “Fomos capazes de provar de forma inequívoca para o mundo que a Antártida não é um continente morto”, disse Priscu em um comunicado.

Expedições semelhantes nos últimos anos descobriram ambientes sub-gelo cheios de bactérias, mas questões têm sido levantadas sobre a possível contaminação no processo de perfuração. O principal autor do artigo, Brent Christner, afirma que, com este último estudo, =há uma prova clara. “É a primeira evidência definitiva de que não há apenas vida, mas ecossistemas ativos debaixo da camada de gelo da Antártida, algo que temos nos questionado há décadas. Com este trabalho, podemos bater na mesa e dizer: ‘Sim, nós estávamos certos’”, comemora.

As condições abaixo desse manto de gelo da Antártida têm certas características em comum com lugares conhecidos em outros mundos de nosso sistema solar, o que leva muitos a se perguntarem se a vida pode ser ainda mais inevitável naqueles locais distantes do que se pensava anteriormente.

 A lua de Saturno Titã, por exemplo, é muito mais fria do que a Terra, mas é palco de grandes lagos de metano líquido que poderiam ser uma festa potencial de micróbios saudáveis ​​semelhantes aos que vivem sob o manto de gelo da Antártida. Também acredita-se que existam oceanos líquidos aquecidos por marés abaixo da camada de gelo da lua Europa, de Júpiter, e em outros objetos de nosso sistema solar. A NASA pode lançar uma missão para explorar Europa em algum momento na década de 2020.
Visão pessoal…
Uma grande parte da imponente camada de gelo da Antártida Ocidental começou a desmoronar e, aparentemente, seu contínuo derretimento não pode mais ser parado. Se esta descoberta, anunciada por dois grupos de cientistas no início desta semana, se sustentar, ela sugere que o derretimento poderia desestabilizar partes vizinhas da camada de gelo e um aumento no nível do mar em 3 metros ou mais pode ser inevitável nos próximos séculos.Os cientistas afirmam que o aquecimento global causado pela liberação de gases de efeito estufa provocada por ações humanas tem contribuído para desestabilizar a camada de gelo, embora outros fatores também possam estar envolvidos. Eles também acrescentaram que é provável que a ascensão do mar continue a ser relativamente lenta até o final do século XXI, mas em um futuro mais distante, pode acelerar significativamente, potencialmente jogando a sociedade em uma crise.Isso está realmente acontecendo e não há nada que possa parar o desmoronamento agora. Porém, o processo ainda está limitado pela física do quão rápido o gelo pode fluir.

 

O ser humano regido pelas Leis do Universo

Resultado de imagem para imagens sobre as leis cósmicasAs Leis Cósmicas são as grandes Leis que comandam o funcionamento do Universo. São Leis Universais que atuam de forma direta e permanente sobre todos os elementos constitutivos do universo, sobre toda a realidade cósmica. Essas Leis são tão perenes quanto o Universo e a Vida.

NADA É INDISCUTÍVEL NEM IMUTÁVEL. PORÉM , SÁBIO É AQUELE QUE SABE E ENTENDE AQUELAS LEIS QUE SÃO OS  VERDADEIROS VALORES PARA UM UNIVERSO DE LUZ E VIDA

Retomando as teorias sobre a origem do UNIVERSO e do HOMEM, estas Leis Cósmicas encontram sua origem também junto com o UNIVERSO. Se existe algo/força/Plenum Cósmico que é criador do universo, é também o criador das Leis que regem o Universo. Portanto, essas leis também evoluem de acordo com a evolução do universo, que é dinâmico. Ou, se o UNIVERSO nasceu com a explosão do Big Bag também as Leis nasceram com ele.

Se o UNIVERSO foi evoluindo, as Leis também evoluíram com o passar do tempo. Mas independente da sua origem, as Leis estão no UNIVERSO, e existem para manter a ordem, a harmonia do UNIVERSO e também das criaturas que fazem parte dele. Por isso,para  toda a ciência e para todo o estudo do homem através da filosofia e da espiritualidade, o importante é saber como essas Leis funcionam, e qual a interferência delas na vida de cada pessoa.

O HOMEM como Ser Humano, como integrante do Universo, está sujeito á essas leis Cósmicas. O ser humano é partícula física do Universo e é, também, um ser vivo. É necessário estar sintonizado com essas Leis Cósmicas para não provocar e sofrer atrito externo e conflito interior. Cabe por isso, a nós Seres Humanos conhecer estas Leis e as observar.

1a- Lei da Vibração

O que é vibração?
Vibração é “Vai e vem”, “Ir e vir” ir é dar; vir é receber.
Essa lei se expressa na realidade humana caracterizada no (Dar e Receber), no ser Útil e ser Valorizado. Dar e ser Útil são “Ir”, Receber e ser Valorizado é “Vir”. Por isso quando uma pessoa não se sente útil também não se sente satisfeita, mesmo que receba muito, como ocorre na superproteção.

2a- Lei da Evolução

O universo encontra-se em marcha contínua para frente. O mais importante é compreender que estamos integrados na contínua evolução universal. Existimos para crescer, evoluir, aprender, progredir, aperfeiçoar-nos, sermos felizes e ascendermos. A Lei da Evolução Contínua é infinita e mais forte que a nossa fragilidade de elemento cósmico. A felicidade estática de permanente desfrutar não existe. A felicidade somente será encontrada num processo evolutivo, como realização e satisfação daquele que se vêem crescendo. A evolução cósmica processa-se em todos os níveis, todos os sentidos, e todos os elementos.

3a- Lei da Direção

A lei da “direção” como lei cósmica é uma só; da matéria à energia, do mundo físico ao mental. No mundo físico é a Lei da Dinâmica, em sua manifestação mais “pura”. Um elemento não pode deslocar-se em direções diferentes ao mesmo tempo. A lei da direção no sentido psíquico se expressa da seguinte forma: Só podemos atingir um alvo de cada vez. E como é possível fazer rápido progresso, se só podemos programar um objetivo de cada vez? A lei determina um objetivo de cada vez, mas não fala de dimensão (tamanho) desse objetivo.

4a- Lei da Harmonia

No micro e no macrocosmo existe uma harmonia de forças, movimentos, ritmos, e equilíbrio de energias, harmonia é a unidade na variedade. O universo é um todo em harmoniosa evolução. A lei da harmonia, no sentido mental ou psíquico é “Um por todos e todos por um”. Todo objetivo programado precisa ter em vista o seu bem pessoal (felicidade), e o de todas as pessoas envolvidas.

5a- Lei do Impulso

É A mesma lei que fez o físico grego Arquimedes exclamar: “Dêem-me um impulso e um apoio e levantarei o mundo” Todo movimento está fundamentado num impulso inicial. A alavanca existe na medida em que há um apoio. Você só pode erguer o pé direito para dar um passo na medida em que o pé esquerdo encontre apoio no chão ou em qualquer superfície resistente. A segurança dos movimentos depende da segurança do apoio. A lei do Impulso encontra seu equivalente no mundo mental ou psíquico na lei da Gratidão. Quando agradecemos, reconhecemos que conseguimos algo e sempre que há motivo para agradecer; há o reconhecimento de que existiu um apoio. Quanto mais agradecemos, mais segurança adquirimos.

6a -Lei da Não-Resistência

A lei da Não-Resistência é também uma aplicação da lei da dinâmica. Quanto menor a resistência do atrito, por mais tempo se mantém um corpo em movimento. É para reduzir a resistência do atrito entre o eixo e a roda de um veículo que se usa lubrificante. No mundo psíquico, a lei da Não-Resistência encontra seu correspondente na lei do Perdão que é a própria Compreensão.

7a- Lei da Atração

Na realidade é a própria lei da criação expressa de outra forma, ou dito de outro modo, é uma lei derivada da lei da criação. Os semelhantes “se atraem”. Que semelhantes? O que está na mente (subconsciente), e o que está na realidade exterior prática ou existencial. Assim, quem tem programado em seu subconsciente que a vida é difícil, vai atrair dificuldades para sua vida. Outra forma de manifestação dessa lei é você cultivar pensamentos positivos na dificuldade.

8a- Lei da Afirmação

A repetição contínua de uma idéia desenvolve pensamentos e imaginação, até criar convicção a Fé. A Fé a que se refere esta Lei é totalmente ecumênica não tem nada com religião, mas sim com a certeza.

9a- Lei dos Opostos

Entre o Bem e o Mal, o Positivo e o Negativo, há uma relação de complemento e não de negação. “O problema não existe”, o que existe são obstáculos e dificuldades colocados em nosso caminho como desafio, que nos provocam ou nos chamam ao crescimento, ao desenvolvimento e a efetivação da lei da Evolução. Nós temos a mania de vestir as dificuldades e obstáculos como o “fantasma” do problema. O mal é desafio para a caminhada em direção ao aprofundamento na compreensão e a valorização da alegria. É a dor que nos permite experimentar a maior profundidade sensorial do prazer, somente o sofrimento nos permite dimensionar o valor e a grandeza da felicidade.

10a- Lei do Equilíbrio

A lei do equilíbrio no mundo físico encontra seu similar no principio da balança. Uma pessoa passa a ser negativista e perder o equilíbrio entre o positivo e o negativo, quando em sua mente fazem-se presentes mais as imagens negativas e com essas imagens tudo passa a dar “errado”. A decadência de um povo ou de uma nação inicia-se quando 50% + 1 das pessoas está negativa.

11a- Lei do Amor Próprio

É Lei que nos mostra o ensinamento ; “AMA  A TEU PRÓXIMO COMO A TÍ MESMO”, mas quem é o próximo; mais próximo; que está próximo de nós? Somos nós mesmos, portanto, devemos nos amar até o amor transbordar e, assim envolver tudo e todos em nossa volta. Esta lei é comparada com a maior de todas as leis: CRIAÇÃO.

12a- Lei da compreensão

Em primeiro lugar devemos compreender a nos mesmos; se observarmos a palavra compreensão vamos notar duas vogais (EE) juntas, isto é, como no verbo a primeira pessoa sou (EU) a terceira é (ELE), portanto, primeiro eu me compreendo para depois buscar compreender meu semelhante, ou seja Ele/o outro. A Compreensão encontra seu equivalente na lei do PERDÃO.

13a- Lei do Policiamento

Devemos policiar palavras, pensamentos, sentimentos, ações e emoções. O que sai de nossa boca não volta, com uma PALAVRA enaltecemos ou destruímos um pessoa ou a nós mesmos, por isso devemos policiar tudo que dissermos.

PENSAMENTOS; todos os pensamentos se transformam em imaginação, e a imaginação materializa-se.
SENTIMENTOS; Somos seres que vibram entre o positivo/negativo e passamos parte de nosso tempo oscilando entre Alfa e Ômega; policiar os sentimentos é ficarmos o máximo de tempo na freqüência mental Alfa.
AÇÕES; a forma como agimos faz toda a diferença em nossa vida! E como queremos viver? A vida é feita de escolhas e nossa escolha faz toda diferença.
EMOÇÕES; é muito importante colocarmos a certeza positiva em tudo, não só nas emoções, mas em todas as nossas escolhas. 

14a- Lei do Desejo

Especificar de modo claro tudo o que queremos (desejamos), todo desejo deve ter princípio, meio e fim, deve haver coerência, bom senso.

15a- Lei da Ousadia

É preciso ter muito mais coragem para viver do que para morrer. Ousado é aquele que faz tudo o que for melhor em seu favor com determinação e persistência, aguardando o tempo que for necessário sem jamais desistir de suas metas e seus objetivos.

16a- Lei da Certeza

A certeza é o mesmo que a fé, colocar a certeza em tudo não basta é preciso colocar a certeza positiva, portanto, a certeza encontra seu equivalente na Fé inabalável e a Fé remove montanhas.

17a- Lei do Silêncio

Devemos calar para tudo o que for a nosso favor. O silêncio nos protege da maledicência e da inveja. Esta Lei encontra equivalência na Lei de Atração.

18a- Lei da Capacitância

A capacitância está ligada a capacidade do campo áurico individual e a tela do pensamento. A energia cósmica sabe que tem capacidade; antes ela é a própria capacidade, porém, na aura, ela se encontra condicionada pelo espaço/tempo e também pelo livre-arbítrio. Imaginemos o espaço ocupado pela aura em torno da matéria, este espaço é ocupado pelos demais corpos, mas o circulo dourado os condiciona, pois ele circunda a aura, sendo a sua proteção. Dentro deste espaço o homem tem em si a parcela da energia cósmica, com a qual ele trabalha. A existência humana ocorre no presente, mas na aura correr na linha evolutiva, indo ao passado ou ao futuro.

19a -Lei da Resistividade

A resistividade é a capacidade de usar bem e de uma forma sensata e equilibrada todo o potencial energético que forma a nossa capacitância. Nos sistemas eletrônicos, o resistor é uma peça componente do circuito integrado de um transformador. Ele está programado para oferecer uma determinada resistência a um fluxo de corrente diminuindo-lhe a voltagem. No sistema integrado mental, não existe uma peça programada para opor resistência ao fluxo de energia; o mecanismo funciona movido pela 13º Lei: POLICIAMENTO.

20a- Lei da Indutância

A indutância que no terreno psicobiofísico é um resultado obtido pela conjugação do uso energético das duas Leis que a antecedem. No campo da eletrônica está ligada ao magnetismo exatamente como acontece no processo mental. A Lei mental ligada a Indutância é a Lei da certeza, que aciona a energia potencial da aura, magnetizando-a fazendo-a assumir a sua verdadeira característica que é ser dinâmica.

21a- Lei de Causa e Efeito

Esta lei explica os acontecimentos da vida atribuindo um (Motivo Justo), e uma (Finalidade Proveitosa), para todos os acontecimentos com que se depara o homem. Causa e Efeito e/ou Ação e Reação encontram sua equivalência na lei da Compreensão.

22a- Lei de Responsabilidade

A responsabilidade das faltas é toda pessoal, ninguém sofre por erros alheios salvo se a eles deu origem, quer provocando-os pelo exemplo, quer não os impedindo quando poderia fazê-lo. A lei de Responsabilidade encontra equivalência na lei do Policiamento.

23a- Lei de Misericórdia

Esta Lei ensina “Não julgues” para que não sejais julgados com a mesma severidade com que julgastes o teu semelhante: Isto não significa que vamos abolir as leis morais, mas sim dar-lhes cumprimento. Compreender o próximo, conviver com as diferenças, respeitar as limitações também é um ato de misericórdia, mesmo quanto seja necessário aplicar a disciplina com o rigor correspondente ao ato praticado. Esta lei encontra equivalência na lei do Amor Próprio, que por sua vez encontra seu equilíbrio na lei da Criação.

24a- Lei da Potencialidade Pura

Entre em contato reservando um momento do dia para ficar em silêncio! Para apenas SER. Fique sozinho em meditação silenciosa pelo menos uma vez por dia. Reserve um período do dia para comungar com a natureza e observar em silêncio a inteligência que há em todas as coisas vivas. Pratique o não-julgamento. Comece o dia dizendo: Hoje não julgarei nada; não julgarei quem quer que seja; nem a mim mesmo.

25a- Lei da Doação

Dê um presente em todo lugar que for, a todos que encontrar; esse presente pode ser um cumprimento, uma flor, uma oração/prece. Ofereça sempre alguma coisa às pessoas com quem fizer contato. Estará, assim desencadeando o processo de circulação de energia, alegria, riquezas e abundância na sua vida e na vida de outras pessoas. Agradeça as dádivas que a vida oferece. E esteja aberto para receber.Deseje em silêncio felicidade e muita alegria toda vez que encontrar alguém. .

26a- Lei do Carma

Observe as escolhas que vai fazer a todo momento. Toda vez que fizer uma escolha pergunte à si mesmo; quais serão as conseqüências? Trará felicidade e satisfação a mim e aos outros? Peça orientação ao seu coração. Se sentir conforto siga adiante com a escolha; se sentir desconforto observe. O coração é intuitivo e conhece a resposta certa.

27a- Lei do Mínimo Esforço

Pratique a aceitação dizendo: Hoje aceitarei pessoas, as situações, as circunstâncias e os fatos como eles se manifestarem. Não se volte contra o Universo lutando contra o momento presente. Aceitando as coisas como elas são assuma a responsabilidade pela sua situação. Desista da necessidade de defender seus pontos de vista e de convencer ou persuadir os outros. Permaneça aberto a todos os pontos de vista.

28a- Lei da Intenção

Faça uma lista de todos os seus desejos. Olhe para ela antes de entrar em silêncio e meditação; olhe antes de adormecer; olhe quando acordar. Libere a lista de seus desejos no ventre da criação; confie. Esteja consciente do momento presente.

29a -Lei do Desapego

Comprometa-se hoje com o distanciamento e o desapego. Não force soluções de problemas. Transforme as incertezas em um ingrediente essencial da própria experiência através da sabedoria da certeza e encontrará segurança. Experimente a aventura da vida com todo o mistério, diversão e magia.

30a- Lei do Propósito de Vida

Você deve nutrir com amor a divindade que habita em você; no fundo de sua alma. Preste atenção no espírito que anima seu corpo e sua mente. Faça uma lista de seus talentos únicos, depois outra lista das coisas que adora fazer; diga então: Quando eu expresso meus talentos e os ponho a serviço da humanidade perco a noção do tempo e crio abundância na minha vida e na vida de outras pessoas. Pergunte diariamente a si mesmo: Como posso servir? Como posso ajudar?”

O Corpo Quântico – Interação Astral – Meditação Quântica – Legendado em portugues

Inspiração….

As 7 Leis espirituais

 As 7 Leis Cósmicas de Hermes Trismegistos

 20 Leis Cósmicas do Grande Segredo

Resultado de imagem para imagens sobre as leis cósmicasVisão pessoal….

Toda Lei tem sua ação no Cosmo, no Homem e na Natureza, apresentando os seus efeitos.Desde a mais remota Antiguidade, o ser humano tem se preocupado com a sua origem, bem como a do Universo.Surgiram diversas teorias, segundo as épocas e os tipos de civilizações: do materialismo ao espiritualismo e do espiritualismo ao materialismo.Algumas teorias tentaram explicar a origem do homem e do Universo a partir da matéria, em suas mais variadas formas, segundo os conhecimentos físicos e astronômicos, mas geralmente esbarravam num grande obstáculo para explicar que tipo de elemento animaria o corpo em vida.Outras teorias fundamentavam a origem do ser humano e do Universo a partir do espírito ou de “Deus”, considerando “Deus” como o Criador de todas as coisas, e elas foram conquistando maior número de adeptos.Entretanto, alguns estudiosos continuaram a pesquisa, ansiando por um melhor entendimento de “Deus”, pois não conseguiam acreditar que “Deus” fosse um velhinho barbudo que criava tudo, mas que também castigava, conforme ensinavam as religiões…Atualmente, as ciências mais avançadas no estudo do Microcosmo e do Macrocosmo, das partículas subatômicas às galáxias e até à expansão do Universo, apresentam um novo conceito de Cosmo a partir da ENERGIA.Surge, então, a descoberta de que:“TUDO É ENERGIA – A MATÉRIA NÃO EXISTE”. A matéria é energia, conforme explica a ciência; e a inquestionável lei da conservação da energia, que é uma lei da Física, comprova a eternidade do ser humano e sua permanente evolução.
Portanto, a matéria, sendo energia que assume as formas criadas por um pensamento, é um elemento sujeito às leis mentais. Conclui-se que as Leis que comandam o Universo ou Leis Cósmicas são as mesmas Leis da Mente.Assim, a preocupação dos pensadores, cientistas e sábios de outrora sobre a distinção entre matéria e espírito parece desvendar-se através do entendimento das Leis.A Astrofísica informa que o Universo está em constante expansão, pois de qualquer ponto que estejamos situados no universo das galáxias, todas as estrelas, constelações, planetas e até as próprias galáxias continuam se expandindo ou crescendo. Se tudo cresce, tudo evolui. O homem dentro do contexto do Universo tem a meta de seguir a Lei, que é evoluir.Podemos dizer que o Universo é um Ser dinâmico, em processo de evolução harmônica e contínua. O Universo é regido por leis, assim como tudo que existe nele, inclusive o ser humano. A maior de todas as leis é a LEI DA CRIAÇÃO ou LEI DO AMOR.
Enfim, todas as Leis Cósmicas falam a linguagem do Amor.

Monicavox

Recomendo…..

Resultado de imagem para imagens sobre as leis cósmicas

Resultado de imagem para imagens sobre as leis cósmicas

Uma nova realidade espiritual e planetária se aproxima…..

A Transição Planetária, acontecimento inevitável que já está ocorrendo, mas que as mudanças mais visíveis e identificáveis ainda virão em breve, é um fato cósmico individual de interesse em nossa vida, porque geralmente nós não estamos nos sentindo à vontade neste mundo, nessa cultura, nessa maneira de viver, neste corpo que nós estamos vestindo no momento.Por isso a oportunidade que nós nos demos pode ser ampliada a um ponto tal que quando nós entramos no cinturão de fótons, no novo padrão vibratório, nós tenhamos passado esse período mais sombrio sem deixar muitas sequelas traumáticas em nosso ser. A questão não é ficar ou não ficar desencarnado, todo mundo vai desencarnar algum dia, a questão é ter um mundo melhor para reencarnarmos depois, ou para ficarmos encarnados. Esse mundo melhor é inevitável.

Agora  nós não esperamos aquele aspecto cataclísmico, nós esperamos o aspecto de mudança vibratória. No entanto, até essa mudança vibratória nós podemos passar por algumas dificuldades, não no sentido de ameaça ao planeta, mas dificuldades no sentido de viver numa cultura ruindo, é essa dificuldade que nós vamos poder sofrer agora mas, quanto mais consciência nós tivermos, menos seremos atingidos pelas dificuldades ambientais de uma cultura em desorganização, uma cultura em início de caos, ou com pleno caos, mas já é muito mais abrandável do que estava aí a nossa frente.Se nós mantivermos essa faixa vibratória em crescimento em nós, até mesmo as dificuldades culturais poderão ser abrandadas, individualmente, pelo nosso comportamento, pelo nosso sentimento, pelo nosso padrão de entendimento da realidade.

Por isso, o que é que nós podemos fazer agora, para melhorar mais ainda?

De acordo com as nossas possibilidades interiores, de acordo com o nosso amadurecimento consciencial, procurar se aprimorar ao máximo para estimular o lado positivo da gente, o lado bonito, o lado amoroso, o lado desapegado, o lado compreensivo, tolerante, paciente, desenvolver a nossa conexão com Deus, não importa a religião que a gente siga, ou nenhuma, nenhuma instituição ou ordem estabelecida, mas que nos conectemos conscientemente, que  ancoremos nesse corpo nossa consciência divina, nossos corpos de luz, que possamos ser guiados internamente, que nossos pensamentos, que nossos sentimentos possam ser guiados pelos nossos corpos luminosos, pela nossa consciência superior. Mas não como uma coisa fraca, como uma coisa teórica, mas como uma coisa que a gente pratique ali, com nossa mãe, com nosso pai, com nossos irmãos, com os nossos filhos, com nosso vizinho, com o porteiro do prédio, com o síndico, com o condutor do veículo que está dividindo a estrada com a gente, com a pessoa do comércio, com as nossas relações profissionais.

O esforço agora tem que ser no sentido em que essa conexão aumente, mas não teoricamente, não dogmaticamente, uma coisa que flua espontaneamente, mas que a gente possa, com a vontade direcionada, ampliar esse estado de espírito positivo. Isso vai gerar uma vibração tão boa,  que vai equilibrar essa balança da mudança, fazendo com que aquela carga negativa de muitos que não estão conseguindo elevar suas frequências vibratórias, que ela não penda muito ,a balança do equilíbrio das culturas, das populações.Doenças, conflitos regionais vão acentuar, isso é inevitável. Quem não se harmonizar com as forças cósmicas não vai conseguir se manter vivo por muito tempo nesse corpo. Chegou o momento: ou entra em harmonia ou a roda das Leis da Vida esmagará o indivíduo, ou a população em questão.

Cada vez mais pessoas vão despertar para ver que não é o que elas têm, não é o que elas sabem que realmente será a credencial para sua felicidade, a felicidade não depende do que se tem nem do que se sabe, muito menos em saber se vai ter comida para pôr no estômago ou não. Por incrível que pareça vamos descobrir isso. Por isso, para nós nos prepararmos para transição basta mantermos o nosso crescimento interno no ritmo das nossas possibilidades… o inevitável está se desdobrando ali, em breve nós seremos alcançados por esse inevitável. A mudança já está ocorrendo, no entanto esse período de ajuste, ele será turbulento. Se tivermos estabilidade interior a turbulência externa não nos afetará tanto, se não tivermos estabilidade interior, a turbulência externa nos afetará.

Por isso a sua responsabilidade é com você mesmo, não é com mais ninguém. O outro será uma consequência do seu crescimento, você agirá de forma mais harmônica com o próximo porque você está harmonizado. Então isso é fundamental: direcione para se auto aprimorar. Naturalmente que não é auto aprimorar egoísticamente, auto aprimoramento e egoísmo não andam juntos. A gente se auto aprimora exercitando AMOR. Amor é uma coisa importante para  elevar a nossa frequência vibratória, sem Amor não se eleva a frequência vibratória. A mudança vai ser interna. No mundo inteiro as pessoas, que de repente tinham uma vida bem comum, começam a questionar aquela maneira inconsciente de viver, e começam a demonstrar um padrão de consciência maior.

SINTOMAS DO SER ESPIRITUAL ACERCA DAS ENERGIAS DA TRANSIÇÃO PLANETÁRIA

• Não tem ligação nenhuma com qualquer religião ou dogma, reconhecendo suas mentiras e manipulações.
• Aceita apenas ensinamentos que tragam soluções espirituais, fundamentados no verdadeiro conceito de liberdade e não na ameaça, medo e destruição.
• Aceita os ensinamentos de mestres, filosofias e líderes espirituais sem importar a origem, porém sem idolatra-los.
• Aprimorou seus conhecimentos históricos e filosóficos reconhecendo a diferença entre DEUS-FONTE e TODAS as falsas divindades nas quais estão fundamentadas as religiões e culturas no planeta.
• Sabe que não é mais preciso o apadrinhamento cósmico, sabe que a solução dos desafios e respostas se encontra em cada um e não num ser celestial, entidade, santo, guia etc.
• Reconhece sua essência e multidimensionalidade aceitando conselhos apenas do seu grande professor: seu EU SOU.
• Sabe que os segredos da criação estão na natureza e que só é possível alcançar seus conhecimentos no perfeito respeito e comunhão com o planeta e todos os seus reinos.
• Não aceita o KARMA.
• Não tem mais CULPA.
• Conhece como funciona a matrix e as artimanhas dos seres que dominam o planeta.
• Reconhece a sua força e poder de criar.
• Cuida de seus pensamentos e sentimentos.
• Caminha rumo à misericórdia e amor incondicional.
• Luta pela verdade e liberdade.
• Não tem mais preconceitos.
• Reconhece-se como parte da Criação, merecedor do bom e do melhor.
• Sabe da responsabilidade de ajudar ao próximo, porém sem hipocrisias e falsa caridade, apenas se limitando àquilo que se encontra a seu alcance.
• Respeita a vida. Por isso se preocupa pela sua saúde, alimentação e cuidado energético.
• Reconhece a espiritualidade como um atributo intrínseco à alma, por isso sabe que é um ser espiritual capaz de extravasar todos os limites condicionantes tendo possibilidade de alcançar a sabedoria e iluminação.

Visão pessoal….

Percebe-­se uma busca intensa pela espiritualidade. Pessoas estão sendo convidadas, estimuladas e até convocadas a se espiritualizarem.Observa­-se um grande movimento com objetivo de atrair as pessoas para o “mundo espiritual”. Fala-­se da NOVA ERA, em trabalhar a espiritualidade, em meditação, em grupos de estudos, fala-­se em desenvolvimento de potenciais físico-biológico-espiritual, em mantras/mudras/terapias holísticas e em retiros espirituais; as pessoas estão cada vez mais em busca de algo que lhes dê a sensação de estarem “consigo mesmas”, de conseguirem se expressar, tanto na vida prática do dia á dia, como na vida interior, sendo mais autênticas, mais desbloqueadas, mais felizes, mais amorosas, mais centradas.Esses são alguns dos “atributos” e características do Ser Humano desta Nova Era ESPIRITUAL, onde nos aprofundaremos cada vez mais na verdade e na responsabilidade da consciência da nossa Co-Criação, quando também saberemos a importância da nossa presença no planeta, o que nos levará à libertação definitiva da matrix ou rede que foi criada para nos prender nessa falsa realidade. Estaremos, assim, entrando em uma Nova Realidade Espiritual onde a Vida, o Amor, a Liberdade e o Respeito imperarão nas nossas vidas.

Inspiração….

A Era de Aquário – Fraternidade Rosacruz

Transição Nova Era.pdf – Federação Espírita Brasileira

Monicavox

Recomendo….

Resultado de imagem para imagens sobre livros sobre a transição planetária

Resultado de imagem para imagens sobre livros sobre a transição planetária

Resultado de imagem para imagens sobre livros sobre a transição planetária

10 ¨Segredos¨ sobre o flúor na água que você bebe e muito mais sobre esse assunto tão importante que afeta nossa Pineal

Resultado de imagem para imagens sobre livros sobre o flúorEDITORIAL –

Como considerar inteligente uma raça que destrói o ambiente do qual DEPENDE para sobreviver?

Utilizamos água limpa como solução ¨inteligente¨ para o esgoto. Pense no quanto isso é ignorante. Não bastasse isso, também tratamos a água que bebemos de uma maneira altamente questionável.O que acontece é que, a partir do momento em que temos uma solução confortável e aparentemente eficaz a curto prazo, paramos de pensar no tanto que algumas das nossas soluções são idiotas a longo prazo. Nós simplesmente paramos de pensar e questionar algumas coisas.Só evoluímos quando uma solução se mostra idiota a curto prazo, depois do longo prazo ter se vencido. Uma atitude questionadora, um apreço pela verdade, e principalmente disposição para mudar, quando nossa postura, diante da verdade, torna-se idiota.

“O Flúor de Hitler”
Durante a Segunda Guerra Mundial o flúor foi testado pela primeira vez em humanos. Os cientistas nazistas de Hitler usavam altas dosagens nos Campos de concentração dos judeus para que os mesmos ficassem inertes a situação que estava ocorrendo ao redor. O efeito foi o desejado pelos nazistas e os testes “aprovados”. O flúor retardou mentalmente os judeus e hoje esta mesma prática está sendo espalhada mundo a fora, pois o sistema atual aplica esta substancia venenosa para controlar o raciocínio dos seres humanos. É certo que se não tivéssemos contato com esse veneno que nos mata aos poucos, não teríamos dificuldades de memorizar, nem de aprender.O plano da Nova Ordem Mundial é deixar a humanidade mais burra. Enquanto isso eles desfrutam dos mananciais de águas puras, sem contaminação alguma. 
Resultado de imagem para imagens sobre livros sobre o mal do fluor

10 fatos ¨secretos¨ sobre a água fluoretada que você bebe:

1 – A maior parte dos países desenvolvidos não adiciona flúor à água. O Japão e 97% da Europa ocidental não bebe água com flúor. Segundo Uma declaração da república Checa, é eticamente questionável forçar qualquer tipo de medicação, principalmente uma tão controversa.

2 – Países que adicionam flúor não tem índices menores de caries do que países que adicionam flúor. Estudos modernos de grande escala não mostram diferença na quantidade de cáries.

3 – O flúor afeta diversos tecidos no seu corpo, dos seus dentes ao seu cérebro. 43 estudos em humanos encontraram relação entre o flúor, danos cerebrais e QI mais baixo em crianças. Várias doenças de artrite até problemas da tireoide podem estar ligadas ao flúor.

4 – A maioria das crianças excede hoje a ingestão de flúor apenas pelo uso de pasta de dente. cerca de 40% dos adolescentes nos EUA apresentam fluorose(manchas brancas nos dentes) causada pelo excesso de flúor.

Resultado de imagem para imagens sobre livros sobre o mal do fluor
5 – O Flúor não é um nutriente essencial para o ser humano.4 – A maioria das crianças excede hoje a ingestão de flúor apenas pelo uso de pasta de dente. cerca de 40% dos adolescentes nos EUA apresentam fluorose(manchas brancas nos dentes) causada pelo excesso de flúor.

6 – O Flúor utilizado na água é ácido fluossilícico, não é o flúor que ocorre naturalmente em alguns mananciais.

7 – O flúor não faz nada pela água. Ele é utilizado apenas e com o único objetivo de evitar cárie em humanos.

8 – Beber o flúor não adianta, ele é apenas efetivo quando tópico, em contato com os dentes.

9 – O Flúor é mais tóxico do que o chumbo, menos tóxico que o arsênico.

10 – A União de cientistas do EPA (Agência de proteção ambiental dos EUA) é Abertamente e vocalmente oposta à fluoretação da água, segundo eles, uma ação irracional, desmedida e perigosa. E eles estão sólidamente embasados. O documento divulgado pela união tem uma série de estudos ligando a fluoretação a uma quantidade ENORME e séríssima de problemas de saúde.

Por que isso não é divulgado ou questionado abertamente?

lampadaEssa situação parece ter acontecido do mesmo jeito que a pirâmide alimentar, a demonização do ovo  e os diversos mitos prejudiciais relacionados com alimentação, saúde e emagrecimento.

Veio alguém e declarou aquilo apressadamente e dúbiamente como verdade e a maioria das pessoas só aceitou aquilo como verdade inquestionável.

A partir daí as pessoas passaram a divulgar apenas um lado da moeda, e não olhar para o outro de maneira imparcial, como deve ser feito.

Absolutamente tudo deve ser questionado.

A CALCIFICAÇÃO DA PINEAL PELO FLUORETO

A glândula pineal (também chamada de corpo pineal, epífise cerebral, epífise ou o “terceiro olho”) é uma pequena glândula endócrina no cérebro dos vertebrados e produz a melatonina, serotonina e também DMT (Dimetiltriptamina). A sua forma assemelha-se a uma pequena pinha (daí o seu nome), e está localizada perto do centro do cérebro, entre os dois hemisférios, escondida num sulco onde os dois corpos talâmicos arredondados se juntam. Esta pequena glândula é estudada há muito tempo e é considerada por muitos como a “sede da alma”. Para vocês entenderem melhor, os hindus a conhecem como “centro de força”, os ocultistas, como “olho de shiva” (por ser o responsável pela clarividência, a vidência Racional). É realmente o “olho” pelo qual o homem harmoniza o mundo interior e o exterior, o elo de ligação entre o macrocosmo e o microcosmo. Ao pé da letra, é responsável pela harmonia com si mesmo, pela espiritualidade, pela conexão com o divino. Há estudos, entretanto, que indicam que o fluoreto seja atraído magneticamente à glândula pineal, calcificando-a e depositando metais pesados em seu corpo, por consequência. É, na verdade, um assunto que dá continuidade ao post sobre o Flúor na água e claro, gostaria de alertar que é apenas uma informação sobre o tema, não se trata necessáriamente de uma opinião sómente.

No final dos anos 90, um cientista com o nome de Jennifer Luke realizou o primeiro estudo sobre os efeitos do fluoreto de sódio na glândula pineal. Ela determinou que a glândula pineal, localizada no meio do cérebro, foi alvo do fluoreto. A glândula pineal simplesmente absorveu mais flúor do que qualquer outra matéria física no corpo, até mais que os ossos. Como disse antes, a Glândula Pineal é como um ímã para o fluoreto de sódio. Este calcifica a glândula e faz com que seja menos eficaz em equilibrar os processos hormonais do corpo. Desde então que diversas investigações provaram que o Fluoreto de Sódio afeta a glândula mais importante do nosso cérebro! É a única coisa que ataca o centro mais importante da nossa glândula no cérebro. É predominante em alimentos, bebidas, no nosso banho e na água potável. Fluoreto de Sódio é colocado em 90% do abastecimento de água dos Estados Unidos, portanto a importância de filtros alcalinizadores e que retirem estas substâncias da água. Para continuar com as pesquisas, há uma da Universidade de Harvard que descobriu o efeito do Fluoreto em nosso QI.

A instituição publicou uma meta-análise, financiada pelos Institutos Nacionais de Saúde (NIH), que concluiu que as crianças que vivem em áreas com água altamente fluoretada têm valores de QI “significativamente inferiores” do que aqueles que vivem em áreas de flúor baixo. Num relatório de 32 páginas (em que pode ser feito o download gratuitamente a partir do Environmental Health Perspectives) um dos pesquisadores disse: “Os resultados da nossa meta-análise de 27 estudos publicados ao longo de 22 anos sugerem uma associação inversa entre a alta exposição ao flúor e a inteligência das crianças (…). Os resultados sugerem que o flúor pode ser um neurotóxico que afeta o desenvolvimento do cérebro em exposições muito inferiores aos que podem causar toxicidade em adultos (…)”. Para quem pesquisa sobre o assunto, não é novidade. Uma forma eficaz é evitar esta exposição tóxica e entender mais sobre a glândula pineal, que é um assunto extremamente interessante e que poucos abordam!

Fonte;-(CRM 68874) Dr. Mohamad Barakat, formado pela FMABC-UNIFESP/EPM, Pós-Graduado em Endocrinologia e Metabologia pela IPEMED

Cisto de glândula pineal calcificada visualizada em CT. Fonte: HellerhoffFlúor pode afetar a pineal e gerar Alzheimer

Estudos científicos têm demonstrado que pacientes portadores de alzheimer possuem a glândula pineal calcificada

Estudos científicos têm demonstrado, através de tomografia computadorizada, que pacientes com alzheimer possuem uma significante quantidade de tecido da glândula pineal calcificado. Pessoas com outras enfermidades, tais como depressão e outros tipos de demência, apresentam uma quantidade bastante inferior de tecidos calcificados nesta região.Na década de 1990, uma cientista britânica, Jennifer Luke, descobriu que o flúor se acumula em níveis notavelmente altos na glândula pineal. A glândula pineal possui um tecido altamente passível de sofrer calcificações, que, sendo naturalmente exposto a um elevado volume de fluxo sanguíneo, torna-se o principal local  de acúmulo de flúor em humanos.

O flúor é um gás halógeno, extremamente volátil e altamente reativo. Ao ser ingerido é rapidamente absorvido pela mucosa do estômago e do intestino delgado. Sua via de eliminação são os rins, responsáveis por eliminarem 50% do flúor diariamente ingerido, e o que sobra tem que encontrar refúgio em alguma parte do corpo, que geralmente é junto ao cálcio de algum dos tecidos conjuntivos. Como os dentes e os ossos são os maiores reservatórios de cálcio, é para lá que o excesso de flúor tende a se dirigir, passando a deformá-los e a provocar o que cientificamente se conhece como fluorose.

Resultado de imagem para imagens sobre o flúoroseNo caso dos ossos, dentes e glândula pineal, acrescenta-se ainda a facilidade com que os íons de flúor (1,29Z) substituem os da hidroxila OH- (1,33Z) e se incorporam à estrutura dos cristais de apatita. Por isso, diante do excesso de flúor, esses tecidos perdem a flexibilidade e se tornam extremamente rígidos e quebradiços.

Logo, as partes calcificadas da glândula pineal (cristais de hidroxiapatita) contêm as maiores concentrações de flúor do organismo humano, até mesmo maiores do que em qualquer osso. A glândula pineal é como um ímã para o fluoreto de sódio. Este calcifica a glândula e faz com que ela não tenha mais eficácia no equilíbrio de todo o processo hormonal do corpo.

Pesquisadores descobriram que os depósitos calcificados presentes na pineal estão associados com a diminuição do número de pinealócitos (principais células da glândula responsáveis pela produção de melatonina), com o funcionamento e a produção de melatonina reduzida, bem como com deficiências no ciclo sono-vigília, além de potencialmente destruirem a função normal na puberdade. Desta forma, o ciclo circadiano,  período de aproximadamente 24 horas sobre o qual se baseia o ciclo biológico (responsável por regular todos os ritmos psicológicos, a digestão, o estado de sono-vigília, a renovação das células e o controle da temperatura do organismo), se torna desregulado.

Resultado de imagem para imagens sobre o flúor e a pinealA toxicidade do flúor

O debate sobre os perigos do flúor está em curso há mais de seis décadas, apesar de inúmeros estudos confirmarem que o fluoreto é um veneno perigoso, tóxico, e que se bio-acumula no organismo ao ser ingerido ao longo da vida. Então, o que exatamente o fluoreto causa ao seu cérebro além de calcificar a glândula pineal?

Em 2006, pesquisadores da Harvard School of Public Health e da Icahn School of Medicine at Mount Sinai fizeram uma revisão sistemática e identificaram cinco produtos químicos industriais como sendo neurotóxicos. Isto incluiu venenos inquestionáveis, como o chumbo, o metilmercúrio, bifenilas policloradas, arsênico e tolueno. Desde então, eles têm documentado seis neurotóxicos de desenvolvimento adicional, sendo agora 11 produtos químicos industriais conhecidos por prejudicarem o desenvolvimento do cérebro em fetos humanos e em bebes. Um dos neurotóxicos adicionados mais recentemente a essa lista é o fluoreto, o qual atravessa facilmente a barreira placentária. Um dos autores do estudo já havia afirmado:

“O flúor parece se ligar ao chumbo, mercúrio e outros venenos que causam desequilíbrio na química do cérebro… O efeito de cada substância tóxica pode parecer pequeno, mas o dano combinado em uma escala da população pode ser grave, especialmente porque o poder do cérebro da próxima geração é crucial para todos nós. “

Há 37 estudos em humanos que ligam exposições aos fluoretos com inteligência reduzida (9 desses estudos encontraram QI reduzido em pessoas que consumiam água com menos de 3 ppm de fluoreto) e 12 estudos em humanos que ligam o flúor com déficits neurocomportamentais. Há também 3 estudos em humanos que ligam a exposição ao flúor com desenvolvimento restrito do cérebro fetal, e cerca de 100 estudos com animais que ligam o flúor a danos cerebrais.

Resultado de imagem para imagens sobre agua fluoretada

Água fluoretada e prevenção de cáries

Prevenção de cáries é o motivo pelo qual a Organização Mundial de Saúde iniciou, desde 1930, o programa de inclusão artificial do flúor na água. Logo, acredita-se que a eficácia da água fluoretada em evitar cáries estaria provada e comprovada para além de qualquer dúvida razoável. Mas, uma nova pesquisa sugere que esta suposição é dramáticamente equivocada: o uso de dentifrícios fluoretados não tem sido provado como bom para a saúde oral; no entanto o consumo de água fluoretada pode não ter nenhum impacto positivo.

Cochrane é uma organização não-governamental constituida por médicos e pesquisadores, existente em mais de 130 países, conhecida por suas considerações competentes, sendo estas consideradas o ‘padrão-ouro’ do rigor científico em relação a avaliar a eficácia das políticas de saúde pública estabelecidas. Recentemente, eles realizaram uma pesquisa no intuito de descobrir se a fluoretação reduz as cáries. Revisaram todos os estudos feitos sobre a fluoretação que eles puderam encontrar e, em seguida, analisaram os resultados dos estudos e publicaram a sua conclusão em uma revisão no início de junho deste ano.

A revisão identificou apenas três estudos, desde 1975, com qualidade suficiente para serem utilizados, os quais abordaram a eficácia da fluoretação na prevenção da cárie dentária na população em geral. O co-autor da revisão, Anne-Marie Glenny, pesquisador de ciências da saúde da Universidade de Manchester, no Reino Unido, concluiu que esses estudos determinaram que a fluoretação não reduz cáries em um grau estatisticamente significante em dentes permanentes.

Os autores encontraram apenas dois estudos, desde 1975, que avaliaram a eficácia da redução de cáries nos dentes de bebês, e concluíram que a fluoretação não tem nenhum impacto positivo estatisticamente significativo. Os cientistas também concluiram que há insuficientes evidências de que a fluoretação reduz a cárie dentária em adultos. “A partir da avaliação, não podemos determinar se a fluoretação da água tem um impacto sobre os níveis de cárie em adultos”, diz Glenny.

Flúor banido em diversos países

Segundo o site worldlifeexpectancy.com, a Finlândia, o Canadá e os Estados Unidos são os países com o maior número de pessoas acometidas por Alzheimer. Atualmente, os Estados Unidos têm diminuido a quantidade de cidades que participam do programa de fluoretação e o número de cidades fora do programa tem crescido gradualmente. Curiosamente, a Finlândia, assim como diversos países europeus, como Alemanha, Japão, Suíssa e Suécia baniram a fluoretação da água. Países que aparecem no site como tendo índices extremamente baixos de Alzheimer, tais como Grécia, Camboja e Índia não possuem, coincidentemente, programa de fluoretação da água.

Fluoretação da água  no Brasil

A fluoretação da água foi adotada pela primeira vez no Brasil na cidade de Baixo Guandu, ES, em 1953. Uma lei federal entrou em vigor em 1974 exigindo que estações novas ou ampliadas de tratamento de água deveriam ter a fluoretação, e sua disponibilidade foi significativamente ampliada na década de 1980, com fluoretação fixada em níveis de 0,8 mg/L. Segundo o IBGE, a partir de 2008, 3.351 municípios (60,6%) haviam adotado a fluoretação.

Resultado de imagem para imagens sobre manjericão santoDescoberta planta que remove flúor da água

Após tantas evidências contra o flúor, a melhor opção seria removê-lo da água. Atualmente há filtros que removem ou diminuem a incidência do flúor. Mas, um método eficaz surgiu após a descoberta de uma fantástica planta. Uma planta chamada tulsi, ou manjericão santo (Ocimum tenuiflorum), que cresce por toda a Índia, pode ser apenas outra resposta para retirar o flúor da água em países pobres em todo o mundo. Cientistas da Universidade de Rajasthan descobriram que otulsi pode substituir algumas das alternativas mais caras para a remoção de flúor.

Os investigadores conduziram o experimento em uma aldeia de Narketpally, imergindo 75 mg de folhas de manjericão santo em 100ml de água que tinha mais de 7 partes de flúor por milhão de água. Após a imersão das folhas em água durante apenas 8 horas, o flúor foi reduzido para apenas 1,1 parte por milhão. A Organização Mundial de Saúde diz que os níveis “seguros” de flúor na água não devem ultrapassar mais do que uma parte por milhão.Com a recente admissão da Universidade de Harvard que o flúor é ruim para a saúde, e as notícias continuadamente apontam para o flúor sendo responsável por esgotar a capacidade do cérebro causando déficit de atenção, ou mesmo calcificando a glândula pineal, (que inibe importantes secreções hormonais como a melatonina e serotonina, e DMT), é uma notícia maravilhosa de que um remédio tão simples foi encontrado.

Visão pessoal….

O olho da mente, cientificamente conhecido como a glândula pineal, é considerado a porta de entrada para os níveis mais elevados de consciência, no caso de você não estar ciente a glândula pineal é uma glândula endócrina em forma de uma pequena pinha no cérebro que produz e secreta o hormônio melatonina, acredita-se também que a glândula pineal seja responsável pela liberação de Dimetiltriptamina (DMT), a glândula pineal é o “princípio da sede da alma”, segundo Descartes, como você pode ver esta glândula tem muitas funções tanto física como metafisicamente, assim mantê-la funcionando em todo o seu potencial deve ser uma prioridade de todos os que procuram uma mente saudável.À medida que envelhecemos a glândula pineal começa a se calcificar e tornar-se lenta, esta taxa varia consideravelmente por pessoa e estilo de vida, mas o consumo de quantidades excessivas de flúor é considerado um fator de risco, isto é em parte porque o fluoreto se acumula em quantidades extremamente altas na glândula pineal causando sua calcificação mais rapidamente, o flúor também pode diminuir a produção de melatonina, duas coisas que certamente não queremos que aconteça, a pesquisa mostrou que esta calcificação da glândula pineal tem uma forte correlação no desenvolvimento da doença de Alzheimer (Mercola 2011), uma dieta pobre carregada de conservantes, açúcar branco, refrigerantes, GMO, produtos químicos e pesticidas é um importante fator de risco para a calcificação e seu envelhecimento precoce também.O que podemos fazer para combater o processo de envelhecimento e calcificação da glândula pineal ?Devemos comer uma dieta livre de conservante / química , que seja rica em gorduras saudáveis​​, deve ser um acéfalo (trocadilho intencional), mas o que mais podemos fazer ?Enquanto você não cortá-lo completamente você pode reduzir drasticamente os níveis de flúor que consome, para fazer isso deve filtrar adequadamente à água da torneira antes de beber uma vez que muitas comunidades têm abastecimento de água que é adicionado flúor, para conseguir isso você precisa usar um filtro que retire o flúor (cuidado com o filtro por osmose reversa ele também retira todos os minerais da água “matando-a”), ou comprando água engarrafada que indica a não adição de flúor de água de nascentes, você também pode mudar para um creme dental sem flúor, muitos tipos de pasta dentais naturais podem ajudar na prevenção da cárie dentária, além de não intoxicá-lo com flúor.Tome vinagre e maçã,que é rico em ácido málico tornando-se um grande tônico para desintoxicar o corpo todo incluindo a glândula pineal, o vinagre de maçã tem uma longa lista de benefícios e pode ajudar a tornar o corpo mais alcalino (isso é uma coisa muito boa), tente tomar uma colher de sopa 3 vezes ao dia ou experimente adicioná-lo no suco de limão com mel, sente-se, saboreie e colha os benefícios;Coma alimentos ricos em iodo como algas marinhas, outros alimentos como cranberry, feijão verde, couve, brócolis, folhas verdes escuras, banana, camarão e lagosta também são ricos em iodo, esta é uma lista muito curta, incompleta, você pode ajustá-la para atender às suas necessidades e estilo de vida, não só a função de apoio do iodo para a tireoide, mas também é importante para a glândula pineal, o iodo ajuda a remover o flúor do corpo que como discutido acima é muito tóxico, o iodo pode ser prejudicial em níveis super altos por isso se você optar por usar em forma de suplemento considere o uso de uma forma solúvel em água como Iosol, para evitar o risco de excesso ao consumi-lo;outra coia é o Cacau cru orgânico,que é rico em antioxidantes que combatem os radicais livres e mantêm o nosso cérebro saudável, isso também pode ajudar a estimular o olho da mente(pineal) ajudando a desintoxicá-la, além disso quem não gosta de chocolate ?Mais uma estrela;O óleo de coco(extra virgem prensado a frio) nutre todo o corpo até mesmo a pele e o cabelo, mas a sua maior vantagem é que ele nutre o cérebro e desintoxica a glândula pineal, o óleo de coco é rico em triglicérides de cadeia média que são convertidos em cetonas no fígado, foi comprovado que as cetonas restauram os neurônios e a função dos nervos no cérebro (Mercola 2013), esta é uma grande notícia para reverter os danos no cérebro e pode até mesmo fornecer um avanço na pesquisa da doença de Alzheimer, os Triglicerídeos de cadeia média (TCM), o principal tipo de gordura encontrada no óleo de coco aumenta o desempenho cognitivo em adultos mais velhos que sofrem de distúrbios de memória tão graves como a doença de Alzheimer e não é depois de meses ou até mesmo dias de tratamento, mas após uma única dose de 40 ml (3 colheres de sopa); brotos de alfafa e de Salsa ajudam a energizar a glândula pineal, todas estas ervas (e muitas outras) ajudam a estimular e desintoxicar a glândula pineal, tente adicionar o broto de a salsa e de alfafa generosamente quando cozinhar para um impulso extra do cérebro;Outra coisa é parar de usar óculos de sol;Será que isso chamou a sua atenção ? Bem deixe-me explicar, a luz refletida pela retina estimula a glândula pineal, nossos olhos precisam ser expostos à luz solar indireta diariamente (a qualquer uma célula ganglionar fotossensível), se você for usar óculos de sol certifique-se de tirá-los pelo menos por um curto intervalo de tempo diariamente, isso também nos fornece vitamina D que é muito importante para a saúde e equilibra o cérebro ajudando a combater a depressão.Claro que existem várias outras maneiras maravilhosas para promover a saúde dos olhos da mente, como foi dito, isso não é de forma alguma uma lista completa, é sempre bom verificar com um médico fitoterapeuta, especialmente se você tiver algum problema de saúde se for tomar suplementos, agora vá em frente nutrir o olho da sua mente 

Inspiração…….

• Mistério do flúor: Cientistas estudam o controverso aditivo

Toxicidade do flúor – Portal FOP-Unicamp

Controvérsias sobre o flúor | Scientific American Brasil 

Universidade de São Paulo Faculdade de Saúde Pública Uso do flúor .

Monicavoxblog

Recomendo….

Resultado de imagem para imagens sobre livros sobre o flúor

Resultado de imagem para imagens sobre livros sobre o flúor

Resultado de imagem para imagens sobre livros sobre o flúor

 

 

Reflexões sobre os tempos que estão por vir…..(?)

Resultado de imagem para imagens sobre o caos planetarioRecebo muitos e-mails perguntando se agora é o fim dos tempos e o que isso realmente significa para todos nós.Morreremos todos? O mar vai subir? O planeta vai acabar? E as guerras? Será que algum ditador vai tomar o planeta por completo? E a água potável, vai mesmo acabar? Há alguma chance deste planeta ser destruído completamente?Muitas são as previsões catastróficas e muitas são também as más interpretações sobre elas. Não nos cabe ficar meditando sobre qual destas previsões estão corretas ou não. Isto só fará com que elas fiquem mais fortes, o que aumenta a chance de ocorrerem.

O que realmente pode mudar este quadro horroroso previsto para a Terra, é o seguinte:

1 – Estamos vivendo a” Batalha do Armagedon” no aqui e no agora. Não espere algo deste tipo no futuro.

2 – O Armagedon se tornou muito mais físico, desde 11 de setembro de 2001. Não pela guerra em si, mas pela consciência mundial, que mostrou que todos os níveis e camadas sociais do mundo estão vulneráveis a esta guerra.O mundo inteiro acordou para uma guerra entre o bem e o mal, e mesmo sem tomar partidos, seja você quem for, Armagedon é uma guerra entre os filhos da luz e os filhos das trevas.

Não pensem que é uma guerra entre o Céu e a Terra, ou entre “Deus e os demônios” . Entendam que os filhos da luz podem vencer se chamarem os “exércitos do Céu” para lutar a batalha, mas esta é uma guerra de quem vive nos quatro planos inferiores da matéria.

Esta guerra realiza-se totalmente nos quatro corpos inferiores da Terra e nada tem a ver com o etéreo. Ela é, e está, na memória, no mental, no emocional e no físico, por isto ninguém sabe com certeza, se este ou aquele é bom ou ruim, pois tudo se trava em um mar de ilusões( “maya”).

A certeza é uma só. Os nossos aliados, aqueles que podem nos ajudar a vencer esta guerra, não estão na Terra, na Água (astral), no fogo ou no Ar. Os nossos aliados,(que não são salvadores) são os que vêm do Éter (fogo de altíssima vibração), o quinto elemento( Plenum Cósmico/Deus e seus anjos de Luz, Os Mestres Ascensos e seres de alta estirpe sideral)

Os enviados da luz etérea vêm para a batalha, quando são chamados pelos despertos e espiritualizados, e eles sempre vem em corpos sutis,diferentes desses corpos de terceira dimensão e podem aparecer nas mais diversas circunstâncias, basta o ser humano estar vibrando naquela frequência deste Ser.

3 – Podemos fazer a diferença nesta guerra. Mas para que isto se realize, é preciso:

a) – Buscar o contato com a Presença do EU SOU diáriamente e entregar-se, submeter-se a esta Presença de Luz. Isto é – Amar incondicioanlmente tudo e todos, acima de todas as coisas.

b) – Invocar a Chama Violeta  para consumir com o carma planetário, aliviando as energias negativas que estão sobre nosso planeta.

c) – Buscar elevar a nossa consciência estudando os ensinamentos das escolas de mistério, do Cristo Cósmico na Terra e buscando contato constante com o nosso  Eu Superior ,o Cristo Pessoal.

d) – Fazer jejum um ou dois dias por semana e /ou se alimentar de vegetais, frutas, castanhas, legumes e cereais integrais, deixando de comer as carnes de animais, aves e peixes e produtos industrializados/transgênicos/contaminados por agrotóxicos e químicas.

e) – Pedir intercessão divina em todos os lugares que acharmos necessário, sem qualquer crítica, condenação ou julgamento. Confiar e entregar ao Plenum Cósmico / Deus/Criador, implorando sua intercessão imediata onde quer que haja desordem e tumulto, desarmonias e impurezas, dor e sofrimento, ódio e maldade.

f) – Buscar a elevação da consciência através a oração espontânea,sincera, contínua.

g) – Invocar a ação harmonizada da Mãe Divina /Gaia/aspecto feminino do Criador, pedindo a purificação para si e para todo o planeta Terra.

h) – Pedir ao Criador que liberte os elementais do fogo, do ar, da água e da terra de toda e qualquer submissão ao mal. Os cataclismos naturais são conseqüência do carma coletivo do planeta e se libertarmos os elementais, poderemos amenizar muito este sofrimento.

I) – Manter em mente que a Palavra é Sagrada. A palavra é a manifestação da energia divina e precisa ser respeitada e sempre utilizada para falar positivamente, até mesmo na formação das frases mais comuns de nosso cotidiano.

J) – A Palavra precisa ser utilizada todos os dias para falar com o Plenum Cósmico/ Deus e seus anjos de luz, com os Elohim e os Mestres Ascensos, com os elementais de luz e com a nossa Mãe Divina.

K) – Manter sempre a mente e o coração com a esperança positiva de que todo o mal que nos aflige nesta “Batalha do Armagedon,” pode ser e será, eliminado da Terra. O medo atrai a destruição e fortalece o mal que nos aflige.

L) Buscar a comunhão com Espírito Santo, pedindo a sua intercessão na união dos filhos da Luz.

Resultado de imagem para imagens sobre o caos planetario

4 – É a Vontade de nosso Pai Celestial, que este planeta Terra seja a moradia da Nova Era Aquário.Esta nova Era de Aquário é regida por mudanças e profundas transformações de todas as ordens;Os nossos mentores espirituais, as Equipes da Luz,carregam a chama do amor do Espírito Santo, a chama da liberdade e da justiça. No momento vivemos as dores do nascimento do parto da era de aquário. A Era de Aquário será uma era de amor e iluminação, justiça e liberdade.

5 – Sabendo que a Era de Aquário é a Era da liberdade e do Amor divino, podemos ter certeza de que triunfaremos sobre o mal. A Justiça será feita com a elevação de nossas consciências, o que elevará o planeta como um todo.

6 – Nosso lema é: “Seja feita a evolução que já estava prevista,que seja realizada – Assim será na  Terra,já que é assim no Céu -” 

7 – Os seres das trevas tentarão levar o maior número de filhos da luz com eles para a “segunda morte”, mas na realidade, eles é quem estão morrendo de medo de” morrer”. Eles sabem que é chegada a hora deles. Eles querem que todos acreditem que o fim do mundo é agora, e para todos, mas a verdade é que agora é o fim do mundinho deles. O pequeno mundo dos que não acreditam e não seguem ás Leis do Universo ,inexoráveis ,do bem, da justiça, da Luz .

8-A Remissão está no aqui e no agora, onde todos estão tendo a oportunidade de seguir a luz e libertar-se das garras do mal.O que existe de real e verdadeiro na falsa hierarquia do mal e seus seguidores? Nada. Nada é a resposta! Assim, quanto mais ilusões físicas existirem na Terra, quanto maior será a destruição desta ilusão materializada.

9- – A Vinda do Cristo Cósmico será diferente da vinda de Jesus. O Cristo, agora, se manifestará através de muitos de nós, mundo a fora. Veremos o Cristo Interno atuando em todos os cantos deste mundo, oriundos de todas as oito grandes religiões do planeta e de todas as raças – Judaísmo, Budismo, Cristianismo, Hinduísmo, Confucionismo, Islamismo, Taoísmo, e Zoroastrismo.

10 – Como em toda batalha, sim, muitos filhos da luz, aqueles que acreditarem nas mentiras da falsa hierarquia,cairão e serão tomados e derrubados e perderão a maravilhosa oportunidade que agora se abre de vivermos lado a lado com os Mestres de luz na nova Era que surge.

11 – A união faz a força. O lema dos Mestres Ascensos é: “Um por todos e todos por Um” Precisamos orar para que os nossos irmãos na Luz do Plenum Cósmico/ Deus que é Invencível que sempre vence, sempre venceu e sempre vencerá, sejam libertados das garras do mal e da ilusão, e levados para os ensinamentos da Luz divina e esclarecedora.

Resultado de imagem para imagens sobre a verdade

Só o conhecimento da verdade liberta; À Vitória, Sempre com a Verdade

A libertação dos Filhos da Luz, para que eles possam se juntar a nós nesta batalha, ajudando-nos a invocar o poder de transmutação do fogo do éter divino, é o que pode fazer a diferença, é a coisa mais importante do momento. São Miguel e as Legiões da Luz, Consciência Crística, Maitreya, Gautama Buda, Sanat Kumara, São Miguel e todos os seres cósmicos que os seguem nesta grande luta pela verdade da libertação da humanidade, viajam pelo cosmos livremente e na velocidade da luz,não confundi-los com nossos irmãos extraterrestres,que também estão evoluindo na Senda do Pai.

Os impostores da luz, a “Matrix do Bem”,  atuam única e exclusivamente nos corpos inferiores, nada tendo de real no plano do éter divino. Estes falsos ensinamentos dizem para que os despertos invoquem falsos nomes e atentem para falsos ensinamentos com ares de bondade e “conformismo do bem” , ao invés de nos orientar para a ação e reação necessária para a mudança definitiva.

12 – Os cataclismos naturais, não são obra da natureza. Nossa Mãe divina jamais nos enviaria tal destruição. Estes cataclismos são o retorno da Lei de Causa e Efeito, inexorável ,nossas ações coletivas irresponsáveis. Não existe fuga no sentido de subir uma montanha, sair da costa do mar para viver no interior, entre outras idéias milagreiras.

Resultado de imagem para imagens sobre profeciasPREVISÕES

Nós sabemos que elas são o assunto preferido de todos vocês. Nós também sabemos que elas estão sendo usadas para elevar as esperanças da humanidade desta vez; sabemos que nessa categoria caem também “avisos terríveis”. E esses são usados exatamente para o efeito oposto.

Algumas das previsões mais fantásticas que parecem positivas, na realidade, são usadas porque aqueles que começam a imaginá-las, serão levados a um grande desapontamento E ISSO JÁ ESTÁ ACONTECENDO. Vamos discutir tudo isso.

Primeiro vamos definir o que pode ser uma previsão real. De uma perspectiva, uma previsão real sómente pode ser uma extensão para o futuro dos possíveis efeitos das causas atuais. Por exemplo, se se vê uma pessoa estudando diligentemente, seria razoável prever que em algum ponto essa pessoa pode encontrar o sucesso. Se se vê uma pessoa participando de uma atividade que a sociedade considera indesejável seria razoável assumir que a sociedade poderia escolher puni-la.

O que estamos escolhendo discutir hoje são os mesmos fenômenos estendidos ao reino dos efeitos das causas que seriam tão grandes, tão generalizados e tão afastados da manifestação imediata que o efeito em si pareceria desconectado e, portanto, imperceptível no presente.E também incluiria causas tão generalizadas que mal se poderia ver nosso próprio papel nelas. Também incluiria a incrívelmente grande quantidade de causas que um ser individual acumula durante as muitas vidas, o que nós chamamos retrógradamente de karma. Normalmente  sómente pensamos nisso como uma coisa negativa. Os despertos ficariam surpresos ao ver a imensa quantidade de “karma positivo” que muitos de nós acumulamos

E agora pensem em uma quantidade ainda mais fantástica de causas positivas que têm sido depositadas no “cofrinho da humanidade” por todos nós. E tudo isso está apenas aguardando para ser liberado por alguma chave mágica.Bem, essa é exatamente a situação em que nosso mundo está agora. E a pergunta em nossas mentes é: “O que é a chave? ”. A resposta será bastante surpreendente; Nós somos a chave.

Agora, nós começamos por dizer que uma previsão dependia das causas delas não mudarem. E a causa de manifestarmos o mundo que nós desejamos tão ardentemente é a nossa própria elevação para uma consciência vibracionalmente superior;nós nos imaginamos depois de todo esse período e depois de toda dor e do esforço que nós colocamos mudando a trajetória de nossas vidas? Claro que não. Então, qual é a nossa previsão para o futuro?

Atualmente há profetas de plantão pessimistas entre nós. É isso que  achamos que a humanidade criou? Se alguém quiser isso, ele pode ter. Se ele escolhe acreditar, ele terá de alguma forma.Felizmente também está aumentando o número de pessoas que imaginam um mundo muito melhor do que qualquer um de nós não temos  qualquer lembrança de experimentar. Um número cada vez maior se empenha em viver essa esperança diáriamente. Repito;É isso que  achamos que a humanidade criou? Se escolhermos acreditar,  teremos de alguma forma.NÓS CRIAMOS A NOSSA REALIDADE;entendem como funciona? Todos nós somos co-criadores das realidades que  fazemos e que iremos ver.

Não faz muito tempo que essa parecia uma declaração ridícula de se fazer. Mas hoje ela não causará espanto em muitos dos lugares. Podemos ver  como já fomos longe.E então, de volta ao assunto de previsões. Nós sentimos que as previsões que nós fazemos honestamente, sinceramente e pelo bem de todas as pessoas, no fundo de nossos corações, agora começarão a se manifestar sériamente. A espiral descendente de nosso mundo está sendo parada. E a espiral ascendente agora está definitivamente em progresso. Liguemos os nossos  motores da convicção. Façamos isso.

Um conselho;

Amem. Esperem. Perdoem. Façam todas as coisas que vocês aprenderam a fazer e que levarão para a mudança. Sejam o que vocês desejam. O tempo de ser contra já passou. Prevejam o futuro em seus corações. É aí onde ele será criado.

Resultado de imagem para imagens sobre doutrina espiritaUMA ANÁLISE ESPÍRITA PROFUNDA SOBRE PREVISÕES E PROFECIAS-pelos seres de luz

Canal: Ron Head 

Fonte: http://oraclesandhealers.wordpress.com/

“A fé necessita de uma base, e essa base é a perfeita compreensão daquilo em que se deve crer. Para crer, não basta ver, é necessário compreender.” (Evangelho Segundo o Espiritismo, capítulo 19, item 7).

verdadeira convicção só se adquire pelo estudo, pela reflexão e por uma observação contínua” (Discurso na Sociedade Parisiense 5/4/1861)

Fé inabalável é somente aquela que pode encarar de frente a razão, em todas as épocas da humanidade” (Evangelho Segundo o Espiritismo, capítulo 19, item 7).

“Nada examinando, a fé cega aceita, sem verificação, assim o verdadeiro como o falso, e a cada passo se choca com a evidência e a razão. Levada ao excesso, produz o fanatismo” (Evangelho Segundo o Espiritismo, capítulo 19, item 7).

Toda a experiência espiritual ou mediúnica é, sem dúvida, uma experiência de fé, de emoções e sentimentos que permitem à pessoa que vivencia tal experiência uma conexão com algo que transcende a matéria. Entretanto, o nobre codificador esclareceu que não basta apenas vivenciar tal experiência de fé espiritual, juntamente com o emocional ou sentimental; ele esclareceu que é necessário refletir, observar, examinar, comparar e acima de tudo passar pelo crivo da razão tal experiência para assim concluir se tal experiência foi fruto da imaginação, se foi obra de espíritos zombeteiros ou mal intencionados ou se realmente foi um contato com alguma entidade de elevado valor moral.

Resultado de imagem para imagens sobre doutrina espiritaKardec ensinou o método para realizar tal análise, em minúcias, no O Livro dos Médiuns, como por exemplo, os mecanismos para identificar se o espírito manifestante é realmente um espírito bom ou se apenas se manifesta com disfarces ou máscaras. Ensinou como analisar uma comunicação mediúnica, identificado indícios da presença, ou não, de espíritos mal intencionados.

O ano de 2012, em especial, foi recheado de médiuns e canalizadores que não observaram esses preceitos elementares do nobre codificador. Algumas mensagens que qualquer aluno aplicado de uma escola mediúnica identificaria como obra de espíritos gozadores se multiplicaram na internet; mensagens ignorando os mais elementares postulados da física e da astronomia da mesma forma ganharam a grande rede, em parte pela invigilância de quem não analisou o que escreveu ou “recebeu” espiritualmente, em parte pela invigilância de quem leu e aceitou sem passar pelo crivo da razão e da comparação.

CUIDADO COM A MATRIX DO BEM

A experiência espiritual, seja de quem vivencia ou de quem lê ou estuda, deve ser fruto do equilíbrio entre a razão e a emoçãoNão basta apenas sentir que algo “parece” bom, iluminado ou do bem, é preciso comparar, auscultar, observar se existe lógica em determinado relato.

No capítulo 24 do Livro dos Médiuns, itens 260 e 261 esclarece que existem espíritos tão especializados em embustes, que conseguem não apenas falsificar assinaturas em mensagens como ainda imitar com perfeição o jeito, o modo de falar e os tiques de determinado espírito de quilate elevado que seja conhecido do grande público. Kardec assim esclarece:

“Pode-se também colocar entre as provas de identidade a semelhança de caligrafia e de assinatura. Mas além de não ser dado a todos os médiuns obter esse resultado, ele nem sempre representa uma garantia suficiente. Há falsários no mundo dos Espíritos, como no nosso. Certamente se dirá que se um Espírito pode imitar uma assinatura, pode também imitar a linguagem. É verdade. Temos visto os que tomam a o nome da Consciência Crística e para melhor enganar imitam o” estilo evangélico” excedendo-se nas expressões mais conhecidas:” Em verdade vos digo.”

Portanto não basta apenas se emocionar com o que se vê ou o que parece ser, é preciso analisar também o que é dito, relatado, escrito e assim comparar todas as informações para que se observe se existe lógica nas mesmas.

Um nobre espírito desencarnado conhecido, por exemplo, diria em uma comunicação mediúnica algo totalmente diferente daquilo que disse quando em vida? Certamente que não. Portanto, é preciso que a fé, a experiência emocional, sentimental e espiritual passe sempre pelo crivo da razão, da comparação, da análise minuciosa antes que seja admitida como uma experiência fidedigna.

O próprio Kardec levou esse método ao extremo na elaboração da Codificação. Ao juntar as comunicações recebidas através de diversos médiuns que atuaram no processo de elaboração dos cinco livros da Codificação, ele simplesmente descartou 90% das comunicações mediúnicas, foram aproveitados apenas 10%. Já naquela época, Kardec sabia que não bastava uma mensagem que falasse muito de amor, mas que em algumas linhas no meio de belas palavras apresentasse argumentos ou teorias estranhas, ele também sabia que muitos espíritos se apresentavam com aparência boa, doce e nobre, mas com más intenções por trás de uma boa aparência ou de uma aparente boa retórica.

Uma mensagem, uma palestra, um livro,  devem ser analisados como um todo, linha por linha, palavra por palavra, pois muitas vezes pequenos sofismas são propositalmente colocados no meio de belos e nobres ensinamentos e o médium, se não estiver suficientemente vigilante, certamente será presa fácil de espíritos especialistas nesse tipo de fascinação.

Os mecanismos de obsessão atualmente também evoluíram; o preocupante não é o espírito grosseiro ou raivoso que se manifesta , mas sim o ardiloso que se esconde numa voz mansa, suave e procura utilizar muitas frases sobre amor e evolução e coloca no meio destas, de forma consciente, certas idéias estranhas ou até mesmo mensagens subliminares através de pequenos “comandos” escritos ou falado que muitas pessoas sequer percebem.

Nos itens 261 e 267 do mesmo capítulo do Livro dos Médiuns, Kardec resume de forma brilhante como identificar um espírito embusteiro. Seguem alguns trechos:

“Deve persuadir-se de que os Espíritos perversos são capazes de todas as trapaças e de que, quanto mais elevado for o nome usado, mais desconfiança deve provocar. Quantos médiuns têm recebido comunicações apócrifas assinadas por Jesus, Maria ou algum santo venerado!” (item 261)

“A bondade e a afabilidade são também atributos essenciais dos Espíritos depurados. Eles não alimentam ódio nem para com os homens nem para com os demais Espíritos. Lamentam as fraquezas e criticam os erros, mas sempre com moderação, sem amarguras nem animosidades.” (item 264)

Imagem relacionada“Por mais legítima confiança que vos inspirem os Espíritos dirigentes de vossos trabalhos, há uma recomendação que nunca seria demais repetir e que deveis ter sempre em mente aos vos entregar aos estudos: a de pensar e analisar, submetendo ao mais rigoroso controle da razão todas as comunicações que receberdes; a de não negligenciar, desde que algo vos pareça suspeito, duvidoso ou obscuro, de pedir as explicações necessárias para formar a vossa opinião”.(item 266)

“Não devemos julgar os Espíritos pelo aspecto formal e a correção do seu estilo, mas sondar-lhes o íntimo, analisar suas palavras, pesá-las friamente, maduramente e sem prevenção. Toda falta de lógica, de razão e de prudência não pode deixar dúvida quanto à sua origem, qualquer que seja o nome de que o Espírito se enfeite.” (item 267)

Toda heresia científica notória, todo princípio que choque o bom senso revela a fraude” (item 267, subitem 7)

Os Espíritos bons podem fazer-nos pressentir as coisas futuras, quando esse conhecimento for útil, mas jamais precisam as datas. Todo anúncio de acontecimento para uma época certa é indício de mistificação.” (item 267)

Comentário: Quantos espíritos se manifestaram para canalizadores e médiuns nos últimos 2, 3 anos falando em grandes mudanças para breve e nada aconteceu, nem apocalipse, nem mudança de Era realmente significativa, nem ascensão para outra dimensão ou plano. É importante citar esse item, pois existe uma data provável circulando por aí  para o auge dos eventos da transição planetária: 24 de abril de 2036, mas essa data parece que é fruto de uma comparação de diversas profecias(?), de profetas que já mostraram o seu valor(?) ao acertar predições de eventos, ou seja, é fruto de um estudo comparativo e metódico que chegou a um ponto específico,esta é a alegação, um foco comum que representa esta data e não simplesmente uma mensagem ou canalização(?) citando uma data qualquer no futuro sem sustentar-lhe em qualquer base comparativa ou racional.

NOTA DO MONICAVOXBLOG:-Uma coisa é um espírito se manifestar, “soltar” uma data para o apocalipse, nova era ou qualquer outro mega evento sem qualquer base lógica e racional, outra coisa é encontrar uma data, baseada em um método comparativo que cria um foco comum para as profecias dos profetas mais confiáveis do mundo.

Kardec inclusive, no próprio O Livros dos Médiuns, item 289, sub-item 8 mostra que é possível receber informações sobre acontecimentos futuros (algo perfeitamente plausível, visto que a própria Consciência Crística/ Jesus falou sobre o futuro, em detalhes, no sermão profético, vaticinando enormes eventos naturais):

“Às vezes, entretanto, alguns acontecimentos futuros não são anunciados espontaneamente pelos Espíritos de maneira verídica”

Pode acontecer que o Espírito preveja coisas que considera conveniente dar a conhecer ou que tenha por missão revelar-vos. Mas é nesses casos que mais devemos temer entre os espíritos mistificadores, que se divertem fazendo predições. É somente pelo conjunto das circunstâncias que podemos julgar o grau de confiança que elas merecem

Comentário: Ou seja, qualquer profecia que não possua uma base lógica e racional, que não esteja em sintonia com profecias de profetas que já acertaram outros vaticínios deve ser simplesmente descartada. Alguém profetizar algo ou acreditar em alguma profecia apenas baseado em um calendário ou em uma heresia científica, renegando todas as profecias mais confiáveis do mundo, inclusive as do Mestre Jesus, certamente é alguém que estará incorrendo em grande equívoco no estudo das profecias.

É também importante analisar com ampla reflexão os próprios relatos proféticos de Kardec, sobretudo na Gênese, sobre como ocorreria a mudança de Era. Infelizmente ainda existem espíritas que acreditam que as mudanças serão suaves, sem enormes cataclismos apocalípticos, como se os vaticínios do Rabi da Galiléia fossem meras lendas.

Resultado de imagem para imagens sobre o apocalipseA GÊNESE , KARDEC E O APOCALIPSE

“A Terra, no dizer dos Espíritos, não terá de transformar-se por meio de um cataclismo que aniquile de súbito uma geração. A atual desaparecerá gradualmente e a nova lhe sucederá do mesmo modo, sem que haja mudança alguma na ordem natural das coisas.” (A Gênese” de Allan Kardec, capítulo 18, item 27)

Essa é uma passagem paradoxal  muito utilizada por alguns “doutores da lei” espíritas para argumentar que não teremos as grandes mudanças vaticinadas no Apocalipse. Mas  se o cidadão é espírita e tem como maior exemplo a seguir ,segundo a doutrina, a Consciência Crística/ Jesus, justamente por ser espírita, como que ele vai desacreditar os relatos que foram trazidos pelo próprio Messias, no sermão profético?? Será que estes espíritas não sabem que no sermão profético, contido nos 4 evangelhos amplamente estudados pela Codificação, está justamente o relato de intensas mudanças de ordem natural?Científicamente já temos a resposta, haja visto o aquecimento global, as mudanças dos pólos e o derretimento da calota polar,sem contar o desmatamento e a poluição ambiental desmedida.

Estudo da obra “A Gênese”

Para começarmos a entender a questão, é preciso compreender que a obra “A Gênese” possui uma diferença com relação às demais obras básicas do Espiritismo: em muitos dos seus textos existem teorias ainda hipotéticas, fruto da opinião pessoal do codificador e não da doutrina espírita, sendo que muitas dessas idéias foram esboçadas na Revista Espírita na época de Kardec. O nobre codificador esclarece isso logo na introdução da obra:

“Os mesmos escrúpulos havendo presidido à redação das nossas outras obras, pudemos, com toda verdade, dizê-las: segundo o Espiritismo, porque estávamos certo da conformidade delas com o ensino geral dos Espíritos. O mesmo sucede com esta, que podemos, por motivos semelhantes, apresentar como complemento das que a precederam, com exceção, todavia, de algumas teorias ainda hipotéticas, que tivemos o cuidado de indicar como tais e que devem ser consideradas simples opiniões pessoais, enquanto não forem confirmadas ou contraditadas, a fim de que não pese sobre a doutrina a responsabilidade delas.”

Aliás, os leitores assíduos da Revue hão tido ensejo de notar, sem dúvida, em forma de esboços, a maioria das idéias desenvolvidas aqui nesta obra; A Revue, muita vez, representa para nós um terreno de ensaio, destinado a sondar a opinião dos homens e dos Espíritos sobre alguns princípios, antes de os admitir como partes constitutivas da doutrina.” ; Nota da EditoraAo leitor cabe, pois, durante a leitura desta obra, distinguir a parte apresentada como complementar da Doutrina, daquela que o próprio Autor considera hipotética e pessoalmente dele.Portanto, para início de análise, já partimos do pressuposto de que nem tudo que foi dito no livro “A Gênese” pertence à Doutrina Espírita, mas sim a algumas opiniões pessoais do  codificador como ele próprio esclareceu na introdução da obra.

Resultado de imagem para imagens sobre o apocalipseA MUDANÇA DE ERA

Chegando ao capítulo 18 onde se encontra a famosa frase utilizada por muitos defensores de uma mudança de Era sem grandes eventos cataclísmicos, o próprio codificador esclarece ao final do item 10:

“Anunciando a época de renovação que se havia de abrir para a Humanidade e determinar o fim do velho mundo, a Jesus, pois, foi lícito dizer que ela se assinalaria por fenômenos extraordinários, tremores de terra, flagelos diversos, sinais no céu, que mais não são do que meteoros, sem abrogação das leis naturais.”

Ou seja, está claro e evidente que “A Gênese” acha lícita as profecias da Consciência Crística/ Jesus, falando inclusive sobre meteoros . Então, como que no mesmo capítulo, poucos itens depois, é dito que as mudanças serão sem cataclismos? Podemos apenas supor, utilizando-nos da razão, que a opinião do item 27 seja uma opinião pessoal de Kardec e não da doutrina, pois a Doutrina Espírita, como exposto no item 10, concorda com as predições da Consciência Crística/ Jesus sobre cataclismos para a mudança de Era.

Mas vamos analisar as palavras do nobre codificador, que ao que parece são opiniões pessoais que ele manifestou na obra, pelo menos na segunda frase abaixo:

“A Terra, no dizer dos Espíritos, não terá de transformar-se por meio de um cataclismo que aniquile de súbito uma geração.”

Concordo com essa opinião, pois “aniquilar súbitamente uma geração” seria destruir por inteiro (eis o significado de aniquilar) toda a coletividade humana, ou reduzi-la a níveis ínfimos, algo que Jesus também deixou claro que não irá acontecer, segundo consta no sermão profético do evangelho de Mateus, capitulo 24, quando ele fala que metade da população mundial irá desencarnar no auge dos eventos, algo bem distante de uma aniquilação, pois ainda sobreviverão bilhões de pessoas encarnadas.

A atual desaparecerá gradualmente e a nova lhe sucederá do mesmo modo, sem que haja mudança alguma na ordem natural das coisas.”

A Gênese foi escrita antes de 1900, ou seja, a mais de 120 anos e a frase acima diz respeito à geração daquela época, sem que obviamente devesse haver qualquer mudança radical na ordem natural das coisas, até porque o auge do Apocalipse foi previsto(?) pela Consciência Crística/ Jesus para bem depois daquela geração, ao citar a profecia dos 70 períodos de Daniel no sermão profético, profecia essa que se iniciou em 1967 e termina em 2036.

A frase está plenamente correta, pois não se refere à geração que vivenciará o auge do Apocalipse (em boa parte a atual), mas sim a geração que vivenciou a época de Kardec.

Esses erros de interpretação infelizmente ainda são muito comuns entre alguns  espíritas, da mesma forma que a famosa passagem de Mateus 24:36 é utilizada por muitos cristãos para dizer que é impossível que o dia e a hora exatos do auge dos eventos sejam descobertos, pois repetem a frase dita pela Consciência Crística/ Jesus nesse versículo:

“O dia e a hora ninguém sabe, só o Pai que está nos céus”.

Ora, a Consciência Cristica/Jesus  falou a verdade, só que ele disse isso há quase dois mil anos no sermão profético, em momento algum ele disse que no futuro alguém não poderia saber;ele usou o verbo no presente (ninguém sabe) mas não disse que no futuro ninguém viria a saber, tanto que ele próprio, após proferir essas palavras e depois desencarnar, voltou para trazer a revelação (apocalipse) à João, a revelação exata do dia e hora dos eventos.(segundo os Evangelhos)

Portanto, é importante que os amigos espíritas, católicos, protestantes e neopentecostais e todas as linhas cristãs e usam os Evangelhos como base, se atenham a uma interpretação mais ampla dos textos, pois é uma simples questão elementar de interpretação de texto, independente da crença ou fé de cada um, até porque a lógica interpretativa independe da fé da pessoa, depende apenas do seu bom senso em seguir as normas elementares da Língua.Novamente fica o lembrete, a espíritas e espiritualistas: estudem com mais cuidado, com maior comparação e com relação aos temas proféticos.

Resultado de imagem para imagens sobre uma nova eraVisão pessoal…

Nessas palavras do texto, está o cronograma de todas as mudanças até que se inicie uma Nova Era, após 2036, palavras que devem servir sempre de base comparativa em relação a mensagens de médiuns e canalizadores, sobretudo àqueles que defenderam o auge do Apocalipse ou início de uma nova era ao final de 2012 .Uma coisa é um espírito se manifestar, “soltar” uma data para o apocalipse, nova era ou qualquer outro mega evento sem qualquer base lógica e racional, outra coisa é encontrar uma data, baseada em um método comparativo que cria um foco comum para as profecias dos profetas mais confiáveis do mundo.Kardec inclusive, no próprio O Livros dos Médiuns, item 289, subitem 8 mostra que é possível receber informações sobre acontecimentos futuros (algo perfeitamente plausível, visto que a própria Consciência Crística/ Jesus falou sobre o futuro, em detalhes, no sermão profético, vaticinando enormes eventos naturais):“Às vezes, entretanto, alguns acontecimentos futuros não são anunciados espontâneamente pelos Espíritos de maneira verídica?Pode acontecer que o Espírito preveja coisas que considera conveniente dar a conhecer ou que tenha por missão revelar-vos. Mas é nesses casos que mais devemos temer os espíritos mistificadores, que se divertem fazendo predições. É somente pelo conjunto das circunstâncias que podemos julgar o grau de confiança que elas merecem”.

Inspiração….

A Nova Era e a Revolução Cultural

Espiritismo, Uma Nova Era PDF 

Conheça os Livros da Nova Era, com informações sobre a Ascensão.

Monicavox

Recomendo….

Resultado de imagem para imagens sobre livros sobre uma nova era

Imagem relacionada

Resultado de imagem para imagens sobre livros sobre uma nova era

 

O desenvolvimento sustentável seria insustentável?

 Resultado de imagem para imagens sobre ecologia
No próximo Milênio, a importância da consciência ecológica para transformar a forma como entendemos o crescimento econômico; entrevista  com o físico e ativista ambiental Fritjof Capra,para a  Globo News.

“Uma verdadeira ciência da consciência ocupar-se-á mais com qualidades do que com quantidades, e basear-se-á mais na experiência compartilhada do que nas medições verificáveis. Os tipos de experiência que constituem os dados de tal ciência não podem ser quantificados ou analisados em seus elementos fundamentais, sendo sempre subjetivos, em graus variáveis”~A TEIA DA VIDA-Fritjof Capra

UMA BREVE BIOGRAFIA DE FRITJOF CAPRA

Doutor em Física, cientista, ambientalista, educador e ativista: este é Fritjof Capra, austríaco que escreveu O Tao da Física, O Ponto de Mutação, A Teia da Vida, As Conexões Ocultas, dentre outros livros que abordam temas relacionados à ecologia e sustentabilidade, reconhecendo esta última como sendo a conseqüência de um padrão complexo que envolve a interdependência, reciclagem, parceria, flexibilidade e diversidade.

Capra defende que as sociedades urbanas, assim como os ecossistemas – ambos sistemas vivos que contém os mesmos princípios de organização – podem alcançar a sustentabilidade. Ele pontua que em qualquer sistema vivo há relações de interdependência entre seus componentes, de cooperação generalizada, de reciclagem da matéria, tendendo sempre ao equilíbrio, mas que, no entanto, nossa economia e nosso sistema industrial são lineares. Assim, para reverter este quadro, ele acredita que deve haver uma mudança de paradigmas, concebendo o mundo como um todo integrado, um conjunto de sistemas interconectados, e não como uma coleção de partes dissociadas.Capra defende a agricultura orgânica; o uso de partículas de hidrogênio como combustível, em detrimento dos de origem fóssil; o eco-design; a mudança do nosso sistema de impostos, fazendo com que estes sejam proporcionais ao gasto de energia e matéria prima; a educação de qualidade; e o uso da internet como ponte para mobilização e informação.Sobre nosso país, Capra diz que precisamos investir na energia solar e desenvolver técnicas agrícolas que respeitem a saúde do solo, como as rotações de cultura e agroecologia. Para ele, estas últimas medidas, empregando muitas pessoas em pequenas propriedades, resolveriam problemas relacionados ao êxodo rural.

No último século, ocorreu uma aproximação gradual do capitalismo com a profunda dependência de combustíveis fósseis, com uma noção de crescimento linear e com mercados financeiros desregulados e afastados de qualquer noção de ética. A resposta a isso veio em várias frentes. Nos últimos 40 anos, o Relatório Bruntland da ONU lançou as bases do conceito de desenvolvimento sustentável e a Conferência sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento da ONU, em 1992, aprofundou a busca por uma relação mais saudável com o planeta que habitamos. Outras iniciativas aconteceram, mas Fritjof Capra ressalta que “a corrupção é tão sistêmica que, por meio de contribuições financeiras, a indústria dos combustíveis fósseis corta toda a discussão sobre uma política climática.”Capra lançou o livro o Tao da Física em 1975 e, desde então, virou um dos gurus do ativismo ambiental. Criou, em 1994, uma organização para educação ambiental das crianças. Ensina a importância da consciência ecológica e promove o contato dos jovens com a natureza. Voz ativa na busca por uma mudança em nossa relação com o planeta, critica o desenvolvimento sustentável por ser uma contradição.

Não podemos pensar em crescimento no sentido econômico – infinito e linear – em um mundo de recursos finitos. A solução seria um desenvolvimento qualitativo que respeitasse a vida e a não-linearidade dos processos na natureza. Segundo ele, “o que é sustentável em uma sociedade sustentável não é o crescimento econômico ou fatias de mercado, mas é a rede da vida, da qual a nossa vida depende.”

O TAO DA FÍSICA -Uma exploração dos paralelos entre a física moderna e o misticismo oriental~Por Fritjof Capra

A física moderna nos conduz a uma visão do mundo similar às sustentadas pelos místicos de todos os tempos e tradições. As tradições místicas estão presentes em todas as religiões, tal como os elementos místicos se podem encontrar em muitas escolas da filosofia ocidental.Os paralelos com a física moderna aparecem não só nos Vedas do hinduísmo,nos I Ching ou nos Sutras budistas, mas também nos fragmentos de Heráclito, no Sofismo de Ibn Arabi, ou nas lições do mágico de Yaqui, Don Juan. A diferença entre o misticismo oriental e ocidental é que as escolas místicas sempre tiveram um papel marginal no Ocidente, considerando que constituem o veículo principal do pensamento filosófico e religioso oriental. Se a física nos conduz actualmente a uma visão do mundo essencialmente mística, retrocede, de certo modo, aos seus primórdios de há 2500 anos.É interessante seguir a evolução da ciência ocidental ao longo do seu caminho em espiral, desde as filosofias místicas do dealbar grego, progredindo e cimentando um impressivo desenvolvimento do pensamento intelectual, sucessivamente desligado das suas origens místicas para desenvolver uma visão do mundo em nítido contraste com a do Extremo Oriente. Nos seus mais recentes desenvolvimentos a ciência ocidental ultrapassou finalmente esta visão, e retomou os antigos gregos e a filosofia oriental. Este retomo não é, no entanto, intuitivo, mas baseado em experiências sofisticadas e de grande precisão, e num rigoroso e consistente formalismo matemático.

A GRÉCIA ANTIGA E A FÍSICA

O termo «físico» provém deste mundo grego e significava, portanto, originariamente, a tentativa de ver a essência das coisas.Este é, óbviamente, o objetivo central de todos os místicos, e a filosofia da escola de Tales de Mileto teve, de fato, um acentuado “perfume místico”. Os milésios eram apelidos pelos gregos posteriore de hilozoístas,(ou aqueles que concebem na matéria dotada de vida), porque não distínguiam entre animado e inanimado/espírito.Com efeito, nem sequer concebiam um mundo de matéria,já que encaravam todas as formas de existência como manifestações da «física», dotada de vida e espiritualidade. Deste modo, declarou Tales estarem todas as coisas animadas por deuses, e Anaximandro viu o universo como uma espécie de organismo sustentado pela respiração cósmica, do mesmo modo que o corpo humano é sustentado pelo ar.A visão monística e orgânica dos milésios era muito aproximada à da antiga filosofia indiana e chinesa, e os paralelos com o pensamento oriental são
ainda mais fortes na filosofia de Heráclito de Éfeso. Heráclito acreditava num mundo de contínua mudança, de eterno devir. Para ele, todo o ser estático se fundava na decepção, e o seu princípio fundamental era o fogo, um símbolo do contínuo fluir e mudança de todas as coisas. Heraclito ensinou que todas as mudanças no mundo provêm da conjugação dinâmica e cíclica dos opostos, e concebia qualquer par de opostos como uma unidade, (á esta unidade, que contém e transcende todas
as forças opostas, chamava o Cogos. )A ruptura desta unidade começou com a escola de Eleia, que sustentou um Princípio Divino estável acima dos deuses e dos homens. Este princípio foi inicialmente identificado com a unidade do universo, mas foi encarado como”um Deus inteligente e personalizado, que permanece acima do mundo  e que comanda”.Assim começou uma tendência de pensamento de que resultou na separação entre espírito e matéria, e o dualismo que se tomou característica da filosofia ocidental.

Consolidada a idéia da visão entre espírito e matéria, os filósofos concentraram a sua atenção no mundo espiritual, mais que no material, na alma humana e nos problemas éticos. Estas questões ocupariam o pensamento ocidental durante mais de dois mil anos depois do apogeu da ciência e cultura grega nos
séculos V e IV a.C. O conhecimento científico da antiguidade foi sistematizado e organizado por Aristóteles, criador do esquema que se tomou a base da visão ocidental do universo por dois mil anos.

Mas mesmo Aristóteles acreditava que as questões concernentes à alma humana e à contemplação da perfeição divina eram sinais importantes que as investigações do mundo material. A razão pela qual o
modelo aristotélico do universo permaneceu inalterado durante tanto tempo foi precisamente esta falta de interesse no mundo material, bem como o forte apoio da Igreja Cristã que sustentou, na Idade Média, as teses de Aristóteles. Novos desenvolvimentos da ciência ocidental teriam de esperar até o
Renascimento, quando os homens se começaram a libertar da influência de Aristóteles e da Igreja, bem como a mostrar um renovado interesse na natureza.

No  fim do século XV, o estudo da natureza foi, pela primeira vez, procurado num verdadeiro espírito científico, e foram efetuadas experiências para testar as idéias teóricas. Por ser este desenvolvimento paralelo a um interesse crescente na matemática, conduziu por fim à formulação de teorias científicas corretas,baseadas na experiência e expressas em linguagem matemática. Galileu foi o primeiro a combinar conhecimento empírico com matemática, e é portanto considerado o pai da ciência moderna.

1O nascimento da ciência moderna foi precedido e acompanhado por um desenvolvimento do pensamento filosófico que conduziu a uma formulação extrema do dualismo espírito-matéria. Esta formulação apareceu no século XVI na filosofia de René Descartes, que fundava a sua visão da natureza numa divisão fundamental em dois domínios separados e independentes: o da mente (res cogitans)
e o da matéria (ires extensa).A divisão «cartesiana» permitiu aos cientistas tratar a matéria como morta, e completamente separada de si próprios, e ver o mundo material como uma multiplicidade de objetos diferentes, reunidos numa máquina imensa. Esta visão mecanicista do mundo foi sustentada por Isaac Newton que construiu a sua mecânica naquela base e a tomou o alicerce da física clássica. Da segunda metade do século XVII ao final do século XIX, o modelo mecanicista newtoniano do universo dominou todo o pensamento científico. Foi comparado à imagem de um deus monárquico que regulava o mundo de cima,impondo nele as suas regras divinas. As leis fundamentais da natureza procuradas pelos cientistas eram então como leis de Deus, invariáveis e eternas, às quais o mundo estava submetido.A filosofia de Descartes foi não só importante para o desenvolvimento da física clássica como teve, também, uma tremenda influência na maneira ocidental, em geral, de pensar, até aos nossos dias.

A famosa afirmação cartesiana;«Cagito ergo sum» — «Penso, logo existo» — levou os ocidentais a equivaler sua identidade com a sua mente, em lugar de com todo o seu organismo.Como consequência da divisão cartesiana, muitos indivíduos concebem-se como«egos» isolados existindo «dentro» dos seus corpos. A mente tem sido separada do corpo e caracterizada pela fútil tarefa de o controlar, assim se causando um conflito aparente entre a vontade consciente e os instintos involuntários.Cada indivíduo tem sido cada vez mais considerados como um grande número de compartimentos separados,de acordo com as suas atividades, talentos, sentimentos,crenças, etc.,gerando intermináveis e contínuas confusões e frustrações.

O PADRÃO QUE UNE~Por Fritjof Capra

O tao da física foi publicado no final de 1975, sendo recebido com grande entusiasmo na Inglaterra e nos Estados Unidos e gerando um enorme interesse pela “nova física” entre as mais variadas pessoas. Uma decorrência desse enorme interesse foi o fato de que passei a viajar constantemente, proferindo palestras para platéias leigas e especializadas, e discutindo com homens e mulheres de todos os ramos e profissões os conceitos da física moderna e suas implicações. Nessas palestras, pessoas das mais variadas disciplinas com freqüência me diziam que uma mudança na visão de mundo, à semelhança do que ocorria na física, também vinha se processando em seus campos e que muitos dos problemas que deparavam em suas disciplinas estavam, de alguma forma, ligados às limitações da visão de mundo mecanicista. Essas discussões me levaram a examinar mais de perto a influência do paradigma newtoniano sobre vários campos do conhecimento, e no início de 1977 eu pretendia escrever um livro sobre o assunto com o título provisório de Beyond the mechanistic world view (“Além da visão mecanicista de mundo”). Só mais tarde vim a compreender o papel primordial de Descartes no desenvolvimento da visão mecanicista de mundo, adotando então o termo “paradigma cartesiano”. A idéia básica desse livro seria a de que todas as nossas ciências — as ciências naturais e também as humanas e sociais — estariam fundamentadas na visão de mundo mecanicista da física newtoniana; que as graves limitações dessa visão de mundo estavam agora tornando-se evidentes; e que cientistas de diversas disciplinas seriam, portanto, forçados a ir além da visão mecanicista, como ocorrera conosco na física.

Na realidade, eu concebia a nova física — a estrutura conceitual abrangendo a teoria quântica, a teoria da relatividade e especialmente a física bootstrap — como o modelo ideal para os novos conceitos e as novas abordagens das outras disciplinas. Esse raciocínio continha uma grave falha, que só fui percebendo aos poucos e que levei muito tempo para superar. Ao apresentar a nova física como modelo para uma nova medicina, uma nova psicologia ou uma nova ciência social, caíra na mesma armadilha cartesiana que gostaria que os cientistas evitassem. Descartes, como eu viria a aprender mais tarde, usou a metáfora de uma árvore para representar o conhecimento humano; suas raízes eram a metafísica, o tronco, a física, e os ramos e galhos, todas as outras ciências. Sem saber, eu adotara essa metáfora cartesiana como o princípio norteador de minha investigação. O tronco de minha árvore não era mais a física newtoniana, porém eu ainda via a física como o modelo para as outras ciências e, portanto, supunha que os fenômenos físicos fossem de alguma forma a realidade primordial e a base para todo o resto. Não que eu acreditasse nisso explicitamente, mas essas idéias estavam implícitas quando propus a nova física como modelo para as outras ciências. Com o passar dos anos, meus pensamentos e percepções sobre esse assunto sofreram uma profunda transformação, e no livro que por fim escrevi, O ponto de mutação, não mais apresentei a nova física como modelo para as outras ciências, e sim como um importante caso especial de uma estrutura muito mais geral, a estrutura da teoria dos sistemas. A importante passagem de meu pensamento do “raciocínio físico” para o “raciocínio sistêmico” ocorreu gradualmente, e resultou de muitas influências. Mais que tudo, porém, foi a influência de uma só pessoa, Gregory Bateson, que modificou minhas perspectivas. Pouco depois de nos conhecermos, Bateson comentou brincando com um amigo comum: “Capra? Esse cara é maluco! Pensa que somos todos elétrons”. Esse comentário foi a sacudidela inicial, e meus encontros subseqüentes com Bateson nos dois anos seguintes modificaram profundamente meu pensamento, fornecendo-me os elementos-chave para uma visão radicalmente nova da natureza, que vim a chamar de “visão sistêmica da vida”. Gregory Bateson será considerado um dos pensadores mais influentes de nossa época por historiadores futuros. A singularidade de seu pensamento decorre de sua amplitude e generalidade. Numa época caracterizada pela fragmentação e pela sua especialização, Bateson desafiou os pressupostos básicos e os métodos das várias ciências ao buscar os padrões que se articulam por trás dos padrões e os processos subjacentes às estruturas. Ele declarou que a relação deveria ser a base para toda definição, e sua meta principal seria a de descobrir os princípios de organização em todos os fenômenos que observava, “o padrão que une”, como ele diria.

PARALELOS ENTRE A FÍSICA E O MISTICISMO~Por Fritjof Capra

Ao travar meu primeiro contato com as tradições do Oriente, descobri paralelos entre a física moderna e o misticismo oriental quase que imediatamente. Lembro-me de haver lido em Paris um livro francês sobre o zen-budismo, por meio do qual fiquei conhecendo pela primeira vez o importante papel do paradoxo nas tradições místicas.

Aprendi que os mestres espirituais do Oriente não raro recorrem, com grande habilidade, a enigmas paradoxais para fazer seus estudantes perceberem as limitações da lógica e do uso da razão. A tradição zen, em particular, desenvolveu um sistema de instruções não-verbais que utiliza enigmas à primeira vista sem sentido, chamados “koans”, que não podem ser resolvidos pelo raciocínio. Eles visam precisamente interromper o processo de pensamento, preparando assim o estudante para uma experiência não-verbal da realidade.

Li que todos os koans têm soluções mais ou menos peculiares que um mestre competente logo reconhece. Uma vez encontrada a solução, o koan deixa de ser paradoxal e torna-se uma asserção muito significativa, feita a partir do estado de consciência que ele próprio ajudou a despertar. Quando li pela primeira vez a respeito do método dos koans no treinamento zen, senti algo estranhamente familiar. Eu passara muitos anos estudando outro tipo de paradoxo que parecia desempenhar papel semelhante no treinamento dos físicos. Havia diferenças, é claro. A minha própria formação como físico com certeza não tinha a mesma intensidade de um treinamento zen. Lembrei-me do relato de Heisenberg sobre o modo como os físicos dos anos 20 vivenciaram os paradoxos quânticos, esforçando-se para compreender uma situação onde o único mestre era a natureza. O paralelo mostrou-se óbvio e fascinante, e posteriormente, quando já havia aprendido mais sobre o zen-budismo, verifiquei que era de fato muito significativo. Como no zen, as soluções dos problemas dos físicos permaneciam ocultas em paradoxos que não podiam ser resolvidos pelo raciocínio lógico, mas apenas entendidos em termos de uma nova capacidade perceptiva que incorporasse a realidade atômica. Os físicos só tinham a natureza para lhes ensinar. E ela, como os mestres do zen-budismo, não afirmava nada; apenas apresentava os enigmas.

A similaridade entre as experiência dos físicos quânticos e dos zen-budistas marcou-me profundamente. Todas as descrições do método koan enfatizam que a resolução de tal enigma exige um esforço supremo de concentração e de envolvimento da parte do estudante.

O koan, diz-se, toma conta do coração e da mente do aluno, criando um verdadeiro impasse mental, um estado de tensão constante em que o universo inteiro se torna uma enorme massa de dúvidas e indagações.

Quando comparei essa descrição com aquela passagem do livro de Heisenberg, de que eu me lembrava tão bem, tive a nítida sensação de que os fundadores da teoria quântica vivenciaram exatamente a mesma situação: “Lembro-me de discussões com Bohr que se prolongavam por muitas horas, até alta madrugada, e terminavam num estado que beirava o desespero. E quando, ao final de uma discussão, eu saía sozinho para passear num parque das redondezas, ficava me perguntando sem parar:

‘Pode a natureza ser assim tão absurda quanto nos parece em nossos experimentos atômicos?’“ Tempos depois, eu também vim a compreender por que os físicos quânticos e os místicos orientais depararam com problemas semelhantes e passaram por experiências semelhantes. Sempre que a natureza essencial das coisas é analisada pelo intelecto, ela parecerá absurda ou paradoxal. Isso foi sempre reconhecido pelos místicos, mas só muito recentemente tornou-se um problema para a ciência. 

Durante séculos, os fenômenos estudados pela ciência faziam parte do mundo cotidiano dos cientistas e, portanto, pertenciam ao domínio da sua experiência sensorial. Como as imagens e conceitos da linguagem que usavam provinham exatamente dessa experiência dos sentidos, eles eram suficientes e adequados para descrever os fenômenos naturais. No século XX, contudo, os físicos penetraram a fundo no mundo submicroscópico, em regiões da natureza muito afastadas do mundo macroscópico em que vivemos. O nosso conhecimento da matéria nesse nível já não provém da experiência sensorial direta; em conseqüência, a linguagem comum já não é mais adequada para descrever os fenômenos observados. Os físicos nucleares proporcionaram aos cientistas os primeiros vislumbres da natureza essencial das coisas.

Como os místicos, os físicos passaram a lidar com experiências não-sensoriais da realidade e, também como eles, tiveram de enfrentar os aspectos paradoxais dessas experiências. A partir desse momento, os modelos e as imagens da física moderna tornaram-se vinculados aos da filosofia oriental. A descoberta do paralelismo entre os koans do zen e os paradoxos da física quântica, que eu mais tarde chamaria de “koans quânticos”, estimularam muito meu interesse pelo misticismo oriental, aguçando minha atenção.

Entrevista exclusiva com o físico e ambientalista Fritjof Capra, considerado um dos mais renomados-legendado em português

Autor de “O Tao da Física” e” A Teia da Vida”, Capra é também um dos fundadores do Centro de Eco-Alfabetização, na Califórnia, Estados Unidos, onde promove a divulgação do pensamento ecológico nas redes de ensino.TV Cultura

Nos anos seguintes, à medida que me envolvia mais na espiritualidade oriental, deparava repetidas vezes com conceitos que me eram relativamente familiares em virtude de minha formação em física atômica e subatômica. A princípio, a descoberta dessas similaridades não foi muito mais que um exercício intelectual, ainda que muito emocionante. Mas ao entardecer de um dia de verão de 1969, vivi uma poderosa experiência que me fez levar os paralelos entre a física e o misticismo muito mais a sério. A melhor descrição dessa experiência é a que está na página inicial de O tao da física: “Eu estava sentado na praia, ao cair de uma tarde de verão, e observava o movimento das ondas, sentindo ao mesmo tempo o ritmo da respiração. Nesse momento, de súbito, me apercebi intensamente do ambiente que me cercava: este se me afigurava como se participasse de uma gigantesca dança cósmica. Como físico, eu sabia que a areia, as rochas, a água e o ar a meu redor eram feitos de moléculas e átomos em vibração, e que tais moléculas e átomos, por seu turno, consistiam em partículas que interagiam entre si por meio da criação e da destruição de outras partículas. Sabia do mesmo modo que a atmosfera da Terra era permanentemente bombardeada por chuvas de ‘raios cósmicos’, partículas de alta energia que sofriam múltiplas colisões à medida que penetravam na atmosfera. Tudo isso me era familiar em razão de minha pesquisa em física de alta energia; até aquele momento, porém, tudo isso me chegara apenas por intermédio de gráficos, diagramas e teorias matemáticas.

Sentado na praia, senti que minhas experiências anteriores adquiriam vida. Assim, ‘vi’ cascatas de energia cósmica, provenientes do espaço exterior, cascatas em que, com pulsações rítmicas, partículas eram criadas e destruídas. ‘Vi’ os átomos dos elementos — bem como aqueles pertencentes a meu próprio corpo — participarem dessa dança cósmica de energia. Senti o seu ritmo e ‘ouvi’ o seu som. Nesse momento compreendi que se tratava da Dança de Xiva, o deus dos dançarinos, adorado pelos hindus”.

O ENCONTRO COM O TAO

Nos anos 60, eu experimentara diversas técnicas de meditação e lera vários livros sobre o misticismo oriental sem de fato me dispor a seguir qualquer um de seus caminhos. Mas agora, estudando as tradições do Oriente com mais cuidado, senti-me particularmente atraído pelo taoísmo. Dentre as grandes tradições espirituais, o taoísmo oferece, a meu ver, as mais belas e profundas expressões de uma sabedoria ecológica, enfatizando a unicidade fundamental de todos os fenômenos e a imersão de todas as pessoas e sociedades nos processos cíclicos da natureza.

Diz Chuang-Tzu: “Na transformação e crescimento de todas as coisas, cada broto e cada atributo têm sua forma própria. Nisso temos a sua maturação e corrupção graduais, o constante fluir da transformação e da mudança”. E Huai-Nan-Tzu: “Aqueles que seguem a ordem natural fluem na corrente do tao”. Os sábios taoístas concentravam toda a atenção na observação da natureza, a fim de discernir os “atributos do tao”.

Assim, desenvolveram uma atitude que é em essência científica apenas sua profunda desconfiança acerca do método analítico de raciocionar,o que impediu-os de formular teorias científicas propriamente ditas. Não obstante, sua meticulosa observação da natureza, associada a uma forte intuição mística, levou-os a percepções profundas que são hoje confirmadas pelas teorias científicas modernas.

A profunda sabedoria ecológica, a abordagem empírica e o tom especial do taoísmo — que eu talvez pudesse descrever melhor como “êxtase sereno” — eram-me tremendamente atraentes, de modo que o taoísmo, de forma bastante natural, tornou-se para mim o caminho a ser seguido.

Resultado de imagem para IMAGENS DE CASTANEDACastañeda também exerceu forte influência sobre mim naqueles anos, e seus livros mostraram-me mais uma maneira de abordar os ensinamentos espirituais do Oriente. Constatei que os ensinamentos das tradições Índias americanas, expressos pelo lendário brujo yaqui Don Juan, estão muito próximos aos da tradição taoísta transmitidos pelos lendários sábios Lao-Tse e Chuang-Tzu. O saber-se imerso no fluir natural das coisas e a habilidade de agir em harmonia com isso são fundamentais em ambas as tradições. Enquanto o sábio taoísta flui na corrente do Tao, o “homem de sabedoria” yaqui tem de ser leve e fluido para “enxergar” a natureza essencial das coisas. O taoísmo e o budismo sao tradições que lidam com a própria essência da espiritualidade, que não é restrita a nenhuma cultura em particular. O budismo, em especial, tem mostrado em toda a sua história ser adaptável a diversas situações culturais; Ele se originou com o Buda na Índia, espalhou-se pela China e sudoeste da Ásia, chegou ao Japão e, muitos séculos depois, atravessou o Pacífico, desembarcando na Califórnia. A influência mais forte da tradição budista sobre o meu pensamento foi sua ênfase no papel vital da compaixão para se obter sabedoria. De acordo com o pensamento budista, não pode haver sabedoria sem compaixão, o que para mim significa que a ciência não tem valor se não for acompanhada de preocupação social.

O PONTO DE MUTAÇÃO~Fritjof Capra

Como o nosso atual estado de desequilíbrio é, em grande parte, uma conseqüência do crescimento indiferenciado, a questão de escala desempenhará um papel central na reorganização de nossas estruturas econômicas e sociais. O critério de escala tem que ser a comparação com as dimensões humanas. O que é vasto, rápido ou congestionado demais, em comparação com as dimensões humanas, é grande demais. As pessoas que têm de lidar com estruturas, organizações ou empresas de dimensões tão inumanas sentir-se-ão invariavelmente ameaçadas, alienadas, oprimidas, despojadas de sua individualidade, e isso afetará de modo muito significativo a qualidade de sua vida. A importância da escala está ficando cada vez mais evidente, até de um ponto de vista estritamente econômico, na medida em que um número cada vez maior de grandes empresas é prejudicado por uma excessiva centralização e por vulnerabilidade de tecnologias complexas, interligadas.

No processo de descentralização, muitas das grandes companhias norteamericanas, obsoletas, consumidoras vorazes de recursos, terão forçosamente que passar por transformações profundas e, em alguns casos, fechar as portas. Em todas essas considerações, a tarefa mais importante será atingir o equilíbrio. Nem tudo precisa ser descentralizado. Alguns grandes sistemas, como a telefonia e outros sistemas de comunicação, devem ser mantidos; outros, como o transporte de massa, precisam crescer. Mas todo esse crescimento deve ser limitado, mantendo-se um equilíbrio dinâmico entre crescimento e declínio, para que o sistema como um todo permaneça flexível e aberto a mudanças.

Entre os muitos exemplos de crescimento excessivo, a expansão das cidades é  uma das maiores ameaças ao equilíbrio social e ecológico; a desurbanização será, portanto, um aspecto crucial do retorno a uma escala mais humana. Numerosas pesquisas de opinião mostraram que apenas uma pequena minoria de habitantes citadinos vive na metrópole porque gosta. A maioria esmagadora prefere as pequenas cidades do interior, as áreas residenciais suburbanas ou as fazendas, mas não dispõe de meios para isso. O que precisamos fazer, portanto, é refrear o crescimento das cidades, criar incentivos econômicos adequados, tecnologias e programas de assistência que permitam às pessoas que assim o desejem passar da vida urbana para a rural.

Considerações análogas são aplicáveis à descentralização do poder político.

Durante a segunda metade do século passado, tornou-se cada vez mais evidente que a nação-Estado já não é viável como unidade eficaz de governo. É grande demais para os problemas de suas populações locais e, ao mesmo tempo, confinada por conceitos excessivamente estreitos para os problemas de interdependência global.

Os governos nacionais altamente centralizados de hoje não são capazes de atuar localmente nem de pensar globalmente. Assim, a descentralização política e o desenvolvimento regional tornaram-se necessidades urgentes de todos os grandes países. Essa descentralização do poder econômico e político terá de incluir a redistribuição da produção e da riqueza, para que haja um equilíbrio entre alimentos e populações dentro dos países e entre as nações industriais e o Terceiro Mundo. Finalmente, no nível planetário, o reconhecimento de que não podemos “gerir” o planeta, mas temos que nos integrar harmoniosamente em seus múltiplos sistemas auto-organizadores, exige uma nova ética planetária e novas formas de organização política.

UM RETORNO AO PASSADO?

Regressar a uma escala mais humana não significará um retorno ao passado, mas exigirá, pelo contrário, o desenvolvimento de novas e engenhosas formas de tecnologia e organização social. Grande parte de nossa tecnologia convencional, consumidora intensiva de recursos e altamente centralizada, é hoje obsoleta. Energia nuclear, carros de alto consumo de gasolina, agricultura subsidiada pelo petróleo, instrumentos computadorizados de diagnóstico e muitos outros empreendimentos de alta tecnologia são antiecológicos, inflacionários e perniciosos para a saúde.

Embora essas tecnologias envolvam freqüentemente as mais recentes descobertas na eletrônica, na química e outros campos da ciência moderna, o contexto em que são desenvolvidas e aplicadas é o da concepção cartesiana da realidade. Elas devem ser substituídas por  novas formas de tecnologia, que incorporem princípios ecológicos e sejam compatíveis com o novo sistema de valores. Muitas dessas tecnologias alternativas já estão sendo desenvolvidas. Tendem a ser descentralizadas e a operar em pequena escala, a ser sensíveis às condições locais e planejadas para aumentar a auto-suficiência, propiciando, assim, um grau máximo de flexibilidade. São freqüentemente qualificadas de tecnologias brandas, porque seu impacto sobre o meio ambiente é substancialmente reduzido pelo uso de recursos renováveis e por uma constante reciclagem de materiais. 

Coletores de energia solar, geradores eólicos, lavoura orgânica, produção e processamento regional e local de alimentos, e reciclagem de produtos residuais, são exemplos de tais tecnologias brandas. Em vez de se basearem nos princípios e valores da ciência cartesiana, elas incorporam os princípios observados nos ecossistemas naturais; refletem, pois, a sabedoria sistêmica.

TECNOLOGIA X HUMANIDADE

Tal redirecionamento da tecnologia oferece enormes oportunidades para a criatividade, o espírito empreendedor e a iniciativa da humanidade. As novas tecnologias não são, em absoluto, menos sofisticadas do que as antigas, mas seu refinamento é de uma espécie diferente. Aumentar a complexidade deixando simplesmente que tudo cresça não é difícil, mas recuperar elegância e flexibilidade requer sabedoria e visão criativa. À medida que os nossos recursos físicos se tornam mais escassos, também se evidencia que devemos investir mais nas pessoas — o único recurso que possuímos em abundância. Com efeito, a consciência ecológica torna óbvio que temos de conservar nossos recursos físicos e desenvolver nossos recursos humanos. Em outras palavras, o equilíbrio ecológico requer o pleno emprego. É isso, precisamente, o que novas tecnologias facilitam. Operando em pequena escala e sendo descentralizadas, elas tendem a se tornar consumidoras intensivas de mão-de-obra, ajudando, portanto, a estabelecer um sistema econômico não-inflacionário e ambientalmente benigno. A mudança de tecnologias pesadas para brandas é mais urgentemente necessária nas áreas relacionadas com a produção de energia. Como foi enfatizado num capítulo anterior22, as raízes mais profundas de nossa atual crise energética situam-se nos modelos de produção e consumo perdulário que se tornaram característicos de nossa sociedade. Para resolver a crise não necessitamos de mais energia, o que apenas agravaria nossos problemas, mas de profundas mudanças em nossos valores, atitudes e estilos de vida. Entretanto, ao mesmo tempo em que perseguimos essa meta a longo prazo, também precisamos mudar nossa produção de energia dos recursos não-renováveis para os renováveis, e das tecnologias pesadas para as brandas, a fim de alcançarmos o equilíbrio ecológico.

A política energética da maioria dos países industrializados reflete o que Amory Lovins, físico e consultor energético de numerosas organizações, chamou o “caminho da energia pesada” (hard energy path), em que a energia é produzida a partir de recursos não-renováveis — petróleo, gás natural, carvão e urânio — por meio de tecnologias altamente centralizadas, que são rigidamente programadas, antieconômicas e nocivas à saúde.A energia nuclear é, de longe, o componente mais perigoso do caminho da energia pesada . Ao mesmo tempo, está se convertendo rapidamente na mais ineficaz e antieconômica fonte energética. Um eminente técnico em investimentos em empresas de serviços públicos concluiu uma investigação minuciosa da indústria nuclear com a seguinte e arrasadora declaração: “A conclusão a que podemos chegar é que, de um ponto de vista estritamente econômico, confiar na fissão nuclear como fonte primária de nossos suprimentos de energia estável constituirá uma loucura econômica em escala sem paralelo em toda a história” .

À medida que a opção nuclear está ficando cada vez mais irrealista e a maciça dependência dos países industrializados em relação ao petróleo aumenta o risco de confrontações militares, governos e representantes da indústria energética estão procurando ansiosamente numerosas alternativas. Assim fazendo, entretanto, eles ainda se apegam cegamente aos princípios obsoletos do caminho da energia pesada. A produção de combustíveis sintéticos a partir do carvão e do xisto betuminoso, que tem sido vigorosamente incentivada nestes últimos tempos, envolve ainda uma outra tecnologia que consome um excesso de recursos, é extremamente antieconômica e causa perturbações ambientais em grande escala. Fala-se com freqüência na fusão nuclear, mas ela é por demais incerta para ser uma solução aceitável. Além disso, parece estar na mira da indústria nuclear principalmente com o propósito de produzir plutônio, que seria depois usado em reatores de fissão . Todas essas formas de produção energética requerem maciços investimentos de capital e usinas centralizadas com tecnologias complexas. São ineficientes e altamente inflacionárias e não criam um número significativo de empregos. As medidas de conservação e a energia solar poderiam gerar um número de empregos muitas vezes superior àquele oferecido pela indústria nuclear, enquanto cada nova usina de eletricidade elimina cerca de 4 000 empregos líquidos’.

A única saída para a crise energética é adotar um “caminho de energia branda”  (soft energy path), o que tem três componentes principais: conservação de energia através de um consumo mais racional, utilização inteligente das atuais fontes de energia não-renovável como “combustíveis de ponte” durante o período de transição, e rápido desenvolvimento de tecnologias brandas para a produção energética a partir de fontes renováveis. Essa tríplice abordagem, além de ambientalmente benigna e ecológicamente equilibrada, seria também a política energética mais eficiente e mais barata.

Um estudo recente da Harvard Business School afirmou categóricamente que uma melhoria na eficiência de consumo e tecnologias brandas são as mais econômicas de todas as fontes de energia disponíveis, além de fornecerem mais e melhores empregos do que qualquer uma das outras opções . O caminho da energia branda deve ser adotado sem mais demora. Como o papel dos combustíveis fósseis como ponte para as novas fontes energéticas renováveis é um elemento vital da transição necessária, será crucial iniciar o processo de transição enquanto ainda dispomos de suficientes combustíveis fósseis para assegurar uma passagem sem tropeços.

A longo prazo, a maior conservação de energia será conseguida com o abandono de nossos atuais modelos nocivos e antieconômicos de produção e consumo, em favor de um modo de vida ecologicamente harmonioso. Mas enquanto tem lugar essa profunda mudança, enormes poupanças energéticas podem ser obtidas melhorando-se a eficiência do consumo de energia em toda a economia. Isso pode ser feito desde já, por meio das tecnologias existentes, ao mesmo tempo em que se mantêm os níveis atuais de atividade econômica.

De fato, a conservação é nossa melhor fonte de energia a curto prazo, superando todos os combustíveis convencionais combinados. Isso foi espetacularmente confirmado pela observação de que, no período de 1973-1978, 95 % de todos os novos suprimentos de energia na Europa provieram de um consumo mais eficiente. Assim, milhões de medidas de conservação individual adicionaram ao suprimento quase vinte vezes mais energia do que todas as outras novas fontes combinadas, incluindo todo o programa nuclear europeu.

Uma importante parte do consumo mais eficiente de energia consiste em utilizar o tipo apropriado para cada tarefa, o que significa aplicar o tipo de energia que permite a execução dessa tarefa do modo mais barato e eficaz. Não é de mais eletricidade que precisamos, mas de uma maior variedade de fontes energéticas que possam harmonizar-se mais adequadamente com nossas necessidades. Uma vez que usamos mais da metade de nosso suprimento energético para aquecimento ou resfriamento, as maiores economias podem ser conseguidas mediante o isolamento térmico mais eficiente de nossos edifícios.

É hoje técnicamente possível e altamente efetivo, no tocante aos custos, construir edifícios tão bem calafetados por exemplo, que virtualmente dispensem o aquecimento de seu interior, mesmo em climas frios; e pode-se dizer que muitos edifícios existentes estão bem perto desse padrão. Um outro importante meio de aumentar a eficiência do consumo energético é a chamada co-geração de calor e eletricidade úteis.

Um co-gerador é um dispositivo que aproveita o calor produzido na geração de eletricidade, em vez de o lançar perdulariamente no meio ambiente. Qualquer máquina que produza movimento queimando um combustível também pode ser usada como um co-gerador. Instalado num edifício, pode operar eficientemente os sistemas de aquecimento e refrigeração e, ao mesmo tempo, fazer funcionar seus aparelhos elétricos. Desse modo, a energia contida no combustível pode se tornar útil com até 90 por cento de eficiência, ao passo que a geração convencional de eletricidade usaria, no máximo, apenas 30 ou 40 por cento da energia do combustível.

Numerosos estudos recentes apuraram que o efeito combinado da co-geração e do isolamento aperfeiçoado, a par de uma maior eficiência em carros e máquinas, resultaria numa economia de energia de 30 ou 40 por cento sem quaisquer mudanças em nossos padrões de vida e atividades econômicas . A longo prazo, necessitamos de uma fonte energética que seja renovável, econômicamente eficiente e ambientalmente benigna. A energia solar é a única espécie de energia que satisfaz a todos esses requisitos. O Sol tem sido a principal fonte de energia do planeta há bilhões de anos, e a vida, em sua miríade de formas, tornou-se primorosamente adaptada à energia solar durante o longo curso da evolução planetária.

Toda a energia que usamos, exceto a nuclear, representa alguma forma de energia solar armazenada. Quer queimemos madeira, carvão, petróleo ou gás, usamos energia originalmente irradiada para a Terra a partir do Sol e convertida químicamente através da fotossíntese. O vento que impele os barcos a vela e impulsiona os moinhos de vento é um fluxo de ar causado pelo movimento ascendente de outras massas de ar aquecidas pelo Sol. A queda-d’água que aciona nossas turbinas é parte do ciclo contínuo de água sustentado por radiação solar. Assim, virtualmente todas as nossas fontes energéticas fornecem-nos energia solar sob uma ou outra forma. Entretanto, nem todas essas formas de energia são renováveis.

No atual debate energético, a expressão “energia solar” é usada mais especificamente em referência às formas de energia que provém de fontes inexauríveis ou renováveis. A energia solar, nesse sentido, está acessível em formas tão variadas quanto o próprio planeta ³³. Em áreas florestais está presente como combustível sólido (madeira); em áreas agrícolas, como combustível líquido ou gasoso (álcool ou metano derivados de plantas); em regiões montanhosas, como energia hidrelétrica, e em lugares onde venta muito, como energia gerada pelo vento; em áreas ensolaradas, pode ser transformada em eletricidade por células fotovoltaicas. e em quase toda parte pode ser captada como calor direto. A maioria dessas formas de energia solar foram exploradas por sociedades humanas ao longo dos tempos por meio de tecnologias que o próprio tempo consagrou. O Departamento de Energia dos Estados Unidos adora chamar a energia solar de uma “exótica” nova fonte energética, mas, de fato, a transição solar não requer quaisquer inovações tecnológicas de vulto. Ela envolve simplesmente a integração judiciosa de processos agrícolas e tecnológicos usados já há muito tempo em muitos setores de atividade de uma sociedade moderna. Contrariamente a uma concepção errônea muito divulgada, o problema do armazenamento de energia dessas fontes renováveis já foi resolvido, e numerosos estudos mostraram que as tecnologias brandas existentes são suficientes para satisfazer todas as nossas necessidades energéticas a longo prazo. De fato, muitas delas já estão sendo usadas com êxito por comunidades conscientes do poder solar. A característica mais evidente dessas tecnologias é sua natureza descentralizada. Como a energia irradiada do Sol se difunde por todo o planeta, usinas centralizadas de energia solar não teriam sentido algum, por serem inerentemente antieconômicas .

As mais eficientes tecnologias de aproveitamento da energia solar envolvem dispositivos em pequena escala, a serem usados por comunidades locais, o que gera uma grande variedade de empregos e só apresenta efeitos benignos.

Certas formas de energia solar já são competitivas; outras podem sê-lo em poucos anos. Isso pode ser comprovado até mesmo sem que se questione a estreita noção de competitividade econômica, que despreza a maioria dos custos sociais gerados pela produção de energia convencional. Uma forma de energia solar que já pode ser utilizada com grande vantagem é o aquecimento solar. Tanto pode ser “passiva”, quando o próprio edifício capta e armazena o calor, quanto “ativa”, quando são usados coletores solares especiais.

A energia proveniente do Sol também pode ser empregada para refrigerar edifícios durante o verão. Os sistemas de aquecimento e refrigeração solar foram desenvolvidos intensamente nos últimos anos, e representam hoje uma indústria vibrante e em rápida expansão, conforme documentado no relatório da Harvard Business School:

“Muitas pessoas ainda supõem que a energia solar seja algo para o futuro, à espera de um decisivo avanço tecnológico. Essa suposição representa um grande equívoco, pois o aquecimento solar ativo e passivo é uma alternativa aqui-e-agora para fontes energéticas convencionais” . Uma outra tecnologia solar com grande potencial é a produção local de eletricidade por meio de células fotovoltaicas Uma célula fotovoltaica  é um dispositivo silencioso e imóvel que converte a luz solar em eletricidade. A principal matéria-prima usada na sua construção é o silício, que está presente em abundância na areia comum, sendo os processos de manufatura semelhantes aos usados pela indústria de semicondutores para construir transistores e circuitos integrados (“chips”). No momento, as células fotovoltaicas ainda são demasiado caras para uso residencial, mas o mesmo ocorria com os transistores, no início. De fato, a indústria fotovoltaica está passando agora pelos mesmos estágios da indústria de semicondutores duas décadas atrás. Quando os programas espaciais e militares americanos precisaram de equipamento eletrônico leve, investimentos federais maciços acarretaram uma grande redução dos custos de produção. Foi esse o começo da indústria que está agora produzindo milhões de rádios transistorizados, calculadoras de bolso e relógios digitais de baixo custo.

O termo “fotovoltaico” refere-se à geração de uma voltagem elétrica, o que ocorre quando a luz incide sobre a célula.  Do mesmo modo, as células fotovoltaicas foram usadas primeiramente para fornecer eletricidade aos satélites espaciais em órbita, e eram muito caras nessa época. Outras estimativas semelhantes mostraram que a geração de eletricidade pelo vento poderia ser iniciada quase imediatamente, a custos economicamente competitivos, se fossem investidas verbas suficientes na tecnologia eólica. Essas conquistas ocasionariam mudanças estruturais fundamentais na indústria de serviços de utilidade pública, uma vez que os geradores fotovoltaicos e eólicos, tal como o aquecimento solar, são usados com a máxima eficiência in loco, sem a necessidade de usinas centralizadas.

O poder político das companhias de serviços públicos, relutantes em renunciar ao monopólio na produção de eletricidade, é hoje o principal obstáculo ao rápido desenvolvimento das novas tecnologias solares. 

Qualquer programa realista de energia solar terá de produzir combustível líquido suficiente para abastecer aviões e, pelo menos, parte de nosso transporte terrestre, e combustível líquido ou gasoso para ser usado em co-geradores onde o suprimento local de energia solar for inadequado. 

A tecnologia solar de mais fácil acesso para a obtenção  desses combustíveis é também a mais antiga — a produção de energia a partir da biomassa. O termo “biomassa” refere-se à matéria orgânica produzida por plantas verdes, que representam energia solar armazenada. Essa energia não só pode ser recuperada sob a forma de calor, queimando-se o material, como pode também ser convertida em combustíveis líquidos ou gasosos, destilando-se álcool de cereais ou frutos fermentados, ou captando-se o metano que as bactérias geram a partir de estéreo, lixo ou esgotos. Esses dois combustíveis podem ser usados para acionar motores de combustão interna sem provocar qualquer poluição, e por métodos bem conhecidos e relativamente simples.

O BRASIL E A BIOMASSA

O maior centro de produção de álcool a partir da biomassa é o Brasil, onde toda a gasolina contém até 20 por cento de álcool; e geradores simples de metano, produzindo combustível a partir de estéreo e esgotos, têm sido construídos aos milhões na Índia e na China. De todas as tecnologias solares, a produção de metano — um componente importante do gás natural — com a ajuda da atividade bacteriana parece ser a que mais se aproxima dos princípios observados em ecossistemas naturais. Envolve a cooperação de outros organismos — um aspecto característico de toda a vida — e pode ser usada com muita eficácia para reciclar lixos, esgotos e lodo subaquático, que constituem alguns dos nossos maiores poluentes. O resíduo orgânico da produção de metano é um excelente fertilizante, perfeitamente adequado para substituir pelo menos parte de nossos fertilizantes sintéticos, consumidores de recursos e poluidores. Tal como outras formas de energia solar, a biomassa está largamente dispersa, sendo portanto apropriada para a produção local, em pequena escala, de combustível. Neste ponto, cumpre ter em mente que a produção de combustíveis líquidos a partir de produtos agrícolas não alimentará nosso sistema de transportes em seu nível atual. Para tanto, seria imprescindível uma produção maciça de álcool a partir da agricultura, o que significaria o uso irresponsável do solo, pois isso causaria sua rápida erosão, como argumentou Wes Jackson de forma convincente 43. Embora a biomassa seja um recurso renovável, o solo. onde ela cresce não o é. Certamente podemos esperar uma significativa produção de álcool a partir da biomassa, incluindo o cultivo de plantas para esse fim, mas um programa maciço de álcool para alimentar as necessidades atuais de combustível líquido esgotaria nossos solos no mesmo ritmo em que estamos hoje exaurindo o carvão, o petróleo e outros recursos naturais. A saída para esse dilema será um completo replanejamento de nosso sistema de transportes, especialmente nos Estados Unidos, em conjunto com muitos outros aspectos de nosso estilo de vida 384 perdulário e dilapidador de recursos. Isso não significará reduzir nossos padrões de vida. Pelo contrário, melhorará a qualidade de nossas vidas. Os competentes estudos de nossas opções energéticas acima citadas mostram que está aberto o caminho para um futuro solar. Embora significativos avanços tecnológicos sejam esperados em muitas áreas, não temos que esperar por quaisquer progressos tecnológicos decisivos para dar início a essa transição histórica. O que mais necessitamos é de uma acurada informação pública acerca do potencial da energia solar, a par de uma correspondente política social e econômica que facilite a passagem para a era solar.  Qualquer um desses dois caminhos, que terão quase certamente que ser trilhados, encurtaria e facilitaria de maneira significativa o período de transição.

SABEDORIA INCOMUN-DIÁLOGOS NOTÁVEIS-Meu encontro com J. Krishnamurti-~por Fritjof Capra

Um dos primeiros contatos diretos que tive com a espiritualidade do Oriente foi meu encontro com J. Krishnamurti no final de 1968. Quando ele proferiu uma série de palestras na UC de Santa Cruz, estava com setenta e três anos e a sua aparência era absolutamente estonteante. Seus traços indianos bem marcados, o contraste entre a pele escura e os cabelos brancos impecávelmente penteados, a elegância dos trajes europeus, a dignidade do semblante, o inglês medido e perfeito, e — acima de tudo — a intensidade da concentração e da presença dele deixaram-me encantado e perplexo. Os ensinamentos de Don Juan, de Carlos Castañeda, acabara de ser publicado, e ao ver Krishnamurti não pude deixar de comparar sua aparência com a da figura mítica do sábio yaqui. O impacto do carisma e da aparência física de Krishnamurti foi intensificado e aprofundado pelas coisas que disse. Pensador muito original, rejeitava toda autoridade espiritual e todas as tradições espirituais. Seus ensinamentos eram muito semelhantes aos do budismo, mas ele jamais empregava algum termo budista ou de qualquer outro ramo de pensamento tradicional do Oriente. A tarefa a que se propusera (usar a língua e o raciocínio racional para levar seus ouvintes além da linguagem e do uso da razão) era extremamente difícil, mas o modo como ele se desincumbia dela era impressionante.

Krishnamurti escolhia algum problema existencial bem conhecido — medo, desejo, morte, tempo — como tópico de uma palestra, e principiava a falar usando palavras parecidas com estas: “Entremos nisso juntos. Não vou lhes dizer nada; não possuo autoridade alguma; vamos explorar essa questão juntos”. Em seguida, mostrava a futilidade de todos os modos convencionais para se eliminar, por exemplo, o medo, e perguntava, lenta e intensamente, com um senso acurado do impacto dramático de suas palavras: “É possível que vocês, neste exato momento, aqui neste lugar, possam se livrar do medo? Não suprimi-lo, não negá-lo, nem opor resistência a ele, mas sim eliminá-lo de uma vez por todas? Esta será a nossa tarefa hoje à noite: eliminarmos o medo por completo, de uma vez por todas. Se não conseguirmos isso, minha palestra terá sido em vão”.

1A cena já estava armada; a platéia, arrebatada, dominada pelo enlevo, e absolutamente atenta. “Examinemos então a questão”, prosseguia Knshnamurti, “sem julgarmos, sem condenarmos, sem justificarmos. O que é o medo? Examinemos isso juntos, vocês e eu. Vejamos se conseguimos realmente nos comunicar, estar no mesmo plano, na mesma intensidade, no mesmo momento. Usando-me como espelho, será que vocês conseguirão encontrar a resposta a esta pergunta extraordinariamente importante: o que é o medo?” E Krishnamurti passava então a tecer uma teia imaculada de conceitos. Mostrava que, para compreendermos o medo, temos de compreender o desejo; que para compreendermos o desejo, temos de compreender o pensamento; e, consecutivamente com o tempo, o conhecimento, o ser, e assim por diante.

Apresentava uma análise brilhante de como tais problemas existenciais básicos estão interrelacionados — não na teoria, mas na prática. Krishnamurti não só confrontava cada membro da platéia com os resultados da sua análise, como também instava e convencia cada um a se envolver no processo de análise. No final, ficava uma sensação nítida e forte de que o único meio para se resolver qualquer um de nossos problemas existenciais é ir além do pensamento, além da linguagem, além do tempo — é “libertar-se do conhecido”, como diz no título de um de seus melhores livros, Freedom from the known. Lembro-me de que fiquei fascinado, mas também profundamente perturbado, com as palestras de Krishnamurti. Após cada uma delas, Jacqueline e eu permanecíamos acordados durante várias horas, sentados junto à nossa lareira, discutindo o que Krishnamurti dissera.

Esse foi meu primeiro encontro direto com um mestre espiritual radical, e logo me vi em face de um grave problema. Eu mal iniciara uma promissora carreira científica, com que estava bastante envolvido emocionalmente, e então vinha Krishnamurti, com todo o seu carisma e persuasão, dizendo para eu parar de pensar, para eu me libertar de todo o conhecimento, para eu deixar o raciocínio lógico para trás. O que isso significava no meu caso? Deveria desistir da carreira científica nesse estágio inicial, ou deveria continuá-la, abandonando toda esperança de alcançar a auto-realização espiritual? Eu ansiava por me aconselhar com Krishnamurti, porém ele não permitia nenhuma pergunta em suas palestras e recusava-se a receber quem quer que fosse depois delas. Fizemos diversas tentativas para vê-lo, mas foi-nos dito, com firmeza, que Krishnamurti não queria ser perturbado. Foi uma feliz coincidência — ou não? — que finalmente nos propiciou um encontro com ele. Krishnamurti tinha um secretário francês e, após a última palestra, Jacqueline, que nasceu em Paris, conseguiu estabelecer um diálogo com esse homem. Eles se entenderam bem e, como resultado, terminamos por nos encontrar com Krishnamurti em seu apartamento na manhã seguinte. Senti-me um tanto intimidado quando finalmente vi o mestre cara a cara, mas não quis perder tempo.

Eu sabia por que estava ali. “Como posso ser um cientista”, perguntei-lhe, “e ainda assim seguir seu conselho para interromper o pensamento e libertar-me do conhecido?” Krishnamurti não hesitou sequer um instante. Ele respondeu a minha pergunta em dez segundos, e de um modo que resolveu completamente o meu problema. “Primeiro você é um ser humano”, disse ele, “e depois um cientista. Antes você tem de se tornar livre, e essa liberdade não pode ser atingida por meio do pensamento. Ela é atingida pela meditação — a compreensão da totalidade da vida, em que cessam todas as formas de fragmentação.” 

Uma vez que eu alcançar tal compreensão da vida como um todo, explicou, poderia me especializar e trabalhar como cientista sem problema algum. E evidentemente nem se cogitava na abolição da ciência. Passando para o francês, Krishnamurti acrescentou: “J’adore la science. C’est merveilleux!” Após esse rápido mas decisivo encontro, só vi Krishnamurti de novo seis anos depois, ao ser convidado, juntamente com vários outros cientistas, a participar de uma semana de discussões com ele em seu centro educacional no Brockwood Park, ao sul de Londres. Sua aparência ainda era extremamente marcante, embora houvesse perdido um pouco da intensidade. No decorrer daquela semana fiquei conhecendo Krishnamurti muito melhor, inclusive alguns de seus defeitos. Quando falava, ele ainda era muito poderoso e carismático, mas fiquei desapontado pelo fato de jamais podermos realmente incluí-lo numa discussão. Ele falaria, mas não se disporia a ouvir. Por outro lado, mantive muitas discussões excitantes com meus colegas cientistas — David Böhm, Karl Pribram e George Sudarshan, entre outros. Depois disso praticamente perdi contato com Krishnamurti.

Nunca deixei de reconhecer sua influência decisiva sobre mim, e com freqüência ouvia falar dele por meio de várias pessoas; porém, não compareci a nenhuma outra palestra sua, nem li qualquer um de seus outros livros. Então, em janeiro de 1983, me vi em Madrasta, no sul da Índia, participando de uma conferência da Sociedade Teosófica Mundial, que ficava em frente à propriedade de Krishnamurti. Como ele estava lá e ia dar uma palestra naquela noite, resolvi aparecer para apresentar-lhe meus cumprimentos.

O belíssimo parque, com suas gigantescas árvores seculares, estava repleto de gente, quase todos indianos, sentados em silêncio no chão, aguardando o início de um ritual de que a maioria já participara muitas vezes antes. Às oito horas Krishnamurti apareceu, vestido com trajes indianos, e caminhou lentamente mas com enorme segurança até uma plataforma que fora erguida. Foi maravilhoso vê-lo, aos oitenta e oito anos de idade, fazendo sua entrada como durante mais de meio século, subindo as escadas da plataforma sem ajuda de ninguém, sentando-se numa almofada, e unindo as mãos no tradicional cumprimento indiano para iniciar sua palestra. Krishnamurti falou durante setenta e cinco minutos sem nenhuma hesitação, e quase com a mesma intensidade que eu presenciara quinze anos antes.

O tópico dessa noite era o desejo, e ele teceu sua teia com a clareza e habilidade de sempre. Foi uma oportunidade única para eu avaliar a evolução de meu próprio entendimento desde a época em que o conhecera, e senti pela primeira vez que eu realmente compreendia seu método e sua personalidade. A sua análise do desejo foi bela e cristalina.

A percepção causa uma reação sensorial, disse ele; o pensamento então intervém — “Eu quero…“, “Eu não quero…“, “Eu desejo…“ —, e assim é gerado o desejo. O desejo não é causado pelo objeto de desejo, mas persistirá com diversos objetos enquanto intervier o pensamento. Portanto, não nos libertaremos do desejo suprimindo ou evitando a experiência sensorial (o modo do asceta). O único meio para nos libertarmos do desejo é libertando-nos do pensar.

O que Krishnamurti não disse é como podemos nos libertar do pensamento. Como Buda, ele ofereceu uma análise brilhante do problema, mas, à diferença dele, não mostrou um caminho claro para a libertação. Talvez, pensei, o próprio Krishnamurti não houvesse avançado o suficiente por esse caminho… Talvez não houvesse se libertado o suficiente de todo o condicionamento para poder levar seus discípulos à plena auto-realização.Depois da palestra, fui convidado para jantar com Krishnamurti e várias outras pessoas. Compreensivelmente ele estava bastante exausto devido a seu esforço e sem ânimo para qualquer discussão. Nem eu pretendia algo assim. Fora ali apenas para mostrar-lhe a minha gratidão, sendo ricamente recompensado. Contei a Krishnamurti a história de nosso primeiro encontro, e agradeci-lhe mais uma vez por sua influência e ajuda decisivas, estando consciente de que esse talvez fosse o nosso último encontro, como de fato acabou sendo.

O problema que Krishnamurti resolvera para mim, à maneira zen, de um só golpe, é o problema com que a maioria dos físicos se deparam quando confrontados com as idéias das tradições místicas — como é possível transcender o pensamento sem abandonar um compromisso com a ciência? Esse é, acredito, o motivo pelo qual tantos de meus colegas sentiram-se ameaçados por minhas comparações entre a física e o misticismo. Talvez lhes seja proveitoso saber que eu também já senti a mesma ameaça. E a senti com todo o meu ser. No entanto, isso foi no início de minha carreira, e tive uma enorme felicidade: a mesma pessoa que me fez perceber a ameaça foi também a que me ajudou a transcendê-la. 

Discussão Online – Fritjof Capra – Português

O físico austríaco Dr. Fritjof Capra, autor de best-sellers como “O Ponto de Mutação” e “A Teia da Vida”, conversou com os professores participantes do concurso cultural “Santander Práticas de Educação para Sustentabilidade”

Visão pessoal….

Fritjof Capra é um dos mais recentes pensadores que emergiu juntamente com o pensamento científico, social e filosófico, abordando por isso em suas obras,perspectivas que incluem como ponto chave a ciência aliada á sustentabilidade.Sua obra propõe uma nova compreensão científica em todos os níveis dos sistemas vivos, sejam organismos, sistemas sociais e ecossistemas, baseando-se em uma nova percepção da realidade. A Ecologia Profunda,tema extensivamente abordado em seus livros e palestras acerca da crise de percepção pela qual passa a ciência e a sociedade aponta soluções, as quais precisam estar atreladas a uma profunda mudança radical na percepção, no pensamento e nos valores, em uma dimensão política, cultural, social e científica. Segundo o autor, os problemas da época não podem ser compreendidos isoladamente como foi e ainda é proposto por muitos, pois são sistêmicos e estão interligados, sendo interdependentes. Propondo, então, uma mudança de paradigma, a qual, como esperado, não é facilmente aceita, por se tratar de uma visão estranha e inesperada da realidade.  Uma mudança do paradigma mecanicista preconizado por Newton e Descartes por uma nova forma de pensar a ciência, a filosofia e mesmo as leis que regem a vida em toda sua complexidade, um novo paradigma. O novo paradigma proposto pelo autor permeia uma visão de mundo holística, a qual concebe o mundo como um todo integrado, e não como uma coleção de partes dissociadas, podendo ainda ser definido e entendido como uma visão ecológica, a qual reconhece a interdependência fundamental de todos os fenômenos e na qual indivíduos e sociedades encaixam-se nos processos cíclicos da natureza e dependem desses processos. Por conseguinte, a mudança de paradigmas requer uma expansão não apenas de nossas percepções e maneira de pensar, mas também de mudanças nos valores.A visão emergente do pensamento holístico no sentido de ecologia profunda enfatiza que a vida se encontra em sua própria essência, o que é particularmente importante para a ciência, pois no velho paradigma, a física (baseada no paradigma mecanicista) foi o modelo e fonte metafórica para todas as ciências, a física, aos poucos perdeu o seu papel como a ciência que fornece a descrição mais fundamental da realidade. Na atualidade, a mudança de paradigma na ciência implica em uma mudança da física para as ciências da vida.No século XX, a perspectiva holística passa a ser conhecida como “sistêmica” e a principal característica do pensamento sistêmico esteve presente em várias disciplinas de modo simultâneo, sendo os biólogos os pioneiros a abordar esse pensamento, enfatizando a concepção dos organismos vivos como totalidades integradas, sendo posteriormente enriquecida pela nova ciência da Ecologia. São os ecologistas como Capra, no seu livro “A Teia da Vida”, que introduzem a concepção de sistemas vivos como redes, fornecendo uma nova perspectiva sobre as chamadas hierarquias da natureza. A saber, essa nova perspectiva, vem explicar que na natureza não há hierarquias, não há “acima” ou “abaixo”. Há somente redes alinhadas dentro de outras redes. Essa concepção de rede representou avanços na compreensão científica não apenas dos ecossistemas, mas também da própria natureza da vida.A essência da obra de Capra mostra de uma forma bastante coerente que não é pela fragmentação das ciências, da filosofia, da sociedade e da natureza que se tem uma compreensão geral das mesmas, não é por partes que a vida e toda a complexidade que esta palavra carrega em seu significado, devem ser analisadas, mas pelo todo que faz compreender a essência. O ser humano tomado como um ser complexo em relação aos demais organismos vivos, não pode ser visto como um ser controlador obrigatório da natureza e superior às demais distintas formas de vida, pois não se trata de um ser externo à natureza, ele faz parte dela, é a natureza. Não há partes isoladas que funcionam independentemente nesse complexo sistema que é a vida, vista aqui não apenas em sua forma biológica, mas social, política, cultural e científica, essa é uma teia, da qual o ser humano é apenas um fio.
Inspiração….
Monicavox

Recomendo….